Em compras acima de R$ 400,00 o frete é grátis! *Exceto impressoras 3D

Tag: Impressão 3D

Impressões 3D mais resistentes: a influência da altura das camadas

Você já parou para pensar se existe alguma ligação entre a altura da camada definida no software fatiador e impressões 3D mais resistentes? Neste conteúdo vamos explicar como a espessura da camada pode influenciar na resistência final da sua impressão.


Quem curte ou trabalha com impressão 3D sabe que são diversas as variáveis que influenciam no resultado de uma peça. Entre os muitos parâmetros que devem ser observados, um dos mais importantes está relacionado à altura da camada.

Normalmente, quando se fala em altura da camada de impressão, estamos nos referindo diretamente à qualidade superficial da peça a ser impressa. Contudo, muitos fazem uma correlação entre a espessura da camada e impressões 3D mais resistentes.

Mas será que essa é uma afirmação sempre verdadeira? Vamos te ajudar nessa resposta!

O que é a altura da camada em impressão 3D

A altura da camada diz respeito à espessura de filamento que será depositado durante o processo de impressão. No modelo mais comum, o material é colocado camada após camada de maneira uniforme. A máquina insere filamento num nível inteiro e repete este passo até a finalização do projeto. 

Geralmente, camadas mais finas permitem melhores acabamentos e menos efeito de “escada”, contudo, aumentam exponencialmente o tempo de impressão. Na verdade, o tempo dedicado à impressão é inversamente proporcional à altura da camada.

A grande maioria das impressoras 3D disponíveis no mercado imprimem camadas com alturas entre 0,05 milímetros à 0,4 milímetros. Porém, nem sempre a espessura do bico define a “resolução” da peça que será impressa. 

O que é realmente determinante para a altura da camada é a quantidade de filamento que passa pelo bico e é projetado sobre a mesa, além da variação do eixo Z em relação a ultima camada. O software de impressão precisa calcular a velocidade do motor e tração a serem exercidos no filamento, permitindo que saia apenas o que é necessário em cada intervalo de tempo.

altura de camada

Espessura versus resistência

Não são poucos os usuários que afirmam existir alguma relação entre a altura da camada e impressões 3D mais resistentes. Alguns dizem que peças com camadas mais finas possuem maior resistência, em comparação às peças com camadas mais grossas. Será?

Camadas mais finas podem sim ser mais fortes porque o material fundido é extraído mais próximo do bico. Devido à baixa distância, a camada feita logo antes também aquece e ajuda na ligação entre as duas.

Além disso, como menos plástico é expelido de cada vez, o material permanece por mais tempo em zona de fusão, aquecendo e derretendo de maneira uniforme. Também é possível dizer que a densidade das peças com camadas mais finas seja maior devido às lacunas mais estreitas que existem entre as linhas já impressas.

O risco das camadas mais finas

Há de se considerar um aspecto estatístico em relação à espessura das camadas. Com a utilização de diâmetros maiores, menos camadas serão impressas para produzir a mesma peça. Isso faz com que se diminua o risco de erro no processo.

Já com a utilização de espessuras menores a impressão demora mais tempo porque mais camadas serão impressas e, consequentemente, erros variados podem acontecer.

Portanto, é preciso cercar-se de cuidados para escolher com inteligência a espessura ideal de camada para cada projeto. 

Teste final para impressões 3D mais resistentes

Como nenhum martelo pode ser batido antes de uma investigação aprofundada, recomendamos que você assista ao vídeo disponível logo abaixo, feito pelo canal CNC Kitchen. Nele são feitos diversos testes de resistência com peças impressas em variadas espessuras de camadas. O conteúdo está em inglês, mas existe a possibilidade de legendas em português. Confira: 

Bom, esse foi o nosso conteúdo de hoje! No vídeo você viu que além da altura da camada, existem muitos outros parâmetros que desempenharão um papel importante na resistência das suas impressões 3D. Além de existirem características inerentes de cada material, a temperatura de extrusão e a utilização da peça em sua vida útil podem influenciar nesse quesito.

Um objeto em 3D tende a ser mais resistente à força externa quando essa é empregada em sentido perpendicular ao ângulo das camadas impressas. Já quando segue o sentido da impressão, a resistência tende a diminuir. Lembre-se disso!

Agora que você viu como deixar as impressões 3D mais resistentes com a altura de camada, confira nosso outro conteúdo com mais dicas para tornar as peças mais fortes.

Filamento Tritan: saiba como imprimir com esse material

Confira as especificações e configurações de impressão do filamento Tritan, o novo produto à venda no site da 3D Lab


O filamento Tritan é um material que possui características únicas para impressão 3D. Além de possuir alta resistência mecânica, ele também suporta temperaturas mais elevadas do que outros materiais, como PLA, ABS e PETG.

Produzido a partir de copoliéster, o Tritan é um filamento durável que permite a construção de peças de alta resistência.

Quer saber mais sobre o filamento Tritan? Hoje vamos falar sobre esse material, lançamento da 3D Lab!

Onde o filamento Tritan é utilizado

Por ser um material que resiste a altas temperaturas e pressão, o Tritan é comumente utilizado na área de engenharia para a fabricação de peças mecânicas.  

Além disso, seu uso é ideal para a impressão de peças grandes porque possui baixa contração e quase nenhum warping. 

Onde o filamento Tritan é utilizado

Comparação com outros filamentos

Ao ser comparado com outros materiais, o Tritan chama a atenção por suas características particulares. De todos os filamentos vendidos pela 3D Lab, ele é o que tem maior resistência mecânica e a impactos. O PETG vem logo atrás no ranking.

A resistência química do Tritan também é maior, por isso as peças feitas em Tritan podem ser lavadas em lava louças. Em objetos de paredes grossas, o Tritan é mais transparente que o PETG.

Além disso, os dois são livres de BPA, metais pesados, halógenos, estirênicos e acrilonitrila.

O Tritan também é conhecido pela boa resistência térmica, suportando até 110ºC. Em contrapartida o ABS, segundo da lista, aguenta em torno de 95ºC.

Os parâmetros de impressão do Tritan

Para que as peças sejam impressas corretamente é importante seguir as recomendações de impressão para o filamento. Confira:

  • temperatura de extrusão entre 260ºC a 280ºC, a depender da velocidade da impressora. Mas atenção: verifique com o fabricante qual a temperatura máxima que a sua máquina pode atingir. A Force One 3D Lab permite impressões até 260ºC; 
  • mesa aquecida em 110ºC;
  • retract: 1,5mm;
  • fator de extrusão: 1,0 (100%);
  • extrusion width: 0,48mm (largura de extrusão padrão).

Uma característica importante do filamento Tritan é a necessidade de uma temperatura de extrusão mais alta. Isso cria uma dificuldade para impressoras que têm tubo teflon, uma vez que esse material tem resistência térmica menor do que a de extrusão.

Agora que você já sabe como imprimir com o filamento Tritan da 3D Lab, que tal ser um dos primeiros a testá-lo? Acesse o nosso site e abasteça já o seu estoque!

Até o próximo conteúdo!

[E-BOOK] Como imprimir com perfeição! Guia com passo a passo

[E-BOOK] Como imprimir com perfeição! Guia com passo a passo

Imprimir com perfeição requer prática, conhecimento e paciência! Alguns erros, mesmo simples, podem deixar sua peça com uma aparência bem ruim. Porém, temos o passo a passo para você ter sucesso!


Quem não deseja imprimir com perfeição? A impressão 3D é uma tecnologia bem sensível e pequenas mudanças podem interferir muito no resultado final.

