Em compras acima de R$400,00 o frete é grátis! *Promoção valida para os estados do Sul e Sudeste, Exceto para impressoras 3D

Tag: 3d lab

Decoração de Natal: 5 arquivos práticos para imprimir hoje!

Se você ama decoração de Natal e tem uma impressora 3D, vai adorar este conteúdo! Separamos 5 ideias de peças legais para deixar a sua casa ou o seu trabalho com o maior clima natalino!


Fazer a decoração de Natal é, sem dúvida alguma, um dos momentos mais aguardados do ano para muitas famílias. Para quem tem uma impressora 3D em casa essa tarefa pode ser ainda mais divertida e prazerosa. Isso porque existem inúmeros arquivos natalinos disponíveis na internet!

Neste conteúdo você vai conferir 5 ideias sensacionais de impressão 3D para deixar o seu Natal mais especial. Veja abaixo o que preparamos!

Arquivos para decoração de Natal

1. Bonecos articulados

1. Bonecos articulados

 

Nosso primeiro arquivo da lista é mais que especial! O Papai Noel, os duendes e as renas em versão mini deixarão qualquer ambiente mais legal!

Se você não quiser pintar as peças, é interessante que imprima cada uma delas de cores diferentes.

Faça um teste com o nosso filamento ABS Premium Natural e nos conte como ficou!

Os arquivos estão disponíveis gratuitamente aqui.

2. Estrela dourada

2. Estrela dourada

 

Toda árvore de Natal tem que ter uma estrela no topo, não é mesmo? Melhor ainda se ela for dourada como essa da foto! Se a sua impressora 3D está parada em casa e o tempo está escasso para comprar a decoração de Natal, esse arquivo vai ser uma mão na roda!

A dica aqui é imprimir utilizando o filamento PLA Dourado 3D Lab. A qualidade de impressão e o brilho do material farão a diferença no aspecto final da peça!

Baixe o arquivo gratuitamente aqui.

3. Mini árvore de natal

3. Mini árvore de natal

 

Quer enfeitar a sua mesa de trabalho ou espalhar o espírito natalino na sua casa? Então este arquivo é o ideal!

Uma pequena árvore na qual podem ser penduradas bolinhas como as de bijouterias. Fica bem legal em cima do móvel da sala ou do criado mudo. E o melhor de tudo: serve como uma ótima opção de presente!

A impressão é bem rápida e o nosso ABS Verde tem a cor ideal para a copa da árvore.

Acesse este link e baixe agora esse arquivo!

4. Bolinhas coloridas

4. Bolinhas coloridas

 

Assim como a estrela no topo, toda árvore de Natal precisa ter as bolinhas de enfeites! Então, melhor do que comprá-las é usar a sua impressora 3D para imprimi-las!

Para o filamento, utilize nosso PLA fosforescente. A sua árvore vai brilhar até mesmo no escuro!

Clique aqui e baixe o arquivo!

5. Caixinhas de presente

5. Caixinhas de presente

 

Para colocar no pé da árvore você pode colocar essas caixinhas de presente! Elas servem como decoração de Natal ou até mesmo para colocar um presente de verdade. Para isso é só aumentar a escala do arquivo.

Baixe o arquivo gratuitamente no site do Thingiverse.

São vários arquivos para decoração de Natal que você pode imprimir. Porém, a data já está chegando! Então se você ainda não começou a se preparar, não perca tempo.

Todos os filamentos que você vai precisar estão disponíveis na nossa loja virtual. Acesse agora e garanta seus materiais!

Creality 3D: conheça e compare as principais impressoras 3D da marca!

A Creality 3D é uma fabricante chinesa bem conhecida no mundo inteiro. Modelos de sucesso, como a Ender 3, Ender 5 e a CR-10 foram desenvolvidos pela marca e atendem diversos mercados e públicos.


A Creality 3D é uma das empresas mais conhecidas no mundo da impressão 3D. Com a fabricação de várias impressoras, a marca chinesa conseguiu trazer alta qualidade com preços acessíveis para os usuários.

No Brasil, a 3D Lab é representante oficial da marca Creality e nós trazemos diversos modelos de impressoras para o mercado brasileiro.

No entanto, escolher qual impressora 3D é a melhor para sua necessidade não é uma tarefa simples. Por isso, criamos este conteúdo para que você conheça os principais modelos de impressoras fabricados pela Creality e as diferenças entre elas. Acompanhe!

Por que a Creality 3D é tão popular no mundo?

A Creality conquistou o mercado mundial por oferecer produtos de alta qualidade com uma ótima relação de custo e benefício.

Com um leque bem variado de opções para as impressoras 3D, a marca chinesa conseguiu quebrar fronteiras e exportar suas máquinas para todos os cantos do mundo.

A empresa oferece impressoras 3D, insumos e também acessórios. Dentro da categoria de impressoras há ainda aquelas que são voltadas para uso industrial, impressoras de resina ou aquelas que se encaixam no termo DIY (Do It Yourself).

Essa última categoria será o foco deste conteúdo. Essas máquinas são vendidas em forma de kit para que o cliente a monte, mas não é nada complicado ou que requer um bom conhecimento de eletrônica e montagem.

No próximo tópico você conhecerá os principais modelos e suas características.

O que fazer na quarentena impressora 3d

Quais são as principais impressoras 3D Creality?

 

1. Ender 3

Creality 3D: conheça e compare as principais impressoras 3D da marca!

O primeiro lugar da nossa lista é para a impressora mais famosa e vendida da marca: a Ender 3.

Essa poderosa impressora open source conquistou prêmios, sendo considerada a melhor impressora 3D desktop de baixo custo. De fato, ela consegue entregar uma excelente qualidade e com um preço baixo.

Segundo o fabricante, em 2018 foram vendidas mais de 200.000 unidades da impressora 3D Ender 3 ao redor do mundo! Esse número explica um pouco a sua grande popularidade.

Confira os dados técnicos fornecidos pelo fabricante:

  • Tecnologia: FDM
  • Área de impressão: 220x220x250 mm
  • Velocidade de impressão: até 180 mm/s (recomendado 60 mm/s)
  • Superfície de impressão: mesa aquecida até 110°C
  • Temperatura de extrusão: até 255°C
  • Resolução: 0,1 a 0,4mm
  • Precisão: +/-0,1mm
  • Materiais compatíveis: PLA, ABS, Flex e outros
  • Características especiais: mesa com rápido aquecimento (5 minutos até chegar em 100°C), adesivo de fixação na mesa para fácil remoção da peça, recuperação de impressão em caso de queda de energia.

Quer comprar a impressora 3D Ender 3? É só clicar no botão abaixo!

Compre aqui

2. Ender 3 Pro

Creality 3D: conheça e compare as principais impressoras 3D da marca!

 

A Ender 3 Pro é uma evolução da Ender 3 comum. Ela traz algumas alterações interessantes. A qualidade das duas é bem similar, o que muda, basicamente, é que o modelo Pro tem mesa magnética, uma fonte mais potente, o cooler de resfriamento foi reposicionado e o eixo Y foi reforçado.

Confira os dados técnicos fornecidos pelo fabricante:

  • Tecnologia: FDM
  • Área de impressão: 220x220x250 mm
  • Velocidade de impressão: até 180 mm/s (recomendado 60 mm/s)
  • Superfície de impressão: mesa aquecida até 110°C
  • Temperatura de extrusão: até 255°C
  • Resolução: 0,1 a 0,4mm
  • Precisão: +/-0,1mm
  • Materiais compatíveis: PLA, ABS, Flex e outros
  • Características especiais: mesa magnética e com rápido aquecimento (5 minutos até chegar em 110°C), recuperação de impressão em caso de queda de energia, cooler da peça em nova posição para evitar perda de eficiência, fonte mais potente.

Quer comprar a impressora 3D Ender 3 Pro? É só clicar no botão abaixo!

Compre aqui

3. Ender 5

Creality 3D: conheça e compare as principais impressoras 3D da marca!

 

A Ender 5 é uma outra impressora 3D Creality bem interessante. Ela possui a área de impressão igual a da Ender 3 (220x220mm), mas com uma altura superior, ganhando 50mm e alcançando as medidas de 220x220x300mm.

Uma diferença que é bem notável da Ender 5 para sua irmã menor é a estrutura. A 5 tem uma estrutura que forma um retângulo e isso pode dar mais estabilidade para os movimentos.

Apesar disso, aqui na 3D Lab nós testamos esses dois modelos e não encontramos uma grande diferença na estrutura e na impressão.

Uma observação é que notamos maior facilidade de montagem na Ender 5 do que na Ender 3.

A Ender 5 possui um duplo eixo Y, com dois motores que funcionam em sincronismo.

Quanto à movimentação, a Ender 5 tem uma mudança bem significativa em relação à Ender 3. Na 5 quem faz o movimento Z é a mesa, e não o conjunto do extrusor, como no modelo 3.

Outros recursos são similares ao modelo anterior, como a recuperação da impressão em caso de queda de energia, fácil nivelamento da mesa com uma grande engrenagem e, claro, a alta qualidade de impressão.