Ter uma máquina bem calibrada com certeza faz toda a diferença na impressão da sua peça. No entanto, a verdade é que a grande maioria dos usuários não sabe como chegar até essa perfeição, infelizmente!

Encontrar os melhores parâmetros de impressão, calibrar a impressora, escolher o filamento certo e ainda como garantir que ele tenha a melhor e maior vida útil possível. Essas são só algumas dúvidas comuns da comunidade de impressão 3D.

Então, pensando nisso criamos um material especial, um e-book em formato de infográfico com o passo a passo para você calibrar a sua máquina, preparar melhor o material, cuidar dos filamentos, dicas de configuração dos parâmetros e muito mais!

Fatores que influenciam para imprimir com perfeição

Nós listamos 4 grandes fatores que são responsáveis pela qualidade final da suas impressões. Confira agora quais são eles:

  1. A sua impressora 3D
  2. As condições do ambiente em que ela está instalada
  3. As configurações inseridas no fatiador escolhido
  4. O seu filamento para impressora 3D!

Dentro de cada um desses pontos há cuidados que devem ser tomados e mostramos cada um deles, de forma detalhada.

Esse material especial será disponibilizado para você baixar e acessar sempre antes de iniciar uma impressão 3D, garantindo assim que você tenha as melhores condições para imprimir com perfeição.

Portanto, para baixar o guia é só você clicar no botão a seguir.

Não se esqueça de sempre conferir os nossos novos conteúdos postado no Blog e fique por dentro das novidades da 3D Lab e da comunidade de impressão 3D. Boa leitura e aproveite o material!

BAIXE AQUI O SEU MATERIAL!

O que é e para que serve um scanner 3D? Conheça agora!

O que é e para que serve um scanner 3D? Conheça agora!

O scanner 3D é uma ótima ferramenta para quem já trabalha com impressora 3D. Ele pode ser usado para criar modelos a partir das peças já feitas.


A tecnologia de impressão 3D permite a criação de peças a partir de um modelo digital. O scanner 3D chegou ao mercado para ajudar a reduzir o tempo gasto com a modelagem.

É claro que existem muitos arquivos disponíveis na internet que ajudam quem ainda não tem muita experiência, mas isso não permite que se crie um modelo específico, com as dimensões desejadas. Por isso é que o scanner 3D tem grande valor nesse mercado.

Neste conteúdo você vai conhecer um pouco mais sobre o scanner 3D e como ele pode ser usado no mundo da impressão 3D!

O que é um Scanner 3D?

Um scanner é um aparelho capaz de analisar um objeto já existente e transformá-lo num modelo digital. Existem várias maneiras distintas para que uma máquina do tipo possa fazer isso, cada uma adequada a um objetivo diferente. 

Contudo, os scanners 3D podem ser divididos em duas categorias gerais: com contato e sem contato. No próximo tópicos vamos conhecê-los.

Quais são os tipos de scanner 3D?

Scanner 3D de contato 

Para que um scanner 3D de contato possa mapear um objeto, a peça a ser copiada deve ser colocada numa superfície plana e lisa. Respeitada essa primeira etapa, um mecanismo como um braço mecânico move um sensor de toque até que ele encoste no objeto diversas vezes. Com este recurso, a máquina determina precisamente cada ponto do objeto e calcula as medidas para fazer um modelo computacional 3D.

Scanner 3D

 

A grande vantagem é que esse tipo de aparelho consegue medir com um nível de precisão bastante alta. Contudo, ele é muito lento e seu uso não é indicado para a produção de modelos com um número elevado de detalhes. Por isso, sua utilização é mais comum na aferição de projetos industriais. 

Neste caso, são feitas apenas as aferências das dimensões críticas de algumas peças, possibilitando ao operador uma visão global dos processos de fabricação e especificações do projeto.

Scanner 3D sem contato

Um Scanner para impressora 3D sem contato, como o próprio nome sugere, não toca nos objetos que serão escaneados. Ele utiliza um tipo de radiação para fazer as medições necessárias. Essa radiação pode ser de raios-x, infravermelhos, lasers, campos magnéticos ou luz visível.

Scanner 3D 

O uso de cada um desses métodos requer técnicas específicas para processar os dados e transformá-los em informações úteis. Contudo, a lógica de funcionamento de um scanner 3D é basicamente a mesma: a máquina sabe quais são as propriedades naturais da radiação que utiliza e verifica as alterações que ocorrem durante a interação com o objeto. 

Existe uma diferença de nomenclatura quando o scanner utiliza ou não a sua própria fonte de radiação.

Quando ela é externa (que é o caso da luz) o aparelho é chamado de passivo. Ao contrário, quando é interno, dá-se o nome de ativo. Também existem aqueles com sistemas híbridos, que combinam informações de lasers e luz natural, por exemplo. 

O que é um scanner 3D portátil?

Se a tecnologia já é, por si só, bastante útil em variadas aplicações, imagine ter um scanner 3D portátil para fazer modelos digitais de qualquer objeto que você tenha em casa! 

Já existem inúmeros aparelhos que permitem a digitalização em tamanho real de objetos e pessoas, alguns até sem utilizar computador, internet ou energia elétrica. 

Essa tendência lança ainda mais luz no já aquecido mercado de impressão 3D. Além de impressoras mais baratas, a chegada de scanners 3D acessíveis e de uso descomplicado permitirá que qualquer pessoa possa reproduzir objetos a qualquer momento, abrindo portas, inclusive, para quem deseja empreender no conforto de casa.

Scanner portátil

 

Existem aplicativos para Scanner 3D?

Existem no mercado diversos aplicativos para escanear peças, como o Trnio e o Qlone. Ter um app desses no celular pode ser uma ótima forma para melhorar o processo de impressão 3D e ganhar praticidade ao modelar objetos.

Como vantagem, os aplicativos são muito mais baratos que os equipamentos de digitalização, além de serem práticos de usar em qualquer situação.

Aplicativo de escaneamento

 

Contudo, é importante levar em consideração que o tempo do escaneamento feito por um celular deve demorar mais do que o trabalho de um equipamento profissional. Além disso, a possibilidade de acontecerem erros durante o processo é relativamente maior. 

Qual é o preço do scanner 3D?

Uma das dúvidas mais comuns entre o público que deseja ter um aparelho desse é justamente o valor, quanto custa um scanner 3D.

Assim como as impressoras 3D, também existem diversos modelos para fazer o escaneamento. Um scanner 3D profissional pode custar em torno de R$ 15 mil, enquanto um scanner 3D portátil, sendo modelo de entrada, pode ter o preço a partir de R$ 3 mil.

Vale a pena ter um?

Dizer se vale ou não a pena ter vai depender muito da maneira como cada usuário utilizará a tecnologia. Um equipamento do tipo pode ser bastante útil para quem está começando, mas pode não fazer tanta diferença para quem sempre produziu os seus próprios modelos digitais em softwares 3D.

Além disso, outro ponto que deve ser considerado é a complexidade da peça. Para um objeto mais simples, com dimensões que podem ser conferidas facilmente, o preço do scanner 3D pode não valer muito a pena. Já em caso de peças complexas a conversa pode ser outra!

Portanto, o ideal é fazer uma pesquisa minuciosa para saber da sua necessidade em relação a ter ou não um scanner para impressora 3D. 

Agora que você já sabe tudo sobre a tecnologia de um scanner 3D, que tal se aprofundar um pouco mais sobre a produção de modelos digitais? Este é um assunto de grande importância no mundo da impressão 3D. Lá no nosso blog tem um ótimo conteúdo sobre os 10 melhores softwares de modelagem 3D para projetos mecânicos.

Tenho certeza que ele vai te ajudar muito!

Abraço e até o próximo conteúdo!