Confira os dados técnicos fornecidos pelo fabricante:

  • Tecnologia: FDM
  • Área de impressão: 220x220x300 mm
  • Velocidade de impressão: até 180 mm/s (recomendado 40 a 80 mm/s)
  • Superfície de impressão: mesa aquecida até 110°C
  • Temperatura de extrusão: até 260°C
  • Resolução: 0,1 a 0,4mm
  • Precisão: +/-0,1mm
  • Materiais compatíveis: PLA, ABS, Flex e outros
  • Características especiais: estrutura mais estável com duplo eixo Y e sistema de controle dos motores, recuperação de impressão no caso de queda de energia, fácil nivelamento manual da mesa.

Quer comprar a impressora 3D Ender 5? É só clicar no botão abaixo!

Compre aqui

4. Ender 5 Pro

Creality 3D: conheça e compare as principais impressoras 3D da marca!

 

Assim como a Ender 3 Pro é uma evolução da Ender 3, também temos a Ender 5 Pro.

O modelo Pro tem uma nova placa mãe silenciosa V1.15, com o Marlin 1.1.8 e o Bootloader instalados. Isso permite um desempenho mais preciso e silencioso. Além disso, há um recurso habilitado para proteção contra temperaturas críticas.

Outra diferenciação está no extrusor. No modelo da Ender 5 Pro o conjunto extrusor é metálico, o que entrega maior resistência e durabilidade. Ele possui um parafuso de pressão do tracionador que pode ser facilmente regulável.

Além disso, o tubo teflon também foi alterado. No modelo comum esse tubo é de plástico e no modelo Pro é de PTFE Capricorn Bowden. Ele possui um diâmetro interno mais preciso, o que impede qualquer dobra do filamento.

Confira os dados técnicos fornecidos pelo fabricante:

  • Tecnologia: FDM
  • Área de impressão: 220x220x300 mm
  • Velocidade de impressão: até 180 mm/s (recomendado 40 a 80 mm/s)
  • Superfície de impressão: mesa aquecida até 110°C
  • Temperatura de extrusão: até 260°C
  • Resolução: 0,1 a 0,4mm
  • Precisão: +/-0,1mm
  • Materiais compatíveis: PLA, ABS, Flex e outros
  • Características especiais: extrusor de metal, estrutura mais estável com duplo eixo Y e sistema de controle dos motores, mesa magnética, recuperação de impressão no caso de queda de energia, fácil nivelamento manual da mesa.

Quer comprar a impressora 3D Ender 5 Pro? É só clicar no botão abaixo!

Compre aqui

5. Ender 5 Plus

Creality 3D: conheça e compare as principais impressoras 3D da marca!

 

A Ender 5 possui uma outra variação além do modelo Pro, que é o Plus. Essa impressora é muito indicada para aqueles que precisam de um volume de impressão maior. O modelo Ender 5 Plus tem as medidas de 350x350x400mm.

A estrutura dessa máquina também é tubular, mantendo a rigidez e precisão. Porém, a Creality teve o cuidado de colocar todos os seus componentes para o lado de dentro — fonte, filamento e painel.

Com as dimensões maiores, para manter a estabilidade, a base de impressão ampliada é montada em quatro hastes e dois parafusos de avanço, ao invés das duas hastes da Ender 5 normal.

Agora temos uma grande novidade nesse modelo: o nivelamento automático! Um item que é muito reclamado pelos amantes da Creality 3D e que não está presente em outros modelos, o BLTouch foi incorporado no modelo 5 Plus. Há também a engrenagem grande e facilitada para o nivelamento manual.

O modelo Plus também conta com sensor de fim de filamento, o que pode ser muito útil, ainda mais com uma área de impressão grande e que pode consumir uma boa quantidade de filamento.

  • Tecnologia: FDM
  • Área de impressão: 350x350x400 mm
  • Velocidade de impressão: até 180 mm/s (recomendado 40 a 80 mm/s)
  • Superfície de impressão: mesa aquecida até 135°C
  • Temperatura de extrusão: até 260°C
  • Resolução: 0,1 a 0,4mm
  • Precisão: 0,1mm
  • Materiais compatíveis: PLA, ABS, Flex e outros
  • Características especiais: nivelamento automático, sensor de fim de filamento, duplas hastes para movimentação do eixo Z, com maior estabilidade.

Quer comprar a impressora 3D Ender 5 Plus? É só clicar no botão abaixo!

Compre aqui

6. CR-10

Creality 3D: conheça e compare as principais impressoras 3D da marca!

 

Agora, partimos para uma outra família de impressoras da Creality 3D. A CR-10 também carrega uma ótima fama. Voltada para um público que necessita de maiores áreas de impressão, a CR-10 tem dimensões de 300x300x400mm.

O modelo CR-10 tem estrutura similar aos modelos Ender, mas já conta com mesa de vidro. A placa mãe possui proteção de temperaturas críticas.

  • Tecnologia: FDM
  • Área de impressão: 300x300x400 mm
  • Velocidade de impressão: até 100 mm/s (recomendado 40 a 80 mm/s)
  • Superfície de impressão: mesa aquecida até 75°C
  • Temperatura de extrusão: até 250°C
  • Resolução: 0,1 a 0,4mm
  • Precisão: 0,1mm
  • Materiais compatíveis: PLA, Flex e outros
  • Características especiais: grande área de impressão, mesa de vidro e sistema de proteção a temperaturas críticas.

Quer comprar a impressora 3D CR-10? É só clicar no botão abaixo!

Compre aqui

7. CR-10 V2

Creality 3D: conheça e compare as principais impressoras 3D da marca!

 

A CR-10 V2 é uma evolução do modelo anterior. Com mesma área de impressão (300x300x400mm), esse modelo possui sensor de fim de filamento, possibilidade de instalação do BL Touch para nivelamento automático e também para adaptação para extrusor do tipo direct drive.

Equipada com a nova fonte de alimentação da Creality e nova placa mãe eletrônica, que deixa a impressora extremamente silenciosa.

  • Tecnologia: FDM
  • Área de impressão: 300x300x400 mm
  • Velocidade de impressão: até 180 mm/s (recomendado 30 a 60 mm/s)
  • Superfície de impressão: mesa aquecida até 100°C
  • Temperatura de extrusão: até 250°C
  • Resolução: 0,1 a 0,4mm
  • Precisão: 0,1mm
  • Materiais compatíveis: PLA, Flex e outros
  • Características especiais: grande área de impressão, mesa de vidro e sistema de proteção a temperaturas críticas.

Quer comprar a impressora 3D CR-10 V2? É só clicar no botão abaixo!

Compre aqui

8. CR-10 S

Creality 3D: conheça e compare as principais impressoras 3D da marca!

O modelo CR-10 S é tem upgrades em relação à máquina anteriormente mostrada.

No modelo S temos duplo motor e fuso trapezoidal no eixo Z, entregando maior estabilidade e precisão. Outro avanço é na placa mãe, que agora possui sensor de fim de filamento. O modelo CR-10 S possui o recurso de recuperação de impressão em caso de queda de energia.

  • Tecnologia: FDM
  • Área de impressão: 300x300x400 mm
  • Velocidade de impressão: até 100 mm/s (recomendado 40 a 80 mm/s)
  • Superfície de impressão: mesa aquecida até 75°C
  • Temperatura de extrusão: até 250°C
  • Resolução: 0,1 a 0,4mm
  • Precisão: 0,1mm
  • Materiais compatíveis: PLA, Flex e outros
  • Características especiais: sensor de fim de filamento, grande área de impressão, mesa de vidro e sistema de proteção a temperaturas críticas.

Quer comprar a impressora 3D CR-10 S? É só clicar no botão abaixo!

Compre aqui

9. CR-10 MAX

Creality 3D: conheça e compare as principais impressoras 3D da marca!

 

A CR-10 Max é uma outra variação da impressora CR-10, mas essa já apresenta maiores diferenças.

O modelo Max possui um volume de impressão bem maior do que o modelo comum, até por isso a estrutura também foi alterada, passando a ser triangular.

O volume útil dessa máquina é de 450x450x470mm.

Além disso, ela possui recursos interessantes, como o nivelamento automático da mesa, tubo teflon Capricorn que resiste a temperaturas maiores, conjunto do extrusor em metal, duplo conjunto de esteiras para movimentar a mesa no eixo Y e ainda uma tela HD touch screen.

Essa impressora também é vendida com bicos de diferentes diâmetros, normalmente um de 0,4mm e outro de 0,8mm para impressões com maiores fluxos de material.

  • Tecnologia: FDM
  • Área de impressão: 450x450x470 mm
  • Velocidade de impressão: até 100 mm/s (recomendado 40 a 80 mm/s)
  • Superfície de impressão: mesa aquecida até 100°C
  • Temperatura de extrusão: até 250°C
  • Resolução: 0,1 a 0,4mm
  • Precisão: 0,1mm
  • Materiais compatíveis: PLA, Flex e outros
  • Características especiais: grande área de impressão, tubo teflon Capricorn, duplo conjunto de esteiras para eixo Y, conjunto do extrusor em metal, nivelamento automático da mesa, envio de dois bicos.

Quer comprar a impressora 3D CR-10 Max? É só clicar no botão abaixo!

Compre aqui

10. CR-10 S5

Creality 3D: conheça e compare as principais impressoras 3D da marca!

 

Para quem precisa de ainda mais volume de impressão há a CR-10 S5. Essa impressora tem o incrível volume útil de 500x500x500mm, sendo uma das maiores impressoras FDM Desktop do mercado.