Vídeo: confira o barco impresso em 3D de 7 metros e 2,2t!

Vídeo: confira o barco impresso em 3D de 7 metros e 2,2t!

Universidade do Maine cria barco impresso em 3D de 2,2 toneladas em 72  horas utilizando a maior impressora 3D do mundo.


A Universidade do Maine, nos Estados Unidos, entrou para o Guinness World Records com três anotações de uma só vez. O feito aconteceu no dia 10 de outubro, depois que uma equipe da Universidade usou a maior impressora 3D do mundo para fazer o maior barco já impresso que, por sua vez, também é o maior objeto já produzido com a tecnologia.

Confira no vídeo o processo completo:

Barco impresso em 3D

O barco foi carinhosamente chamado de 3Dirigo (trocadilho para Dirigo, lema em latim do estado do Maine) e demorou 72 horas para ficar pronto. A embarcação tem 7 metros de comprimento e custou cerca de 40 mil dólares. 

Após a impressão, foram realizados testes para simular o comportamento do barco em mar aberto, numa bacia artificialmente criada chamada W2 Wave-Wind. O momento foi um marco na história da Universidade de Maine, que segue na vanguarda de pesquisas e desenvolvimento de materiais de ponta para impressão 3D.

Segundo a Universidade, a maior impressora do mundo tem capacidade para fazer objetos de até 30 metros de comprimento, 6,5 metros de largura e 3 metros de altura.  A máquina imensa possui recursos de fabricação aditivos e subtrativos precisos e também permite prototipagem rápida para aplicações civis e de defesa.

O representante dos EUA no 2º distrito congressional do Maine, Jared Golden, ficou animado com todas as possibilidades que o sistema de impressão 3D pode permitir.

“O trabalho deles, com o barco e a impressora 3D que temos aqui, tem um potencial impressionante de mudar a maneira como produzimos todo tipo de material – incluindo a fibra de madeira”.

A Universidade também informou que o barco não é o maior objeto que pode ser construído utilizando a impressora 3D. A máquina tem a capacidade de fabricação de peças de 30 metros de comprimento por 7 metros de largura e 3 metros de altura.

Próximos projetos

Entre as próximas ideias de impressão está um sistema de abrigo para soldados que pode ser montado com muito mais rapidez que outros já existentes.

Fonte: The University of Maine

Fatiadores 3D: conheça os 3 softwares mais utilizados do mercado

O uso dos fatiadores 3D é indispensável para o processo de impressão. Com eles você vai configurar os parâmetros da sua peça, como altura de camadas, temperatura, preenchimento e muitas outras características. Conheça neste conteúdo um pouco mais sobre três deles: Simplify, Cura e o Slic3r.


Se você já tem ou pretende comprar uma impressora 3D é fundamental ter conhecimento sobre como funcionam os fatiadores 3D. Esses programas permitem que objetos sejam construídos, camada após camada, tendo como base modelos criados digitalmente. 

Uma boa compreensão das funcionalidades desses programas é vital para o resultado perfeito de cada impressão.

No conteúdo de hoje você vai aprender sobre os 3 fatiadores 3D mais utilizados do mercado: Simplify, Cura e o Slic3r. Então, confira agora o material e tire suas dúvidas!

O que são fatiadores 3D

Antes de tudo, você precisa saber que os fatiadores 3D são os programas responsáveis por transformar o modelo digital de um objeto num arquivo especial de formato GCODE. O programa tem a função de, literalmente, fatiar a peça em inúmeras camadas e definir as coordenadas que a impressora 3D deve seguir.

Dentro deste programa é possível definir a velocidade, a altura das camadas, a porcentagem de preenchimento da peça, os perímetros etc. 

Fatiadores 3D e o passo a passo da impressão

O fatiamento é a segunda de quatro etapas que fazem parte do processo completo de impressão 3D. Para ser fatiada, é preciso que a peça tenha sido criada antes num software de modelagem digital. Confira abaixo uma explicação sobre cada um dos estágios:

  • modelo 3D: Nesta primeira etapa, um arquivo digital da peça é criado em um software de modelagem 3D e serve como base para o restante do processo. Programas como o Solidworks, CATIA e o Solid Edge são alguns dos mais utilizados hoje em dia;
  • fatiamento: Feita a modelagem, o arquivo é transformado pelo fatiador 3D no formato GCODE. O fatiamento é a hora de definir os parâmetros de impressão e as características que a peça vai ter;
  • impressão: Esse é o momento que a impressora 3D realmente começa a funcionar. Ela inicia a fabricação do objeto de acordo com as coordenadas exatas definidas pelo fatiador 3D;
  • finalização: Após a impressão do objeto, é normal que alguma parte precise de finalização. Esse acabamento pode ser por meio de lixamento, remoção de material (Raft 3D, Skirt ou Brim) ou uso de solventes. 

Melhores fatiadores 3D

Como você pôde perceber, o fatiamento é uma parte muito importante num processo de impressão 3D. Por isso, é essencial utilizar bons programas durante os seus trabalhos. Veja a seguir quais são as melhores opções na opinião dos especialistas da 3D Lab:

Cura 3D

O Cura 3D é um programa gratuito, de código aberto, desenvolvido pela Ultimaker. Possui milhões de usuários em todo o mundo, de profissionais a iniciantes, e é considerados por muitos como o melhor software de fatiamento existente.

Seus perfis pré-definidos possibilitam uma introdução eficiente dos novatos ao mundo da impressão 3D. Além disso, possui mais de 200 configurações específicas que se adequam às mais variadas necessidades dos usuários. Veja mais alguns benefícios deste programa:

  • impressão de vários objetos ao mesmo tempo;
  • suporte aos formatos de arquivo STL, 3MF e OBJ;
  • código aberto;
  • integração direta com software de design e engenharia.
  • Fatiadores 3D

Simplify3D

Simplify3D é um software que possui diversos recursos de acabamentos e métodos de fabricação. Em relação à edição de suportes é, com toda a certeza, um dos que mais mais evoluiu. Além disso, permite fácil edição de tipos de preenchimentos, entre outras funcionalidades. Confira mais alguns pontos positivos:

  • configurações de fatiamento variáveis;
  • visualização animada da impressão;
  • impressão avançada com várias peças;
  • controle sobre o ponto inicial de impressão (evita resíduo indesejáveis na peça).

Contudo, o único porém do Simplify3D está no preço. Na contramão do Cura e do Slic3r, que são gratuitos, para obter este software é necessário pagar uma licença de 149 dólares (valor de outubro de 2019).

Fatiadores 3D

Slic3r

O Slic3r é uma outra opção entre os fatiadores 3D.

Como ponto positivo, ele é super veloz e funciona muito bem em computadores lentos. Também tem o recurso que mostra como a alteração de configuração afeta o objeto que será impresso. Além disso, esse fatiador também é open source.

Como desvantagem,  ele possui um perfil padrão muito amplo que pede conhecimentos específicos, atrapalhando a vida dos iniciantes. Além disso, peças grandes podem ter distorções indesejáveis.
Fatiadores 3D

Portanto, neste conteúdo você pôde aprender sobre fatiadores 3D e a função dos softwares dedicados mais populares. Viu que eles são de suma importância para todo o processo de impressão 3D e é preciso conhecê-los para saber imprimir com boa qualidade.

Agora, que tal você também conhecer mais sobre os tipos de filamentos para impressora 3D? Afinal, além de saber utilizar um fatiador 3D de qualidade, é fundamental entender as diferenças entre os filamentos existentes. Dominando as duas áreas é certo que a sua impressão 3D tem muito mais chance de sucesso!

Obrigado e até o próximo conteúdo!

Impressão 3D na Arquitetura: o que essa tecnologia pode fazer por você

A impressão 3D está revolucionando o mercado de arquitetura de forma intensa. Fazer parte disso não é só questão de escolha, mas também de adequação à realidade. Se muitos profissionais já estão utilizando a tecnologia e fazendo sucesso, será você que vai ficar de fora dessa?


Se você é arquiteto, provavelmente já deve ter passado pela infeliz situação de não ter o seu projeto aprovado, ou mesmo teve que modificá-lo totalmente. Na maioria das vezes isso acontece porque não é tão fácil transformar uma ideia em algo palpável e ainda utilizá-la para convencer outras pessoas sobre sua viabilidade.  

E se eu disser que existe um jeito mais fácil de resolver essa situação com o uso da impressão 3D na arquitetura?

Sem dúvida alguma, o uso da impressão 3D na arquitetura virou tendência no mercado atual. Já existem empresas que materializam os projetos para entregar aos clientes antes da fase de construção. Isso com certeza aumenta muito o valor agregado e pode facilitar as vendas. 

Todo o processo de impressão 3D é feito de forma relativamente simples: as impressoras 3D adicionam camada após camada de material, seguindo coordenadas pré-estabelecidas em softwares dedicados. Além disso, detalhes inacabados e pequenas imperfeições podem ser finalizados sem grandes problemas. Legal, não é mesmo? 

Existem inúmeros outros benefícios que a impressão 3D trouxe e ainda vai trazer para a área da arquitetura. Confira neste conteúdo as possibilidades incríveis que já estão ajudando a mudar esse mercado!

Como as impressoras 3D são aplicadas na Arquitetura?

Produção de sketches e desenhos digitais

Imagine que você está trabalhando numa grande ideia de projeto. Fez um sketch e um desenho digital, mas gostaria de ver esse projeto com detalhes mais realistas e tangíveis. Só que o seu tempo está corrido e uma possível modelagem vai demandar toda a sua dedicação. Por causa disso, o restante do trabalho ficará paralisado por algum tempo. O que você faria?

Eu no seu lugar usaria tudo o que a tecnologia de impressão 3D tem a oferecer! Com a utilização de uma impressora 3D, o trabalho que antes dependia da sua disposição e do seu tempo é gerado enquanto você pode cuidar de outros processos importantes.

Claro que nem todos os projetos serão impressos em minutos ou horas, mas com toda a certeza demandarão menos tempo do que se fossem feitos por mãos humanas.

Além disso, estruturas complexas são produzidas com alta qualidade e eficiência. Por este motivo, a utilização da impressão 3D na arquitetura tem ajudado na melhora permanente dos modelos da área.

Produção de sketches e desenhos digitais

 

Quais são os benefícios da impressão 3D na arquitetura?

Além da redução do tempo e aumento da produtividade e eficiência, podemos facilmente perceber mais alguns benefícios da impressão 3D na arquitetura. Tais como:

Design nota mil

Falhas relacionadas ao design, ao equilíbrio ou à engenharia poderão ser facilmente identificadas e resolvidas durante o processo de impressão 3D. Afinal, ninguém quer que algum erro prejudique o projeto já em fase de acabamento. Além do mais, o uso das máquinas de impressão ajuda a acelerar o lançamento do produto no mercado.

Outro ponto importante tem a ver com a liberdade criativa dos arquitetos no momento de construir o que foi projetado. Por meio da tecnologia das impressoras 3D, detalhes ou acabamentos podem ser facilmente realizados. Isso representa uma quebra profunda de paradigmas e maior independência do profissional em relação aos padrões da indústria.

Maior satisfação dos clientes

Se tem uma coisa na qual todos os profissionais e escritórios que utilizam a impressão 3D na arquitetura concordam é que as apresentações de projetos feitos nessas máquinas ajudam na comunicação com os clientes e ainda potencializam os fechamentos de contratos. 

As pessoas gostam de serem surpreendidas! Também gostam de saber cada detalhe, tocar e sentir. Os modelos 3D são perfeitos porque permitem uma interação mais precisa do contratante com o que realmente vai ser realizado. 

Maior satisfação dos clientes

 

Custo-benefício

Você pode estar pensando que devido a todos esses benefícios, o preço para obter e instalar um modelo de impressora 3D no seu negócio é bastante elevado. Contudo, a realidade é bem mais acessível do que você imagina.

Aqui na 3D Lab você encontra ótimas impressoras a partir de 2 mil reais. É um excelente investimento para profissionais e empresas de todos os portes. 

Custo-benefício

 

Possibilidades infinitas 

Não são só os pequenos projetos que podem ser feitos com as impressoras 3D. Na China, um equipamento de 7 metros de altura construiu uma casa inteira em 24 horas!

Além disso, a técnica evita o desperdício de material e possibilitou uma obra mais barata: metade do preço da construção original.

É claro que para construções desse porte e tipo a tecnologia é bem diferente, mas os princípios são os mesmos.

Devo investir em impressoras 3D? 

Como você pôde perceber, são inúmeros os benefícios que as impressoras 3D trazem para a área da arquitetura. E utilizar essa tecnologia é uma vantagem competitiva que auxilia na manutenção e atração de clientes

Imagine que você é um cliente e está esperando dois projetos: o primeiro feito por uma empresa que possui uma impressora 3D e o segundo por outra que faz maquetes manualmente. A primeira empresa te entrega o projeto em um dia e a outra só disponibiliza após uma semana e meia. Com qual você faria esse trabalho? Nem precisa responder, não é mesmo?

Portanto, ter uma impressora 3D para realizar os seus projetos não é só mera comodidade. Ela pode ser o diferencial que você precisa para conseguir mais clientes!

Aqui na 3D Lab você encontra todas as soluções disponíveis para impressão 3D no Brasil.

Então, se você quiser saber mais sobre como utilizar a impressão 3D na arquitetura, entre em contato conosco e vamos te atender com o maior prazer.

Até o próximo conteúdo!

Raft 3D, Brim e Skirt: entenda as diferenças entre esses recursos!

Técnicas como o Raft 3D, Brim e o Skirt possibilitam melhores resultados em impressões 3D. Elas permitem uma fixação mais eficiente do objeto na mesa durante a impressão, além de regular o fluxo de material.


O Raft 3D, Brim e Skirt são recursos fundamentais para uma impressão 3D perfeita! Quando o filamento não adere completamente à camada base podem ocorrer diversos problemas e nem sempre eles são notados ou acontecem logo no início da impressão 3D. Isso gera desperdício de filamento, de dinheiro e até mesmo do seu tempo. 

Por isso, uma pequena preparação extra no início dos trabalhos pode melhorar muito a confiabilidade de suas impressões. E isso pode ser feito com a utilização de alguma dessas três técnicas já bastante difundidas.

Você sabe dizer como esses recursos podem lhe ajudar a melhorar o seu processo de impressão? Veja neste conteúdo o momento certo para utilizar cada um deles e suas principais características!

O que é Raft 3D

O que é Raft 3D

 

O Raft 3D é uma camada horizontal descartável que fica sob a peça a ser impressa. O objeto é impresso na parte superior desta camada, em vez de diretamente na superfície de criação. O Raft é composto por um número pré-determinado de camadas, com uma porcentagem de preenchimento específica, que se estende a uma certa distância dos lados do objeto.

Essa técnica é utilizada principalmente com o filamento ABS para ajudar a controlar possíveis empenamentos e favorecer a aderência da peça à mesa de impressão. Como a área de superfície do Raft é maior que a base da peça, suas bordas são muito mais propensas à deformação, deixando a peça a salvo de qualquer possível inconveniente.