Ela também é equipada com sensor de fim de filamento, duplo eixo e motor no eixo Z, além dos recursos de recuperação de impressão em caso de queda de energia.

  • Tecnologia: FDM
  • Área de impressão: 500x500x500 mm
  • Velocidade de impressão: até 100 mm/s (recomendado 60 mm/s)
  • Superfície de impressão: mesa aquecida até 100°C
  • Temperatura de extrusão: até 250°C
  • Resolução: 0,1 a 0,4mm
  • Precisão: 0,1mm
  • Materiais compatíveis: PLA, ABS, Flex e outros
  • Características especiais: grande área de impressão, sensor de fim de filamento, duplo eixo e motor no eixo Z.

Quer comprar a impressora 3D CR-10 S5? É só clicar no botão abaixo!

Compre aqui

11. CR-100

Creality 3D: conheça e compare as principais impressoras 3D da marca!

 

Por fim, deixamos um modelo de impressora 3D Creality bem diferente das demais. Trata-se da CR-100, uma mini impressora 3D feita especialmente para crianças.

Essa máquina, que tem uma face bem criativa em forma de caminhão, foi desenvolvida para estimular o desenvolvimento das crianças e o interesse em novas tecnologias.

Sua interface é bem simples, com apenas três botões no menu: start/pause, home e heat/cool. A área de impressão é de 100x100x80mm e a impressora é vendida, atualmente, em quatro cores diferentes: vermelho, amarelo, azul e laranja.

Vale ressaltar que, apesar de ser uma máquina feita para o público infantil, recomendamos que a utilização seja supervisionada por um responsável, uma vez que há componentes aquecidos e que podem causar lesões.

  • Tecnologia: FDM
  • Área de impressão: 100x100x80 mm
  • Velocidade de impressão: até 100 mm/s (recomendado 30 a 60 mm/s)
  • Temperatura de extrusão: até 210°C
  • Resolução: 0,1 a 0,4mm
  • Precisão: 0,1mm
  • Materiais compatíveis: PLA
  • Características especiais: estrutura segura para operação de crianças com supervisão.

Quer comprar a impressora 3D CR-100? É só clicar no botão abaixo!

Compre aqui

No Brasil, a 3D Lab é a representante oficial da Creality 3D. Nós oferecemos as máquinas com suporte técnico especializado, garantia exclusiva sobre as impressoras, pronta entrega e sem as temidas taxas de importação.

Vá agora até a nossa loja virtual e garanta a sua máquina ou preencha o formulário abaixo para receber uma consultoria gratuita com um de nossos especialistas que vai entender a sua necessidade e indicar o modelo ideal!

    Impressora 3D DLP: aprenda como funciona essa tecnologia

    A impressora 3D DLP é uma das muitas tecnologias de impressão 3D existentes. Entender mais sobre os detalhes de cada uma delas ajuda você a otimizar seus resultados e saber, de fato, qual processo melhor irá atendê-lo (a).


    Já falamos aqui sobre as impressões FDM (Fabricação por Filamento Fundido) e SLA (estereolitografia). Agora vamos te explicar como funciona a impressora 3D DLP (Processamento Digital de Luz), suas vantagens e principais usos.

    A impressão 3D utilizando resina pode ser feita, principalmente, a partir do processo de estereolitografia com o uso de um laser (SLA) ou uma tela de projeção digital (DLP). Como já dissemos no conteúdo sobre SLA, as impressoras que utilizam resina são ideais para quem almeja imprimir peças de alta precisão e maior nível de detalhamento.

    Continue lendo este artigo para aprender tudo sobre a impressora 3D DLP.

    Funcionamento da Impressora 3D DLP

    As impressoras 3D DLP  contêm um tanque de resina com uma base transparente e superfície antiaderente, que serve como substrato para a cura da resina líquida, permitindo o destacamento suave das camadas recém-formadas.

    O processo de impressão começa quando a plataforma de construção desce para um tanque de resina, deixando espaço igual à altura da camada entre a plataforma de construção ou a última camada concluída e a parte inferior do tanque

    As impressoras 3D DLP  utilizam uma tela de projeção digital para exibir uma única imagem de cada camada em toda a plataforma de uma só vez. Como o projetor é uma tela digital, a imagem de cada camada é composta de pixels quadrados, resultando em uma camada formada a partir de pequenos blocos retangulares chamados voxels.

    O contato entre a resina e a luz UV do projetor digital é conhecido como a cura da camada.

    Essa camada servirá como base da próxima a ser curada e conectada assim por diante.

    Funcionamento da Impressora 3D DLP

     

     

    Fluxo de trabalho da impressão 3D DLP 

    Modelagem

    São utilizados softwares de modelagem 3D, como Solidworks, por exemplo,  para projetar os modelos. Após concluído o processo de modelagem, é necessário exportar o aquivo em formato STL ou OBJ.

    Cada impressora 3D DLP inclui software para especificar configurações de impressão e dividir o modelo digital em camadas para impressão.

    Após a conclusão da instalação, o software de preparação da impressão envia as instruções para a impressora por meio de um cartão ou pen drive.

    Impressão

    Após uma rápida confirmação da configuração correta, o processo de impressão começa e a máquina pode funcionar sem supervisão até que a impressão seja concluída.

    Acabamentos

    Quem já utiliza a impressão FDM conhece os efeitos horizontais das camadas. Elas formam uma espécie de “degrau” na peça, aumentando de acordo com a altura da camada.

    Na impressão 3D DLP esse efeito também acontece, uma vez que a criação da peça é feita camada após camada. Porém, esse efeito é bem menor e quase imperceptível a olho nu.

    No entanto, caso você precise de um acabamento ainda superior, pode utilizar uma lixa.

    Propriedades da impressão 3D DLP 

    Engenheiros, designers, fabricantes e muito mais escolhem trabalhar com a impressora 3D DLP por seus recursos finos, acabamento superficial suave, precisão e exatidão finais das peças e atributos mecânicos como estanqueidade e versatilidade do material.

    Estanqueidade

    Os objetos impressos do DLP são contínuos, produzindo geometrias com recursos sólidos ou canais internos. Essa estanqueidade é importante para aplicações de engenharia e fabricação em que o fluxo de ar ou fluido deve ser controlado e previsível.

    Engenheiros e designers usam a estanqueidade das impressoras DLP para resolver os desafios de fluxo de ar e fluido para usos automotivos, pesquisa biomédica e validar projetos de peças para produtos de consumo, como utensílios de cozinha.

    Precisão e Exatidão

    Obter peças mais precisas e exatas é também resultado de uma menor temperatura de impressão em comparação com as tecnologias baseadas em termoplásticos que fundem a matéria-prima.

    Diferentemente das impressoras FDM que utilizam o calor para derreter o filamento, a impressora 3D DLP utiliza uma tela de projeção digital, o que faz com que o processo de impressão ocorra próximo à temperatura ambiente, e as peças impressas não sofram expansão ou contração térmica

    As indústrias do setor odontológico utilizam impressora 3D DLP para criar componentes precisos, como moldes dentários.

     

     

    Superfícies mais suaves 

    A impressora 3D DLP é considerada ideal quando o objetivo é imprimir uma peça com superfície mais suave.

    Essa qualidade da superfície é ideal para aplicações que exigem um acabamento impecável e também ajuda a reduzir o tempo de pós-processamento, já que as peças podem ser lixadas, polidas e pintadas facilmente.

    Principal diferença entre a impressora DLP e a SLA 

    É muito comum confundir as tecnologias SLA e DLP. Ambas utilizam uma fonte de luz para curar a resina líquida. Porém, o processo não é igual e gera uma grande diferença no resultado final:

    • na impressão 3D DLP a emissão de luz é feita em um projetor e a camada é curada de uma só vez. A velocidade de impressão é maior, todo o custo envolvido é menor, mas a máquina é menos precisa;
    • já na impressão 3D SLA a luz é radiada por meio de um laser com exposição seletiva. A velocidade de impressão é menor, mas a precisão é bem superior. O custo total envolvido é ligeiramente maior.

    Principal diferença entre a impressora DLP e a SLA 

     

    Aplicações mercadológicas da impressora 3D DLP 

    A impressão 3D DLP pode acelerar a inovação e apoiar as empresas em uma ampla gama de indústrias, incluindo engenharia, manufatura, odontologia, saúde, educação, entretenimento, joias, audiologia e muito mais.

    Engenharia e impressão 3D DLP 

    A prototipagem rápida com impressão 3D permite que engenheiros e designers de produtos transformem idéias em provas de conceito realistas.

    Também permite que promovam esses conceitos para protótipos de alta fidelidade e orientam os produtos através de uma série de estágios de validação para a produção em massa.

    Indústrias de manufatura

    Na manufatura, a criação de ferramentas personalizadas pode ajudar muito nas etapas de produção e montagem, melhorando a produtividade, aumentando a qualidade e repetibilidade.

    Além disso, as peças criadas podem auxiliar também nas operações manuais, aumentando o conforto dos operadores e evitando esforço desnecessário.

    Indústrias de manufatura

     

    Dental

    A odontologia digital reduz os riscos e incertezas, fornecendo maior consistência, exatidão e precisão em todas as etapas do fluxo de trabalho para melhorar o atendimento ao paciente.