O Raft 3D é utilizado para auxiliar na estabilidade de modelos com apoios pequenos. Também serve para criar uma base sólida sobre a qual será construído o objeto. Assim, ele servirá de apoio para objetos maiores e também mais pesados.

Além disso, ele permite que as camadas inferiores entrem em contato com outra camada de plástico. Isso faz com que haja menos difusão do que a impressão na própria mesa.

No processo, se for utilizado um filamento solúvel, é necessário deixar um espaço entre o Raft e a peça. Essa distância ajudará na remoção após o resfriamento do objeto. Assim, desde que esteja configurado corretamente para o seu material, removê-lo mais tarde fica fácil.

Quando usar o Raft 3D

  • deformação: imprimir um Raft durante o trabalho utilizando o filamento ABS ajuda a evitar que a impressão se deforme;
  • maior aderência à mesa: a impressão do Raft também auxilia na obtenção de uma melhor aderência à mesa. Também ajuda a agir como uma precaução a falhas;
  • apoios pequenos: a peça a ser impressa pode ter apoios pequenos na base, sobre as quais uma estrutura pesada é construída. Nesse caso, recomenda-se criar um Raft como medida de segurança contra falhas.

Configuração para aplicação do Raft 3D

Aqui estão alguns termos para que você possa ajustar na sua impressora para obter melhores resultados ou simplesmente usar menos filamentos quando imprimir utilizando o Raft:

  • Raft Top Layers (Camadas superiores do Raft): é o número de camadas de interface impressas na parte superior do Raft. Seu modelo será impresso em cima dessas camadas. Então, normalmente coloca-se de 2 a 3 camadas para garantir uma superfície mais lisa;
  • Raft Base Layers (Camadas da base do Raft): é o número de camadas mais grossas na parte inferior do Raft. Essas camadas são impressas mais lentamente e com maior espessura para garantir uma forte ligação à plataforma de criação;
  • Raft Offset from Part (Deslocamento da peça): é a distância da borda que fica para fora da peça;
  • Separation Distance (Distância de separação): é a altura do intervalo de ar que fica entre a base e a peça. É um equilíbrio entre garantir que a peça esteja próxima o suficiente para aderir ao Raft quando a impressão começar e ter espaço de ar suficiente para garantir uma remoção fácil assim que a impressão terminar. Normalmente, ter uma folga de pelo menos 0,1mm ajudará a manter a peça conectada ao Raft, além de permitir uma fácil separação quando a impressão estiver completa;
  • Above Raft Speed (Acima da velocidade da base): é a configuração utilizada para personalizar a velocidade da primeira camada da peça impressa na parte superior da superfície do Raft. Usar uma velocidade lenta para essa camada também ajudará a peça a permanecer conectada ao Raft durante a impressão.

Como remover o Raft 3D da impressão

Após a impressão e resfriamento da peça você pode pegar o Raft e começar a retirá-lo da peça. Ficando assim um acabamento superficial de alta qualidade na parte inferior da sua impressão. Normalmente, o processo de retirada pode ser feito com as mãos, mas, para peças muito delicadas, você pode usar uma espátula fina ou uma pinça para ajudar.

Para isso, coloque a espátula ou uma faca larga entre a base da sua impressão e suavemente alivie esse lado. Quando uma borda é removida, é mais fácil retirar o restante. Ocasionalmente você pode precisar de uma lixa para suavizar a base.

As vantagens em utilizar o Raft 3D

Em certas impressoras 3D que têm uma base de grande dimensão e cujo nivelamento exato é muito difícil de conseguir, é aconselhável utilizar sempre o Raft, ao invés das outras técnicas. Pois o suporte, na maioria da vezes, é fácil de eliminar e não deixa praticamente nenhuma sobra na peça.

Ele proporciona menos problemas de deformação com materiais como o ABS. Também melhora a adesão à mesa, levando a maiores chances de sucesso na impressão. Além de a saída de impressão ser consistente e a primeira camada mais forte.

As desvantagens em utilizar o Raft 3D

Algumas das desvantagens de usar o Raft 3D podem ser relacionados com as configurações de impressão, em que ele pode ser difícil de remover, especialmente com um Raft 3D mais denso.

Além disso, a parte inferior não será aquela super lisa de quando a peça é impressa diretamente sobre a superfície da mesa (acabamento áspero na camada inferior do modelo).

Ainda existe a possibilidade de quebrar a peça ao removê-lo, especialmente com componentes de modelo pequenos.

O que é Brim

O que é Brim

 

O Brim é uma técnica especial que é anexada às bordas do modelo. Normalmente, ele é impresso com um número maior de contornos para criar um grande anel em torno da peça. Assim, assemelhando-se à borda de um chapéu. As bordas do Brim costumam ser usadas para segurar as bordas da peça, o que pode impedir o empenamento e ajudar na adesão à mesa.

Ele é basicamente um contorno de plástico que é colocado na primeira camada do modelo, proporcionando uma melhor aderência à superfície de impressão. Ele não se estende sob a impressão como o Raft, e sim apenas da borda da impressão até uma distância definida.

Quando usar o Brim

O Brim pode ser uma opção melhor que o Raft (que também ajuda na aderência) em certas situações, já que a borda pode ser impressa muito mais rapidamente e usar menos filamento. Ele também pode ajudar a evitar empenamentos que podem ocorrer durante impressões utilizando filamentos ABS.

Embora não seja especialmente necessário para imprimir com filamentos como o PLA, o Brim ainda facilita a remoção das impressões. Dessa forma, os usuários podem adicionar ele como uma precaução de segurança.

Raft 3D e Brim

Tanto o Raft 3D quanto o Brim ajudam na aderência e ambos podem ser usados para estabilizar objetos que possuem pontos de contato muito pequenos com a superfície de impressão. No entanto, para objetos menores ou mais delicados, o Brim pode ser melhor utilizado do que o Raft 3D, pois ele tem apenas contato com a borda externa do modelo através de uma camada muito fina.

Alguns materiais, como o ABS, podem sofrer deformação durante o processo de resfriamento. Por isso pode valer a pena utilizar o Brim para ajudar na adesão, mais ainda nas estruturas de suporte, que tendem a ser muito pequenas e geralmente são interrompidas durante a impressão. Assim, é sempre uma boa ideia imprimir suportes com Brim.

Configuração para aplicação da técnica

Para configurar um Brim no Simplify3D, defina o deslocamento para 0 mm, de modo que a aba esteja tocando as bordas do seu modelo. Em seguida, aumente o número de contornos para 5 ou mais para criar um anel largo em torno de sua peça. Você pode aumentar ainda mais o número de contornos se precisar aumentar a área de superfície da aba para uma adesão extra.

Agora, quando você começar a imprimir, o Brim servirá como escora e como assistente de adesão! Após a conclusão da impressão, a borda fina deve se soltar facilmente da parte sólida. Se você achar que ele está preso com muita firmeza, pode aumentar ligeiramente a compensação da aba para 0,1 ou 0,2 mm para adicionar um pequeno espaço entre a aba e a peça.

Como remover o Brim da impressão 3D

Após a impressão e resfriamento basta retirá-lo da peça a qual ele está anexado. Você pode querer lixar a base da impressão, se houver alguma seção grossa sobrando. Uma ferramenta de rebarbação também é uma ótima maneira de remover o Brim.

As vantagens de utilizar o Brim em relação ao Raft 3D

Evita problemas de deformação de materiais como o ABS, além de melhorar na adesão da mesa, levando a maiores chances de sucesso na impressão. Normalmente é fácil de remover em comparação com o Raft 3D. Seu acabamento é mais suave, pois a borda apenas toca a parte externa da impressão. E sua principal vantagem em relação ao Raft 3D é a menor quantidade de material utilizado para posterior descarte.

As desvantagens do Brim

Os pontos de contato com a peça devem ser lixados para um bom acabamento superficial. Existe ainda a possibilidade de quebra da peça ao remover a aba, especialmente com pequenos componentes do modelo.

O que é Skirt

O que é Skirt

 

Essa é a técnica mais comum utilizada na impressão 3D. Ela consiste em fazer um contorno envolvendo a peça, mas que não a toca em nenhum ponto.

A técnica consiste em imprimir uma “saia” ao redor de onde ficará a peça antes de começar a imprimi-la. O Skirt tem como finalidade regular o fluxo de filamento e garantir que, ao imprimir a peça, o material esteja de acordo.

Certamente, essa é uma excelente maneira de saber como o equipamento está funcionando e como o material está fluindo. É fácil garantir que o material esteja fluindo adequadamente e sendo colocado corretamente antes que a impressão do modelo seja iniciada.

Para isso, basta utilizar um Skirt com apenas algumas camadas impressas a uma velocidade relativamente baixa, para que se possa ver o que está acontecendo. Se a impressão do Skirt ocorrer da maneira correta, basta deixá-la continuar.

Porém, se isso não acontecer, você pode cancelar a impressão e ter tempo para fazer os ajustes necessários, economizando tempo, dinheiro e matéria-prima.

Quando usar o Skirt

Mesmo um Skirt com poucas camadas ajuda a garantir uma excelente impressão 3D.

Portanto, é aconselhável utilizar o Skirt em qualquer impressão, pois ele auxilia em algumas funções úteis para preparar a extrusora e detectar qualquer problema de impressão antes de começar a imprimir a peça.

Configuração para aplicação da técnica

  • extrusão do Skirt: o primeiro passo é escolher a extrusora que será utilizada para imprimir o Skirt. Isso permite que você já inicie o processo de impressão com várias extrusoras. Se você quiser todas as suas extrusoras, selecione a opção “Todas as Extrusoras”. Essa etapa, claro, é necessária se tiver mais de uma extrusora;
  • camadas do Skirt: definir quantas camadas você deseja incluir no seu Skirt. Normalmente, é uma preparação para extrusora. Mas pode ser uma segunda opção para ajudar a criar um Skirt mais robusto que pode ser retirado da cama mais facilmente;
  • distância entre o Skirt e a peça: definir quão longe as bordas ficarão da sua peça;
  • contornos do Skirt: é a quantidade de loops que você pode imprimir em torno do seu modelo. Caso precise preparar a sua extrusão com mais filamento deve-se aumentar este valor.

As vantagens do Skirt

  • ajuda na verificação da extrusora;
  • detecta problemas durante a impressão;
  • usa menos material do que o Raft ou o Brim;
  • verificação simples antes do início da impressão, o que pode economizar tempo, esforço e dinheiro;
  • ajuda na definição da área de impressão.

As desvantagens

  • Uma pequena rebarba descolada pode atrapalhar o início da impressão. Portanto, fique atento ao iniciar qualquer trabalho e tenha sempre uma pinça em mãos para retirar qualquer fiapo que posso atrapalhar a construção da primeira camada.

Portanto, vimos que tanto o Raft, quanto o Brim e o Skirt são maneiras fáceis de melhorar o resultado de sua impressão 3D. Vale lembrar que apesar de você usar mais filamento quando as utiliza, essas técnicas lhe ajudam a poupar o insumo de uma impressão que não deu certo por problemas que elas poderiam evitar.

Em resumo, toda precaução é válida quando se trata de obter melhores resultados em sua impressão 3D.

Agora que você conhece um pouco mais sobre essas 3 técnicas de auxílio em sua impressão 3D não tem mais desculpas para deixar sua impressora parada ou ficar lutando para conseguir aderência e resultados perfeitos!

E então, conseguimos tirar suas dúvidas quanto às diferenças entre o Brim, Raft 3D e Skirt? Deixe seu comentário aqui e participe dessa discussão!

Tutorial do Tinkercad: aprenda a utilizar esse aplicativo em sua modelagem 3D!

Tutorial do Tinkercad: aprenda a utilizar esse aplicativo em sua modelagem 3D!

Quer um software de modelagem 3D bem simples e gratuito? Então você precisa conhecer o Tinkercad! Essa ferramenta permite que você crie peças bem legais e de forma rápida e fácil. Neste conteúdo vamos mostrar como mexer na ferramenta.


Uma das principais dificuldades de quem utiliza a impressão 3D está na modelagem das peças. Muitas vezes nós sabemos o que queremos e precisamos imprimir, mas não temos o conhecimento para colocar isso em prática em um software de modelagem 3D. Para complicar, alguns desses softwares são bem complexos e caros! No entanto, você já ouviu falar no Tinkercad?

Esse aplicativo da Autodesk é provavelmente o mais fácil e acessível para criar modelos 3D. Nenhuma experiência anterior em modelagem 3D é necessária, e o melhor de tudo: ele é totalmente gratuito e utilizado online.

Ficou animado em tornar seu processo de criação mais simples? Então, neste tutorial você conhecerá as principais ferramentas que o aplicativo Tinkercad tem a oferecer. Depois de ler garanto que a modelagem 3D não será mais um problema!

O que é o Tinkercad

O que é o Tinkercard

O Tinkercad é uma coleção de ferramentas de softwares, online e gratuita, para quem deseja criar de forma bastante simples e intuitiva modelos em 3D. 

Utilizando essa ferramenta você tem acesso a diversas formas geométricas para construir o seu projeto. O slogan do Tinkercad  traduz muito bem sua funcionalidade: “da mente ao projeto em minutos”…

Para utilizar o a ferramenta basta criar uma conta gratuita no site.

Principais ferramentas

Embora o Tinkercad seja perfeito para iniciantes, isso não significa que aqueles que têm mais experiência com modelagem 3D não gostarão desse software.

A ideia principal da ferramenta é que você crie modelos mais complexos a partir da composição de várias formas simples

Além disso, o software permite adicionar circuitos eletrônicos aos projetos 3D para criar objetos com luz e movimento. O resultado final pode até ser simulado no software para verificar como os componentes responderão na vida real.

O Tinkercad disponibiliza formas como esferas, cilindros, caixas, cones, textos, números, conectores que podem compor o seu projeto.

Usando essas formas você poderá  agrupar, duplicar, desagrupar, alinhar ou espelhar até conseguir chegar em um resultado satisfatório para sua modelagem.

Principais ferramentas

E para quem deseja imprimir o modelo construído no Tinkercad a boa notícia é que você conseguirá exportar seu arquivo em formato STL ou OBJ para então fazer as configurações de pré impressão no fatiador de sua preferência (nós utilizamos o CURA).

Download TinkerCad 

Uma das principais vantagens do Tinkercad é que você não precisa fazer o download para utilizá-lo. Basta acessar o site, se cadastrar e começar a modelar!

Porém, se você tem um Ipad, conseguirá fazer o download da ferramenta. 

Os dispositivos compatíveis são:

  • iPad Mini;
  • iPad;
  • iPad Pro com iOS 12 ou superior.

O desempenho para modelagem no app varia de acordo com o modelo que você está utilizando. 

Iniciando no Tinkercad

Como já dito, o Tinkercad é um aplicativo online, ou seja, não é preciso baixá-lo. No entanto, para utilizá-lo é necessário criar uma conta.

1. Para começar, acesse o site do Tinkercad clicando aqui. Clique em “Inscrever-se” no canto superior direito (se você ainda não tiver uma conta criada, caso contrário basta realizar o login clicando em “Entrar”).