    A impressora 3D DLP pode produzir uma variedade de produtos e equipamentos personalizados de alta qualidade a baixo custo unitário.

    Educação

    As impressoras 3D são ferramentas multifuncionais para aprendizado imersivo e pesquisa avançada. Elas podem incentivar a criatividade e expor os alunos à tecnologia de nível profissional e inovador.

    É necessário enxergar as impressoras como ferramentas que abrem possibilidades para criar projetos diversos, inclusive com a utilização de outras tecnologias e ferramentas.

    Entretenimento

    Modelos físicos de alta definição são amplamente utilizados na escultura, modelagem de personagens e criação de objetos.

    As peças impressas em 3D estrelaram filmes em stop motion, videogames, roupas sob medida e até efeitos especiais para filmes de grande sucesso.

    Joias e Design

    Os profissionais de joalheria usam impressão CAD e 3D para otimizar a criação de protótipos, sendo possível adequar às necessidades e exigências de clientes e produzir grandes lotes de peças prontas para serem fundidas.

    As ferramentas digitais permitem a criação de peças consistentes e bem detalhadas, com menor tempo de produção comparado às esculturas em cera.

    Como vimos, a impressora 3D DLP é ideal para quem precisa de peças mais precisas e detalhadas. Suas propriedades abrem portas para um grande número de aplicações e modelos de negócio, que através da impressão 3D, estão otimizando seus processos de produção!

    Vale relembrar as diferenças entre a tecnologia DLP e SLA para ver o que realmente vai atender suas necessidades.

    Você tem interesse em ter uma impressora DLP? Se sim, preenche esse formulário a seguir que um de nossos especialistas entrará em contato para entender mais sobre sua necessidade.

    E ah, se tiver qualquer comentário, deixa aí pra gente. São sempre muito bem vindos!

      Função Ironing no Cura: veja como usar esse recurso especial!

      A função Ironing é muito interessante para quem usa o software Cura. Ela permite que você tenha um melhor acabamento nas camadas de topo, de forma bem simples.


      Imprimir peças com alta qualidade superficial é sempre uma busca da comunidade de impressão 3D. Muitos usuários fazem um processo de acabamento final, seja com lixa ou adição de solventes, mas nem sempre isso é preciso.

      Neste conteúdo vou lhe ensinar uma técnica muito interessante que permite uma camada de topo com alta qualidade, deixando a superfície bem lisa e regular. É a função Ironing!

      O que é a função Ironing?

      A função Ironing é um recurso nativo do software Cura, desenvolvido pela Ultimaker. Esse recurso nada mais é do que um comando para que o bico extrusor se arraste sobre a peça após finalizar a última camada de topo.

      Com essa ação o bico aquecido vai suavizar a última camada, entregando uma superfície mais lisa e uniforme. Visualmente, tem-se uma maior qualidade superficial.

      Por ser um recurso nativo do Cura o software permite algumas configurações diferentes. As opções para marcação são:

      • Only highest layer: essa opção aplica-se somente à última camada impressa;
      • Pattern: um padrão pode ser escolhido no movimento do bico extrusor;
      • Line spacing: determina o espaçamento entre as linhas;
      • Flow: você pode definir a extrusão de uma quantidade de material durante a passagem do bico;
      • Inset: a passagem do bico durante a função ironing pode ser aplicada a uma distância específica da borda externa da peça na direção XY;
      • Speed: velocidade de passagem do bico.

      Ou seja, com essas opções você pode configurar a função ironing de acordo com a necessidade.

      Como utilizar esse recurso na sua impressão?

      Baixe o Software Cura

      Para ativar esse recurso e obter uma peça com maior qualidade superficial nas camadas de topo você deve, primeiramente, baixar o software Cura.

      Depois que tiver instalado no seu computador, carregue o arquivo da peça que deseja imprimir.

      Função Ironing no Cura: veja como usar esse recurso especial!

       

      Habilite a função Ironing

      Depois disso, no menu superior da tela você deve clicar em “Preferences” e “Configure Cura”. Abrirá uma janela e você deve clicar em “Settings”. No canto superior direito você verá um botão com o escrito “Custom selection”. Clique nessa lista e escolha a opção “Expert”. Fazendo isso você habilitá alguns recursos da categoria Expert, dentre elas o Ironing.

      Função Ironing no Cura: veja como usar esse recurso especial!

       

      Depois disso clique em “Close” e na caixa de ferramentas para configurar a sua impressão. Em “Print Settings”, clique em “Shell” e procure na lista por “Enable Ironing”. Marque essa opção para habilitar o recurso.

      Assim que você clicar abrirá uma nova lista com as configurações da função Ironing que mostramos no tópico anterior (Pattern, flow etc.). Você pode testar alguns valores nesses campos para variar a função.

      Quais são os resultados da função Ironing?

      Após esses passos você pode montar a configuração normal da impressão e clicar em “Slice”. Após o software processar você pode visualizar a impressão clicando em “Preview”.

      No vídeo acima mostramos a impressão da última camada e depois a função Ironing sendo praticada, com o bico passando sobre a peça.

      Para compararmos, imprimimos um cubo de calibração de duas formas: com e sem a função Ironing. Além disso, optamos em não ajustar perfeitamente a configuração de impressão da camada de topo, justamente para vermos o quanto o recurso poderia ajudar. Veja a comparação:

      Função Ironing no Cura: veja como usar esse recurso especial!

       

      Vale lembrar que os dois cubos foram impressos com a mesma configuração, mesmo material e impressora. Apenas a função Ironing foi habilitada no cubo da direita.

      Portanto, neste artigo nós conhecemos a função Ironing, como ela funciona e o resultado que ela pode gerar para a qualidade de acabamento das camadas de topo.

      Esse recurso do Cura pode agregar bastante valor para suas peças, principalmente quando elas não terão um processo de acabamento posterior à impressão.

      Agora que você já sabe como utilizar a função Cura, baixe o nosso e-book sobre como aumentar a velocidade de impressão sem prejudicar a qualidade!

      Resistência da peça na impressão 3D e altura da camada: entenda a relação

      A resistência da peça na impressão 3D é um dos fatores mais importantes em um projeto. Muita gente ainda não sabe que a altura da camada está diretamente relacionada a isso. 

      Entender os fatores que influenciam na resistência da peça na impressão 3D é fundamental para obter os resultados que deseja. Por isso, vamos apresentar algumas variáveis que irão te ajudar nesse processo.

      A altura das camadas é uma variável que pode ser ajustada e interfere diretamente no resultado. A maioria de vocês, provavelmente, já sabe que a altura da camada altera a quantidade de detalhes e a suavidade do acabamento de suas impressões 3D.

      Camadas mais finas são esteticamente mais bonitas pois oferecem menos efeito de escada. Enquanto isso, camadas mais altas deixam a peça mais “marcada”.Na mesma proporção, o tempo de impressão também muda. Ou seja, quanto mais fina as camadas a serem impressas, maior o tempo de produção. Assim como camadas mais grossas são impressas mais rapidamente.

      Caso você queira saber mais detalhes sobre essa relação entre os detalhes estéticos da peça e a altura da camada, temos um material bastante completo.

      Para entender todos os detalhes de como a resistência da sua peça final está relacionada à altura das camadas, continue a leitura deste artigo.

      Altura da camada vs resistência da peça na impressão 3D

      O que vamos falar agora é da relação entre a altura da camada e a resistência do produto 3D. Quando falamos de resistência da peça na impressão 3D estamos relacionando a adesão das camada, ou seja, o quanto as camadas individuais dos materiais se unem.

      Existem estudos que defendem que camadas mais finas apresentam uma resistência maior, pois acreditam que devido à pouca distância na extrusâo do bico a camada anterior aquece o material e ajuda na ligação.

      Além disso, como a extrusão de plástico, em um determinado período de tempo, é menor, o material permanece na zona de fusão por mais tempo, derretendo de maneira adequada e homogênea. Ainda temos a questão da densidade de peças com camadas mais finas que pode ser maior devido aos intervalos menores entre as linhas do produto já impresso.

      Altura da camada e a cor do material

      Em teste realizado com seis diferentes alturas (0,05 mm, 0,1 mm, 0,15 mm, 0,2 mm, 0,3 mm e 0,4 mm), verificou-se alteração na cor das peças, especialmente na de 0,05mm. Isso ocorre porque o material permanece no estado fundido por mais tempo do que nas alturas maiores, o que modifica o pigmento.

      Altura da camada e superfície de fratura

      Ainda apresentando os resultados do estudo que mencionamos anteriormente, existe uma relação direta entre a altura da camada e o ponto de fratura do produto. Em camadas mais altas, as folgas entre as linhas dos filamentos são claramente visíveis e quanto mais fino for, mais ela se assemelha à uma peça moldada por injeção.

      O resultado obtido aponta que você não deve ultrapassar 0,2mm de altura pois, a partir desse ponto, reduzirá a resistência da peça na impressão 3D. Vale ressaltar o que bico utilizado nesse teste era de 0,4mm.

      Diâmetro do bico de extrusão vs altura da camada

       

      Uma outra relação bastante interessante apresentada na pesquisa é a relação entre o diâmetro do bico de extrusão com a altura da camada e como isso altera no resultado da resistência da peça na impressão 3D final.

      Depois de muitos testes, o estudo mostra que quando a altura da camada é mais da metade do diâmetro do bico, a resistência da peça será prejudicada.

      Em termos práticos, isso quer dizer que em um bico de 0,4mm, por exemplo, a altura máxima para não alterar a resistência do material é de 0,2mm.

      Além da altura da camada existem muitos outros fatores que terão um papel importante na resistência da peça na impressão 3D, ou seja, na adesão das camadas durante o processo. Portanto, para determinar a resistência da peça devemos considerar a qualidade do material, a temperatura e velocidade de impressão, a largura de extrusão e o resfriamento do material.

      Hoje falamos sobre a relação entre a altura e a resistência da peça na impressão 3D e abordaremos nas próximas semanas cada uma dessas variáveis.

      Agora que você já entendeu a relação entre a resistência da peça e a altura da camada, confira nosso outro conteúdo sobre como deixar suas peças mais fortes.

      O que esperar da impressão 3D em 2020 [PARTE 2]

      No último post falamos sobre as expectativas e realidade da impressão 3D no ano de 2019. Agora, na segunda parte do conteúdo vamos mostrar o que esperar da impressão 3D em 2020. Confira!


      2019 foi um ano marcante para a tecnologia de impressão 3D no Brasil. Muitas mudanças fizeram com que as impressoras se tornassem mais acessíveis para o público e também para as empresas. Agora, o momento é de evoluir!

      Se no ano passado o crescimento da comunidade de impressão 3D foi destaque, esse ano promete ser de maior aplicação e resultados.

      Então, vejamos quais são as tendências e expectativas da impressão 3D em 2020!

      2020: o ano da consolidação da impressão 3D

      Alguns anos atrás a impressão 3D ainda era vista como uma novidade, algo interessante, mas que não necessariamente se colocaria como uma ferramenta consolidada das empresas. Era algo legal, “cool“, mas não tão importante…

      Hoje essa realidade é bem diferente e muitos setores já definiram que a tecnologia precisa estar dentro dos seus processos produtivos. A grande diferença é que a impressão 3D agora é vista como algo necessário para que as empresas se mantenham sólidas e competitivas.

      Muito disso deve-se ao fato de que a tecnologia permite o ganho de produtividade, redução de custos, personalização e muitos outros recursos essenciais.

      O setor automotivo, por exemplo, enxerga um uso possível das impressoras como ferramentas para criar customização em linhas de produção, algo que sempre foi desejado, mas esbarra na elevação dos custos com os processos tradicionais.

      Os principais desafios para a tecnologia

      Pensando nos desafios que temos que avançar para que a impressão 3D ganhe ainda mais espaço temos como ponto principal a conscientização.

      As empresas e usuários precisam entender que as impressoras são capazes de entregar diversas vantagens e que elas devem ser usadas.

      Temos que acabar com o preconceito de que uma impressora 3D serve somente para imprimir brindes ou objetos simples. A versatilidade das máquinas faz com que ela imprima praticamente qualquer coisa, estando limitada ao material que é usado.

      Acreditamos que a partir do momento que esse paradigma for quebrado o uso das impressoras 3D será cada vez mais interessante.

      As tendências da impressão 3D em 2020

      Vejamos agora quais são as principais tendências e expectativas da tecnologia para este ano.

      Materiais de alta performance

      O primeiro ponto que promete chamar atenção é o desenvolvimento de novos materiais. O mercado como um todo já busca outras soluções aos tradicionais PLA e ABS.

      Com aplicações cada vez mais específicas, os novos materiais precisam apresentar características como:

      • alta resistência mecânica;
      • alta resistência térmica;
      • condutividade elétrica;
      • materiais metálicos;
      • compósitos.

      Este mês nós já lançamos o filamento Nylon, que apresenta uma alta resistência mecânica e térmica, com uma performance superior ao PETG e outros já presentes em nossa loja.

      Aplicação em projetos personalizados

      A personalização promete ser uma grande conquista com a impressão 3D. Na verdade, esse é um desafio da indústria, uma vez que a produção de peças únicas ou de baixa tiragem tem custos mais elevados com os processos tradicionais.

      Na usinagem, por exemplo, o custo do ferramental e o tempo de setup prejudicam a produção personalizada.

      Já a impressão 3D permite criar objetos em alto ou baixo volume, sem interferir no custo. Basta ter o arquivo 3D!

      Impressões de grande escala

      Desde que a impressora 3D se tornou mais acessível ao público comum vemos que o volume de impressão tem aumentado gradativamente.

      Essa é uma das apostas que listamos, no crescimento da área útil das máquinas. Acreditamos que setores industriais impulsionarão o desenvolvimento de impressoras grandes, com áreas próximas de 1m².

      Vale ressaltar que já existem impressoras desse tamanho, mas elas ainda não são populares.

      Aplicações cada vez mais criativas

      Por fim, colocamos a aplicação das impressoras em campos ainda não explorados. Para nós, que acompanhamos o mercado de impressão 3D nacional e internacional, é muito gratificante ver novos mercados adotando a tecnologia e levando as máquinas para dentro da produção.

      Acreditamos muito que essa utilização será cada vez mais diversificada, atendendo necessidades específicas e criativas. Afinal, a principal características da impressão 3D é a versatilidade (nossa opinião)!

      Essas são as nossas expectativas da impressão 3D em 2020! Agora, quero saber o que você pensa, se concorda ou não com os pontos que levantamos. Comenta esta publicação e nos diga o que você espera da impressão 3D este ano!

      O que esperar da impressão 3D em 2020? [Parte 1]

      A sua empresa ou você, como profissional, estão prontos para a impressão 3D em 2020? Essa tecnologia vem muito forte e é necessário ficar de olho nas tendências e novidades para não ficar para trás!


      No início do ano passado escrevemos um conteúdo no nosso Blog com o título “O que esperar da impressão 3D em 2019? Conheça as tendências!“. Falamos sobre as principais expectativas que tínhamos.

      Então, agora criamos um novo conteúdo que será dividido em duas partes. Na primeira, que é esta, faremos uma checagem do conteúdo anterior. Na segunda parte mostraremos as principais expectativas da impressão 3D em 2020. Confira!

      O que esperávamos da impressão 3D em 2019?

      De fato, 2019 foi um ano muito importante para a tecnologia de impressão 3D no Brasil e no mundo. Novos recursos foram implantados, mudanças nas impressoras no sentido de torná-las mais fáceis de usar e também nos preços, estando mais acessíveis ao público.

      Além disso, também era esperado que novos mercados e nichos usassem as impressoras, seja para criar produtos finais, equipamentos de apoio, protótipos e muitas outras aplicações.

      Depois de fechar o ano de 2019, vemos que as previsões se confirmaram e foram até além das expectativas!

      Impressoras 3D mais acessíveis

      O primeiro ponto que podemos destacar é que 2019 foi o ano em que as impressoras 3D de entrada tiveram um grande sucesso!

      A Ender 3, impressora de baixo custo fabricada pela chinesa Creality e vendida pela 3D Lab no Brasil, conquistou muitos clientes.

      Impressora 3D Ender

       

      Entregando alta qualidade, robustez e confiabilidade, a Ender 3 se destacou e foi responsável por criar muitos novos usuários dessa tecnologia. Vários deles, inclusive, usaram a máquina para abrir um negócio próprio.

      Indústria de olho na impressão 3D

      Se olharmos para trás vamos ver que as empresas pioneiras no uso da impressão 3D são, majoritariamente, de grande porte.

      FIAT, GM e a General Eletric são exemplos de grandes empresas que adotaram a impressão 3D há alguns anos. Porém, agora estamos vendo empresas de médio e pequeno porte aproveitando as oportunidades que essa tecnologia propõe.

      Muito disso se deve ao fato de que as impressoras e insumos se tornaram mais acessíveis, seja pelo preço ou por empresas fornecedoras dos produtos.

      Novos mercados utilizando a tecnologia

      Outro ponto bem interessante é a utilização das impressoras por novos mercados. Diferentes setores da indústria enxergaram do que as impressoras são capazes e agora não abrem mão dos resultados alcançados.

      Se antes a impressão 3D era mais voltada para áreas da engenharia e design, agora não há mais barreiras e a tendência é cada vez encontrarmos aplicações mais diversificadas e criativas.

      Materiais especiais para projetos específicos

      Como fabricante de filamentos não podemos deixar de citar o desenvolvimento de novos materiais ao longo de 2019. De fato foi um ano de muito trabalho nesse campo.

      Aqui na 3D Lab lançamos materiais como o PLA Flex, Tritan, ABS Premium Cristal e PLA Fosforescente. Esses filamentos têm mercados específicos a partir de suas características, como maior resistência mecânica, no caso do Tritan; transparência, no caso do ABS Cristal; facilidade em usar um filamento flexível, no caso do PLA Flex; e efeito intenso de brilho no escuro com o PLA Fosforescente.

      Portanto, vamos fazer um balanço de tudo que era esperado da impressão 3D em 2019 e o que foi efetivamente feito?

      Impressão 3d em 2020

       

      Sendo assim, vimos que evoluímos muito como usuários e empresas do ramo de impressão 3D em 2019. Amanhã, na segunda parte do nosso conteúdo, vamos analisar quais são as expectativas para o próximo ano!

      Aguarde e confira como será a impressão 3D em 2020. Enquanto isso, confira outros conteúdos no nosso Blog!