 

2. Na tela de cadastro você escolherá o país e colocará sua data de nascimento. Então clique em “Avançar”.

3. Digite seu e-mail e a senha escolhida. Aceite os termos de serviço e privacidade e clique em “Criar conta”.

 

4. Com a conta criada o aplicativo abrirá automaticamente a tela inicial com o tutorial de primeiros passos. Caso queira pular essa etapa basta clicar no “X” do lado direito.

Conhecendo os recursos

O Tinkercad utiliza o mesmo princípio do Lego. Nele, você trabalhará principalmente com formas pré-definidas e estruturas geométricas. Você pode adicionar ou subtrair peças para criar furos ou objetos ocos.

  • O primeiro passo para começar o seu projeto é clicar em “Criar novo design”.

  • A tela de trabalho se abrirá como a mostrado abaixo:

  1. o retângulo vermelho indicado com o número 1 refere-se às listas de formas, textos e demais recursos que o aplicativo tem a oferecer;
  2. o segundo retângulo mostra os recursos de “Copiar” (Ctrl+C), “Colar” (Ctrl+V), “Duplicar” (Ctrl+D), “Excluir” (Delete), “Desfazer” (Ctrl+Z) e “Refazer” (Ctrl+Y);
  3. o retângulo de número 3 contém as funções mais importantes, que são “Mostrar tudo” (Ctrl+Shift+H), “Agrupar” (Ctrl+G), “Desagrupar” (Ctrl+Shift+G), “Alinhar” (L) e “Virar” (M);
  4. o recurso indicado pelo retângulo vermelho de número 4 é utilizado para movimentação do plano de trabalho. O Plano de trabalho também pode ser movimentado clicando com o botão direito do mouse sobre ele e segurando ao mover em diferentes direções.

Começando a modelar com o Tinkercad

Chegou a hora de iniciar seus projetos no Tinkercad! Como exemplo vamos mostrar um modelo de identificador de mala. Mas você pode explorar a criatividade, uma vez que o aplicativo lhe permite isso.

Passo 1: utilizando a forma “Caixa”

  • O principal ao iniciar o seu projeto é adicionar a ferramenta “Régua” (localizada no canto direito superior) para seu plano de trabalho. Assim você terá sempre sua referência de medidas.
  • Agora arraste a forma “Caixa” para iniciar sua modelagem.

  • Clique sobre a forma e depois sobre algum dos quadrados brancos que aparecerão ao seu redor. Assim você conseguirá dimensioná-la. Para esse exemplo foi utilizado 100 mm de comprimento por 30 mm de largura.

  • Para alterar a altura da peça clique no quadrado branco localizado no centro da mesma. Nesse exemplo foi utilizada a altura de 0,8 mm.

Passo 2: utilizando a forma “telhado arredondado”

  • Para a curva lateral da peça pode-se utilizar duas formas diferentes, o cilindro (colocando metade dele para dentro da peça retangular), ou o telhado arredondado. Nós utilizamos o telhado arredondado, girando-o 90º no plano XY e posteriormente 90º no plano Z.

  • Em seguida altere as dimensões do telhado para 10 mm de comprimento, 30 mm de largura e 0,8 mm de altura (clicando nos quadrados brancos assim como foi feito na peça anterior).

Passo 3: alinhando as partes

  • Encoste as duas peças (elas não precisam estar alinhadas ainda). Para alinhá-las clique sobre uma delas, segure “Shift” e clique sobre a outra peça. Em seguida, no canto superior direito, selecione a ferramenta “Alinhar”. Aparecerão pontos pretos para você escolher o tipo de alinhamento. Nesse caso, alinhamos as peças centralizadas.

Passo 4: agrupando as partes

  • Agora iremos agrupá-las! Para isso basta manter as partes selecionadas e ainda no canto superior direito, selecione a opção “Agrupar”. Então as duas peças passarão a ser apenas uma.

Passo 4: fazendo um furo na peça

  • Existem duas formas de fazer um furo cilíndrico. A primeira é selecionando o cilindro cinza (que já representa um orifício). Enquanto isso, a segunda é selecionar o cilindro sólido e alterá-lo para orifício.
  • Arraste o cilindro por sobre a peça, altere suas dimensões para 10 mm de diâmetro e alinhe as duas peças.

  • Selecione as duas formas e clique “Agrupar”. Aonde estava o cilindro será feito um furo na peça como mostrado abaixo.

Passo 5: acrescentando o texto

  • Do lado direito selecione “Text and Numbers”.

  • Arraste a ferramenta “Texto” para dentro da peça. Abrirá uma aba lateral denominada “Forma” nela você pode alterar o “Texto” e a “Fonte”. Nesse exemplo foi utilizada a fonte Sans e as dimensões do texto foram: 80 mm de comprimento, 20 mm de largura e 1,6 mm de altura.

Obs.: a altura utilizada para o texto foi de 1,6 mm a partir do plano de trabalho, uma vez que a peça e o texto estavam encostados na mesa.

  • Por fim, o último passo é agrupar as partes e exportar como STL através da ferramenta “Exportar” localizada no canto superior direito.

E pronto! O modelo está finalizado e já pode ser fatiado e impresso!

Passo 6: imprimindo

  • Após ter o seu projeto salvo em STL basta abri-lo em um software de fatiamento de sua preferência, alterar as configurações de impressão e manda imprimir em sua impressora 3D.

Obs.: Nesse exemplo imprimimos a peça em apenas uma cor de filamento. Caso queira imprimir com mais de uma cor recomendamos ler também nosso artigo sobre impressões 3D coloridas.

Mais fácil do que você imaginava, não é mesmo? O Tinkercad realmente possibilita explorar a criatividade sem muitas dificuldades, pois definitivamente ele é um ótimo aplicativo para quem está iniciando no ramo e até mesmo para facilitar a vida de quem não quer perder muito tempo modelando projetos mais simples.

Então, agora que você já sabe utilizar o Tinkercad, que tal colocar esse conhecimento em prática? Crie agora mesmo o seu modelo, imprima e compartilhe nas suas redes sociais! Marque a nossa página para vermos o resultado!

Como ganhar dinheiro com impressora 3D! Veja as dicas mais lucrativas!

Como ganhar dinheiro com impressora 3D! Veja as dicas mais lucrativas!

Você sabe como ganhar dinheiro com impressora 3D? Essa tecnologia está despertando cada vez mais a curiosidade e desejo das pessoas em adquirir uma máquina, mas como utilizá-la da melhor forma ainda é uma dúvida comum. Empreendedores começaram com uma impressora e hoje estão com uma nova fonte de renda.


Sem tempo para ler? Ouça este conteúdo clicando no player abaixo!

Quem não gostaria de ter uma nova fonte de renda? Saber identificar as oportunidades de mercado e as melhores maneiras de explorá-las pode fazer toda a diferença e gerar lucros bem expressivos. Pensando em impressora 3D, existem diversas formas de ganhar dinheiro com ela.

Em um momento de crise política e financeira, buscar as oportunidades pode ser a grande saída para sair do vermelho e ser dono do seu próprio negócio de sucesso!

Então, criamos este material para lhe mostrar o que você precisa saber para ganhar dinheiro com uma impressora 3D. Se você tem uma impressora parada em casa ou se está buscando uma nova fonte de renda, tenho certeza que vai adorar este conteúdo. Vamos conferir?

É fácil ganhar dinheiro com impressão 3D?

Hoje tornou-se comum vermos pessoas ou empresas prometendo maneiras incríveis de ganhar dinheiro, de forma fácil e rápida. Nossa primeira dica é para ter muito cuidado com isso! Sempre é bom duvidar das promessas e avaliar se há casos de sucesso, se outras pessoas realmente estão tendo lucro com as ideias que são propagadas.