      Filamento Nylon: como imprimir com esse material especial!

      O Filamento Nylon é um dos materiais considerados especiais para a impressão 3D. Suas características permitem impressões de peças técnicas e com exigências específicas, como alta resistência térmica. Porém, é preciso saber realmente como imprimir com ele.


      Os filamentos mais populares entre a comunidade de impressão 3D são PLA e ABS, isso é um fato no mundo inteiro. Porém, cada vez mais essa tecnologia avança em campos específicos, como é o caso da área técnica, médica e outras. Para atender essas necessidades é que são desenvolvidos os materiais especiais e um deles é o filamento Nylon.

      Como para qualquer outro material, para obter alta qualidade nas peças é preciso conhecer os melhores parâmetros de impressão, assim como as características do material em si.

      Foi por isso que criamos este conteúdo. Vamos falar sobre o Nylon e como você pode ter sucesso imprimindo com esse filamento. Confira!

      Atenção: Nós, da 3D Lab, desenvolvemos um filamento Nylon com parâmetros e características otimizadas em relação ao que há no mercado. As configurações aqui mencionadas são específicas para o nosso filamento.

      O que é o filamento Nylon?

      O Nylon, que tem o nome técnico poliamida, é um material bem conhecido na indústria plástica, principalmente pelas suas características de resistência e flexibilidade.

      Para a impressão 3D o filamento Nylon requer uma temperatura de extrusão mais alta do que para PLA e ABS, em torno de 250ºC (faixa entre 235 e 270ºC).

      É importante analisar junto ao fabricante do filamento qual é a temperatura ideal porque as impressoras com tubo teflon só podem chegar em torno dos 260ºC. Já as do tipo All metal não têm essa limitação.

      O filamento Nylon da 3D Lab tem a temperatura ideal de 250ºC, então ele pode ser usado nos dois tipos de impressoras 3D.

      Quais são suas características técnicas?

      Quais são suas características técnicas?

       

      Analisando a tabela acima vemos que o Nylon supera em aspectos importantes os outros materiais comumente usados na impressão 3D, como PLA, ABS Premium e PETG.

      O Nylon possui estabilidade térmica por conta de suas ligações químicas mais fortes, o que gera uma rigidez estrutural maior e elevada resistência mecânica e térmica.

      Quais são as vantagens e desvantagens do filamento Nylon?

      ⇒ Ótima resistência mecânica

      ⇒ Alta resistência térmica

      ⇒ Sem odor desagradável durante a impressão

      ⇒ Boa flexibilidade

      × Dificuldade de adesão na mesa

      × Alta absorção de umidade

      × Não adequado para ambientes úmidos

      Quais são os requisitos para imprimir com o filamento Nylon?

      Como mencionamos no início deste artigo, nós desenvolvemos um filamento Nylon específico, melhorando alguns pontos críticos nos demais encontrados no mercado. Todos os parâmetros aqui inseridos foram determinados usando os nossos filamentos como teste. Veja quais são os requisitos para imprimir com qualidade a seguir.

      Mesa de impressão aquecida

      Mesa de impressão aquecidaPara imprimir com o filamento Nylon a sua impressora 3D precisa ter a mesa aquecida, obrigatoriamente. Caso contrário a peça não fixará na superfície, descolando e interrompendo a impressão.

      A temperatura da mesa deve estar entre 110 e 130ºC.

      Produto para fixação da peça na mesa

      Produto para fixação da peça na mesaSó ter a mesa aquecida não será suficiente. É necessário usar um produto para aumentar a fixação. Para o filamento Nylon nós recomendamos passar uma camada de cola bastão na superfície de impressão.

      Além disso, também é recomendado utilizar o Brim como recurso adicional.

      Temperatura da extrusora

      Temperatura da extrusoraA faixa de temperatura de extrusão do filamento Nylon é entre 235 e 270ºC. Durante os testes que fizemos com o material nós encontramos a temperatura ideal de 250ºC, mas esse parâmetro tem muitas variáveis e é recomendado que você imprima arquivos de testes, como a torre de temperatura, para definir a melhor condição.

      Cooler de resfriamento da peça

      Cooler de resfriamento da peçaPara imprimir com o filamento Nylon é recomendado que você desligue o cooler de resfriamento da peça. Isso vai reduzir a possibilidade de ela empenar.

      Além disso, recomendamos que seja usada uma impressora fechada.

      Quais são as melhores dicas para o filamento Nylon?

      Então, agora que você já sabe quais são as características especiais desse material e as melhores configurações, vejamos algumas dicas para garantir o seu sucesso:

      Sempre guarde o filamento após o uso

      Uma característica marcante do filamento Nylon é sua alta capacidade de absorver umidade. Isso, infelizmente, prejudica a qualidade de impressão e pode até impossibilitá-la.

      Para o nosso filamento nós conseguimos otimizar esse comportamento, fazendo com que ele absorva menos umidade. Porém, ainda assim nós recomendamos que o carretel com o filamento seja sempre armazenado no plástico zip com sílica quando não estiver sendo usado.

      Outra solução interessante é criar uma caixa fechada com dessecante e armazenar os filamentos dentro dela. Fato é que você precisa ter bom cuidado com seus filamentos!

      ?? Conheça 5 cuidados necessários com seu filamento!

      Use brim e skirt nas suas impressões com o filamento Nylon

      Os recursos de brim e skirt podem ajudar muito nas impressões com Nylon. Eles aumentam a área de adesão da peça na mesa e impedem que o empenamento aconteça. Nesse caso, abuse do número de camadas de brim!

      Imprima em local sem refrigeração forçada

      Por fim, certifique-se que a sua impressora 3D esteja em um local que não receba refrigeração forçada. Para imprimir com o Nylon é altamente recomendado que sua impressora seja fechada. Se não for, tente enclausurá-la com uma estrutura de acrílico ou o que mais for possível.

      Portanto, vimos neste conteúdo que o filamento Nylon é um material com características bem interessantes para se usar na impressão 3D. Ele é mais indicado em projetos específicos, quando a peça precisa ter alta resistência mecânica ou térmica.

      Novamente salientamos que o filamento Nylon que desenvolvemos possui vantagens significativas em relação ao que é encontrado no mercado, como possibilidade de imprimir com menor temperatura de extrusão e menor absorção de umidade.

      Tenha atenção com os parâmetros ideias que listamos e aproveite essa nova opção de filamento.

      Para colocar tudo isso em prática, vá agora até a nossa loja virtual e adquira o produto Filamento Nylon!

      Impressão 3D na área da saúde: pesquisadores criam minifígado!

      Você já conhece os ganhos da impressão 3D na área da saúde? Essa tecnologia vem ajudando diversos profissionais e departamentos no desenvolvimento de projetos inovadores.


      Os pesquisadores da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) criaram minifígados capazes de exercer todas as funções normais do órgão. A novidade deve permitir, segundo a FAPESP, a produção de tecido hepático em até 90 dias.

      O estudo foi realizado no Centro de Pesquisa sobre o Genoma Humano e Células-Tronco (CEGH-CEL) e utilizou técnicas combinadas da bioengenharia, como a reprogramação celular e produção de células-tronco pluripotentes, com a bioimpressão 3D. A tática possibilitou que o novo tecido hepático pudesse manter suas funções naturais por um período maior que o registrado em trabalhos anteriores. 

      Essa inovação chega para que, num futuro próximo, um paciente não precise mais esperar na fila de doação de órgãos. Com a utilização de suas próprias células será possível fabricar um fígado novo e saudável. Essa é uma ótima forma de utilizar a impressão 3D na área da saúde.

      Reportagem completa sobre a impressão 3D na área da saúde

      Para mais informações sobre como está sendo utilizada a impressão 3D na área da saúde, confira a matéria completa no site da agência FAPESP.

      O que é e para que serve um scanner 3D? Conheça agora!

      O que é e para que serve um scanner 3D? Conheça agora!

      O scanner 3D é uma ótima ferramenta para quem já trabalha com impressora 3D. Ele pode ser usado para criar modelos a partir das peças já feitas.


      A tecnologia de impressão 3D permite a criação de peças a partir de um modelo digital. O scanner 3D chegou ao mercado para ajudar a reduzir o tempo gasto com a modelagem.

      É claro que existem muitos arquivos disponíveis na internet que ajudam quem ainda não tem muita experiência, mas isso não permite que se crie um modelo específico, com as dimensões desejadas. Por isso é que o scanner 3D tem grande valor nesse mercado.

      Neste conteúdo você vai conhecer um pouco mais sobre o scanner 3D e como ele pode ser usado no mundo da impressão 3D!

      O que é um Scanner 3D?

      Um scanner é um aparelho capaz de analisar um objeto já existente e transformá-lo num modelo digital. Existem várias maneiras distintas para que uma máquina do tipo possa fazer isso, cada uma adequada a um objetivo diferente. 

      Contudo, os scanners 3D podem ser divididos em duas categorias gerais: com contato e sem contato. No próximo tópicos vamos conhecê-los.

      Quais são os tipos de scanner 3D?

      Scanner 3D de contato 

      Para que um scanner 3D de contato possa mapear um objeto, a peça a ser copiada deve ser colocada numa superfície plana e lisa. Respeitada essa primeira etapa, um mecanismo como um braço mecânico move um sensor de toque até que ele encoste no objeto diversas vezes. Com este recurso, a máquina determina precisamente cada ponto do objeto e calcula as medidas para fazer um modelo computacional 3D.

      Scanner 3D

       

      A grande vantagem é que esse tipo de aparelho consegue medir com um nível de precisão bastante alta. Contudo, ele é muito lento e seu uso não é indicado para a produção de modelos com um número elevado de detalhes. Por isso, sua utilização é mais comum na aferição de projetos industriais. 

      Neste caso, são feitas apenas as aferências das dimensões críticas de algumas peças, possibilitando ao operador uma visão global dos processos de fabricação e especificações do projeto.

      Scanner 3D sem contato

      Um Scanner para impressora 3D sem contato, como o próprio nome sugere, não toca nos objetos que serão escaneados. Ele utiliza um tipo de radiação para fazer as medições necessárias. Essa radiação pode ser de raios-x, infravermelhos, lasers, campos magnéticos ou luz visível.

      Scanner 3D 

      O uso de cada um desses métodos requer técnicas específicas para processar os dados e transformá-los em informações úteis. Contudo, a lógica de funcionamento de um scanner 3D é basicamente a mesma: a máquina sabe quais são as propriedades naturais da radiação que utiliza e verifica as alterações que ocorrem durante a interação com o objeto. 

      Existe uma diferença de nomenclatura quando o scanner utiliza ou não a sua própria fonte de radiação.

      Quando ela é externa (que é o caso da luz) o aparelho é chamado de passivo. Ao contrário, quando é interno, dá-se o nome de ativo. Também existem aqueles com sistemas híbridos, que combinam informações de lasers e luz natural, por exemplo. 

      O que é um scanner 3D portátil?

      Se a tecnologia já é, por si só, bastante útil em variadas aplicações, imagine ter um scanner 3D portátil para fazer modelos digitais de qualquer objeto que você tenha em casa! 

      Já existem inúmeros aparelhos que permitem a digitalização em tamanho real de objetos e pessoas, alguns até sem utilizar computador, internet ou energia elétrica. 

      Essa tendência lança ainda mais luz no já aquecido mercado de impressão 3D. Além de impressoras mais baratas, a chegada de scanners 3D acessíveis e de uso descomplicado permitirá que qualquer pessoa possa reproduzir objetos a qualquer momento, abrindo portas, inclusive, para quem deseja empreender no conforto de casa.

      Scanner portátil

       

      Existem aplicativos para Scanner 3D?

      Existem no mercado diversos aplicativos para escanear peças, como o Trnio e o Qlone. Ter um app desses no celular pode ser uma ótima forma para melhorar o processo de impressão 3D e ganhar praticidade ao modelar objetos.

      Como vantagem, os aplicativos são muito mais baratos que os equipamentos de digitalização, além de serem práticos de usar em qualquer situação.

      Aplicativo de escaneamento

       

      Contudo, é importante levar em consideração que o tempo do escaneamento feito por um celular deve demorar mais do que o trabalho de um equipamento profissional. Além disso, a possibilidade de acontecerem erros durante o processo é relativamente maior. 

      Qual é o preço do scanner 3D?

      Uma das dúvidas mais comuns entre o público que deseja ter um aparelho desse é justamente o valor, quanto custa um scanner 3D.

      Assim como as impressoras 3D, também existem diversos modelos para fazer o escaneamento. Um scanner 3D profissional pode custar em torno de R$ 15 mil, enquanto um scanner 3D portátil, sendo modelo de entrada, pode ter o preço a partir de R$ 3 mil.

      Vale a pena ter um?

      Dizer se vale ou não a pena ter vai depender muito da maneira como cada usuário utilizará a tecnologia. Um equipamento do tipo pode ser bastante útil para quem está começando, mas pode não fazer tanta diferença para quem sempre produziu os seus próprios modelos digitais em softwares 3D.

      Além disso, outro ponto que deve ser considerado é a complexidade da peça. Para um objeto mais simples, com dimensões que podem ser conferidas facilmente, o preço do scanner 3D pode não valer muito a pena. Já em caso de peças complexas a conversa pode ser outra!

      Portanto, o ideal é fazer uma pesquisa minuciosa para saber da sua necessidade em relação a ter ou não um scanner para impressora 3D. 

      Agora que você já sabe tudo sobre a tecnologia de um scanner 3D, que tal se aprofundar um pouco mais sobre a produção de modelos digitais? Este é um assunto de grande importância no mundo da impressão 3D. Lá no nosso blog tem um ótimo conteúdo sobre os 10 melhores softwares de modelagem 3D para projetos mecânicos.

      Tenho certeza que ele vai te ajudar muito!

      Abraço e até o próximo conteúdo!

      Raft 3D, Brim e Skirt: entenda as diferenças entre esses recursos!

      Técnicas como o Raft 3D, Brim e o Skirt possibilitam melhores resultados em impressões 3D. Elas permitem uma fixação mais eficiente do objeto na mesa durante a impressão, além de regular o fluxo de material.


      O Raft 3D, Brim e Skirt são recursos fundamentais para uma impressão 3D perfeita! Quando o filamento não adere completamente à camada base podem ocorrer diversos problemas e nem sempre eles são notados ou acontecem logo no início da impressão 3D. Isso gera desperdício de filamento, de dinheiro e até mesmo do seu tempo. 

      Por isso, uma pequena preparação extra no início dos trabalhos pode melhorar muito a confiabilidade de suas impressões. E isso pode ser feito com a utilização de alguma dessas três técnicas já bastante difundidas.

      Você sabe dizer como esses recursos podem lhe ajudar a melhorar o seu processo de impressão? Veja neste conteúdo o momento certo para utilizar cada um deles e suas principais características!

      O que é Raft 3D

      O que é Raft 3D

       

      O Raft 3D é uma camada horizontal descartável que fica sob a peça a ser impressa. O objeto é impresso na parte superior desta camada, em vez de diretamente na superfície de criação. O Raft é composto por um número pré-determinado de camadas, com uma porcentagem de preenchimento específica, que se estende a uma certa distância dos lados do objeto.

      Essa técnica é utilizada principalmente com o filamento ABS para ajudar a controlar possíveis empenamentos e favorecer a aderência da peça à mesa de impressão. Como a área de superfície do Raft é maior que a base da peça, suas bordas são muito mais propensas à deformação, deixando a peça a salvo de qualquer possível inconveniente.

      O Raft 3D é utilizado para auxiliar na estabilidade de modelos com apoios pequenos. Também serve para criar uma base sólida sobre a qual será construído o objeto. Assim, ele servirá de apoio para objetos maiores e também mais pesados.

      Além disso, ele permite que as camadas inferiores entrem em contato com outra camada de plástico. Isso faz com que haja menos difusão do que a impressão na própria mesa.

      No processo, se for utilizado um filamento solúvel, é necessário deixar um espaço entre o Raft e a peça. Essa distância ajudará na remoção após o resfriamento do objeto. Assim, desde que esteja configurado corretamente para o seu material, removê-lo mais tarde fica fácil.

      Quando usar o Raft 3D

      • deformação: imprimir um Raft durante o trabalho utilizando o filamento ABS ajuda a evitar que a impressão se deforme;
      • maior aderência à mesa: a impressão do Raft também auxilia na obtenção de uma melhor aderência à mesa. Também ajuda a agir como uma precaução a falhas;
      • apoios pequenos: a peça a ser impressa pode ter apoios pequenos na base, sobre as quais uma estrutura pesada é construída. Nesse caso, recomenda-se criar um Raft como medida de segurança contra falhas.

      Configuração para aplicação do Raft 3D

      Aqui estão alguns termos para que você possa ajustar na sua impressora para obter melhores resultados ou simplesmente usar menos filamentos quando imprimir utilizando o Raft:

      • Raft Top Layers (Camadas superiores do Raft): é o número de camadas de interface impressas na parte superior do Raft. Seu modelo será impresso em cima dessas camadas. Então, normalmente coloca-se de 2 a 3 camadas para garantir uma superfície mais lisa;
      • Raft Base Layers (Camadas da base do Raft): é o número de camadas mais grossas na parte inferior do Raft. Essas camadas são impressas mais lentamente e com maior espessura para garantir uma forte ligação à plataforma de criação;
      • Raft Offset from Part (Deslocamento da peça): é a distância da borda que fica para fora da peça;
      • Separation Distance (Distância de separação): é a altura do intervalo de ar que fica entre a base e a peça. É um equilíbrio entre garantir que a peça esteja próxima o suficiente para aderir ao Raft quando a impressão começar e ter espaço de ar suficiente para garantir uma remoção fácil assim que a impressão terminar. Normalmente, ter uma folga de pelo menos 0,1mm ajudará a manter a peça conectada ao Raft, além de permitir uma fácil separação quando a impressão estiver completa;
      • Above Raft Speed (Acima da velocidade da base): é a configuração utilizada para personalizar a velocidade da primeira camada da peça impressa na parte superior da superfície do Raft. Usar uma velocidade lenta para essa camada também ajudará a peça a permanecer conectada ao Raft durante a impressão.