No nosso caso, pensando em como ganhar dinheiro com impressora 3D, a primeira coisa que vamos destacar é que não existe mágica! Você não começará a ganhar dinheiro só porque comprou uma impressora. É necessário estudar, conhecer o melhor nicho de mercado, buscar clientes, se diferenciar.

Por isso não quero fazer uma falsa propaganda, dizendo que é fácil ganhar dinheiro com impressão 3D. No entanto, se a pergunta for: é possível ganhar dinheiro com impressora 3D? Aí a resposta é sim, e muito!

Como ganhar dinheiro com impressora 3D?

Agora, vamos entrar nos principais nichos para saber como ganhar dinheiro com impressora 3D!

Explore o mercado de produtos personalizados

Uma das grandes vantagens da impressão 3D se comparada com outros processos de fabricação é a capacidade de personalizar produtos sem ter gastos extras com isso. Por exemplo, na usinagem, para personalizar um produto você vai gastar com ferramental, tempo de setup e outras diversas pendências. Na impressão 3D isso não é necessário! Basta ter um arquivo com o modelo.

Então, projetos únicos são ótimas opções para você explorar. A Nike e Adidas já estão lançando tênis com partes impressas, justamente pensando na possibilidade de customização para o cliente.

 

Estude as aplicações na odontologia

O mercado odontológico é outro que está de olho nas aplicações da impressão 3D. Usar moldes de gesso pode estar com os dias contados, isso porque utilizar um molde impresso é muito mais interessante.

 

Além disso, os profissionais estão buscando a tecnologia para treinamento e preparação de cirurgias. O cirurgião dentista pode ter uma réplica da região a ser operada no paciente e simular toda a intervenção cirúrgica antes do procedimento, tomando as melhores decisões.

Ofereça soluções de engenharia e arquitetura

Os setores de engenharia e arquitetura são outras opções para você oferecer seus serviços ou produtos de impressão 3D. Protótipos impressos podem substituir peças feitas artesanalmente, que levam muitos dias para serem fabricadas.

No caso da arquitetura, maquetes e itens de demonstração podem ser usados para agregar valor aos projetos e fazer total diferença no momento da venda.

 

Não se esqueça da gastronomia

Por fim, não podemos nos esquecer da gastronomia! Você acredita que há muitos empreendedores ganhando dinheiro imprimindo cortadores de biscoito? Sim, esse mercado é altamente interessante e lucrativo! Um simples cortador consegue reunir personalização e tornar a sua criação uma verdadeira obra de arte culinária!

 

Quais são os primeiros passos?

Para criar o seu negócio é importante que siga alguns passos. Isso vai garantir que você não invista sem ter um direcionamento, um foco. Veja quais são os primeiros passos para abrir o seu negócio de impressão 3D:

Procure um mercado que você já conheça

Muitos dos nossos clientes aqui da 3D Lab já enviaram mensagens perguntando exatamente como ganhar dinheiro com impressora 3D. Muitos deles já alcançaram sucesso e são donos de negócios altamente lucrativos. Alguns destes nasceram como uma opção de segunda renda e se transformaram na renda principal!

Se você também está buscando isso, o primeiro passo é entender que a tecnologia de impressão 3D é bastante ampla e a principal característica da impressora é a versatilidade. Como uma mesma máquina é capaz de imprimir peças de diversas aplicações e mercados, mas você deve escolher um nicho para atacar.

Por exemplo, se você deseja comprar uma impressora 3D para oferecer o serviço de impressão, seria interessante que focasse em um tipo de mercado, como o odontológico, por exemplo. Dessa forma você pode conhecer melhor o seu público, saber quais são as necessidades e o que precisa ser feito para atendê-lo.

O ideal é que você já conheça esse mercado escolhido. Isso é interessante porque aí você já pode ter uma lista de potenciais clientes, empresas do setor que podem se interessar, saber onde procurar essas personas e outras informações relevantes para o negócio.

Faça pesquisas com o público

Depois de definir qual mercado vai atacar é hora de fazer pesquisas com esse público. Procure saber quais são as reais necessidades, se essas pessoas já conhecem a impressão 3D, as características das peças impressas.

Essa pesquisa é fundamental para você começar a traçar suas estratégias comerciais.

Veja se já existe algum concorrente

Será que o mercado que você escolheu já tem algum profissional trabalhando com impressão 3D? Nem sempre a concorrência é uma coisa ruim! Na verdade, se já existem concorrentes isso pode mostrar que aquele nicho realmente é interessante! Nesse caso, você pode avaliar o que esses concorrentes estão deixando passar e como você pode se diferenciar.

Formule seu plano de negócio

Com todas essas definições chega a hora de formular o seu plano de negócio. Nele você deve colocar as informações mais importantes, como o seu objetivo, o mercado que será alvo, as características do público, concorrência, estratégias e demais informações relevantes.

Estude sobre qual impressora 3D comprar

 

Um passo muito importante é saber qual impressora 3D comprar, uma vez que isso pode influenciar diretamente o seu negócio. Aqui na 3D Lab nós oferecemos diversas marcas de impressoras, nacionais ou importadas. Os preços variam bastante, desde impressoras totalmente acessíveis até modelos profissionais, focados em produtividade e performance.

Para escolher a impressora 3D para comprar é necessário analisar quais serão os tipos de peças criadas, os materiais, dimensão das impressões. Estude também sobre a empresa fornecedora da impressora. É fundamental que seja uma marca referência, com suporte especializado para lhe atender sempre que necessitar.

Se precisar de ajuda sobre qual impressora 3D comprar, entre em contato com a gente preenchendo o formulário abaixo. Nós vamos entrar em contato para fazer algumas perguntas e indicar o modelo ideal para atender as suas necessidades.

Crie seu portfólio e invista em marketing

Por fim, depois que você já sabe qual o mercado vai atacar, já escolheu e comprou a sua impressora 3D e já tem clientes, chega a hora de estruturar o processo de marketing e vendas. “Ah mas o meu negócio é pequeno, é só eu mesmo”. Mesmo que você esteja sozinho no empreendimento, que é completamente normal no início, você deve criar um conjunto de estratégias.

Monte um portfólio com o que você oferece, alguns trabalhos já realizados e divulgue isso nos canais de comunicação que seu público utiliza.

Então, vimos neste artigo algumas maneiras e nichos de mercado para saber como ganhar dinheiro com impressora 3D. Analise os passos que indicamos para que consiga ter sucesso, optando pelas melhores opções.

É totalmente possível ganhar dinheiro com impressão 3D, mas depende muito de você saber como fazer isso, além da sua dedicação, claro!

Este conteúdo também está disponível para você baixar. Para isso, basta clicar aqui.

Se você já fez um bom estudo, tem o seu negócio bem desenhado e agora quer saber qual impressora 3D comprar, baixe o nosso e-book sobre todas as considerações que você deve tomar para fazer a escolha ideal!

Empresa referência em impressão 3D. Impressoras, filamentos e resina para impressão 3D, cursos, manutenção e prototipagem.

Endereço

Rua Toyota, n°490, Jardim Piemont - Betim - MG 
A 20 min do centro de Belo Horizonte.

Horário de funcionamento

08:00 às 17:00 | Segunda à sexta-feira

Dúvidas gerais | Suporte | Vendas

Nossas redes

Este site é protegido pelo reCAPTCHA, a Política de Privacidade e os Termos de Serviço do Google se aplicam.
3D Lab Industria Ltda.
CNPJ 20.212.019-0001/09
0