      Como remover o Raft 3D da impressão

      Após a impressão e resfriamento da peça você pode pegar o Raft e começar a retirá-lo da peça. Ficando assim um acabamento superficial de alta qualidade na parte inferior da sua impressão. Normalmente, o processo de retirada pode ser feito com as mãos, mas, para peças muito delicadas, você pode usar uma espátula fina ou uma pinça para ajudar.

      Para isso, coloque a espátula ou uma faca larga entre a base da sua impressão e suavemente alivie esse lado. Quando uma borda é removida, é mais fácil retirar o restante. Ocasionalmente você pode precisar de uma lixa para suavizar a base.

      As vantagens em utilizar o Raft 3D

      Em certas impressoras 3D que têm uma base de grande dimensão e cujo nivelamento exato é muito difícil de conseguir, é aconselhável utilizar sempre o Raft, ao invés das outras técnicas. Pois o suporte, na maioria da vezes, é fácil de eliminar e não deixa praticamente nenhuma sobra na peça.

      Ele proporciona menos problemas de deformação com materiais como o ABS. Também melhora a adesão à mesa, levando a maiores chances de sucesso na impressão. Além de a saída de impressão ser consistente e a primeira camada mais forte.

      As desvantagens em utilizar o Raft 3D

      Algumas das desvantagens de usar o Raft 3D podem ser relacionados com as configurações de impressão, em que ele pode ser difícil de remover, especialmente com um Raft 3D mais denso.

      Além disso, a parte inferior não será aquela super lisa de quando a peça é impressa diretamente sobre a superfície da mesa (acabamento áspero na camada inferior do modelo).

      Ainda existe a possibilidade de quebrar a peça ao removê-lo, especialmente com componentes de modelo pequenos.

      O que é Brim

      O que é Brim

       

      O Brim é uma técnica especial que é anexada às bordas do modelo. Normalmente, ele é impresso com um número maior de contornos para criar um grande anel em torno da peça. Assim, assemelhando-se à borda de um chapéu. As bordas do Brim costumam ser usadas para segurar as bordas da peça, o que pode impedir o empenamento e ajudar na adesão à mesa.

      Ele é basicamente um contorno de plástico que é colocado na primeira camada do modelo, proporcionando uma melhor aderência à superfície de impressão. Ele não se estende sob a impressão como o Raft, e sim apenas da borda da impressão até uma distância definida.

      Quando usar o Brim

      O Brim pode ser uma opção melhor que o Raft (que também ajuda na aderência) em certas situações, já que a borda pode ser impressa muito mais rapidamente e usar menos filamento. Ele também pode ajudar a evitar empenamentos que podem ocorrer durante impressões utilizando filamentos ABS.

      Embora não seja especialmente necessário para imprimir com filamentos como o PLA, o Brim ainda facilita a remoção das impressões. Dessa forma, os usuários podem adicionar ele como uma precaução de segurança.

      Raft 3D e Brim

      Tanto o Raft 3D quanto o Brim ajudam na aderência e ambos podem ser usados para estabilizar objetos que possuem pontos de contato muito pequenos com a superfície de impressão. No entanto, para objetos menores ou mais delicados, o Brim pode ser melhor utilizado do que o Raft 3D, pois ele tem apenas contato com a borda externa do modelo através de uma camada muito fina.

      Alguns materiais, como o ABS, podem sofrer deformação durante o processo de resfriamento. Por isso pode valer a pena utilizar o Brim para ajudar na adesão, mais ainda nas estruturas de suporte, que tendem a ser muito pequenas e geralmente são interrompidas durante a impressão. Assim, é sempre uma boa ideia imprimir suportes com Brim.

      Configuração para aplicação da técnica

      Para configurar um Brim no Simplify3D, defina o deslocamento para 0 mm, de modo que a aba esteja tocando as bordas do seu modelo. Em seguida, aumente o número de contornos para 5 ou mais para criar um anel largo em torno de sua peça. Você pode aumentar ainda mais o número de contornos se precisar aumentar a área de superfície da aba para uma adesão extra.

      Agora, quando você começar a imprimir, o Brim servirá como escora e como assistente de adesão! Após a conclusão da impressão, a borda fina deve se soltar facilmente da parte sólida. Se você achar que ele está preso com muita firmeza, pode aumentar ligeiramente a compensação da aba para 0,1 ou 0,2 mm para adicionar um pequeno espaço entre a aba e a peça.

      Como remover o Brim da impressão 3D

      Após a impressão e resfriamento basta retirá-lo da peça a qual ele está anexado. Você pode querer lixar a base da impressão, se houver alguma seção grossa sobrando. Uma ferramenta de rebarbação também é uma ótima maneira de remover o Brim.

      As vantagens de utilizar o Brim em relação ao Raft 3D

      Evita problemas de deformação de materiais como o ABS, além de melhorar na adesão da mesa, levando a maiores chances de sucesso na impressão. Normalmente é fácil de remover em comparação com o Raft 3D. Seu acabamento é mais suave, pois a borda apenas toca a parte externa da impressão. E sua principal vantagem em relação ao Raft 3D é a menor quantidade de material utilizado para posterior descarte.

      As desvantagens do Brim

      Os pontos de contato com a peça devem ser lixados para um bom acabamento superficial. Existe ainda a possibilidade de quebra da peça ao remover a aba, especialmente com pequenos componentes do modelo.

      O que é Skirt

      O que é Skirt

       

      Essa é a técnica mais comum utilizada na impressão 3D. Ela consiste em fazer um contorno envolvendo a peça, mas que não a toca em nenhum ponto.

      A técnica consiste em imprimir uma “saia” ao redor de onde ficará a peça antes de começar a imprimi-la. O Skirt tem como finalidade regular o fluxo de filamento e garantir que, ao imprimir a peça, o material esteja de acordo.

      Certamente, essa é uma excelente maneira de saber como o equipamento está funcionando e como o material está fluindo. É fácil garantir que o material esteja fluindo adequadamente e sendo colocado corretamente antes que a impressão do modelo seja iniciada.

      Para isso, basta utilizar um Skirt com apenas algumas camadas impressas a uma velocidade relativamente baixa, para que se possa ver o que está acontecendo. Se a impressão do Skirt ocorrer da maneira correta, basta deixá-la continuar.

      Porém, se isso não acontecer, você pode cancelar a impressão e ter tempo para fazer os ajustes necessários, economizando tempo, dinheiro e matéria-prima.

      Quando usar o Skirt

      Mesmo um Skirt com poucas camadas ajuda a garantir uma excelente impressão 3D.

      Portanto, é aconselhável utilizar o Skirt em qualquer impressão, pois ele auxilia em algumas funções úteis para preparar a extrusora e detectar qualquer problema de impressão antes de começar a imprimir a peça.

      Configuração para aplicação da técnica

      • extrusão do Skirt: o primeiro passo é escolher a extrusora que será utilizada para imprimir o Skirt. Isso permite que você já inicie o processo de impressão com várias extrusoras. Se você quiser todas as suas extrusoras, selecione a opção “Todas as Extrusoras”. Essa etapa, claro, é necessária se tiver mais de uma extrusora;
      • camadas do Skirt: definir quantas camadas você deseja incluir no seu Skirt. Normalmente, é uma preparação para extrusora. Mas pode ser uma segunda opção para ajudar a criar um Skirt mais robusto que pode ser retirado da cama mais facilmente;
      • distância entre o Skirt e a peça: definir quão longe as bordas ficarão da sua peça;
      • contornos do Skirt: é a quantidade de loops que você pode imprimir em torno do seu modelo. Caso precise preparar a sua extrusão com mais filamento deve-se aumentar este valor.

      As vantagens do Skirt

      • ajuda na verificação da extrusora;
      • detecta problemas durante a impressão;
      • usa menos material do que o Raft ou o Brim;
      • verificação simples antes do início da impressão, o que pode economizar tempo, esforço e dinheiro;
      • ajuda na definição da área de impressão.

      As desvantagens

      • Uma pequena rebarba descolada pode atrapalhar o início da impressão. Portanto, fique atento ao iniciar qualquer trabalho e tenha sempre uma pinça em mãos para retirar qualquer fiapo que posso atrapalhar a construção da primeira camada.

      Portanto, vimos que tanto o Raft, quanto o Brim e o Skirt são maneiras fáceis de melhorar o resultado de sua impressão 3D. Vale lembrar que apesar de você usar mais filamento quando as utiliza, essas técnicas lhe ajudam a poupar o insumo de uma impressão que não deu certo por problemas que elas poderiam evitar.

      Em resumo, toda precaução é válida quando se trata de obter melhores resultados em sua impressão 3D.

      Agora que você conhece um pouco mais sobre essas 3 técnicas de auxílio em sua impressão 3D não tem mais desculpas para deixar sua impressora parada ou ficar lutando para conseguir aderência e resultados perfeitos!

      E então, conseguimos tirar suas dúvidas quanto às diferenças entre o Brim, Raft 3D e Skirt? Deixe seu comentário aqui e participe dessa discussão!

      Minha conta


      Reconhecida como a melhor empresa de impressão 3D do Brasil. Impressoras, filamentos e resina para impressão 3D, cursos, manutenção e prototipagem.

      Endereço

      Rua Toyota, n°490, Jardim Piemont - Betim - MG 
      A 20 min do centro de Belo Horizonte.

      Horário de funcionamento

      08:00 às 17:00 | Segunda à sexta-feira

      Dúvidas gerais | Suporte | Vendas

      Nossas redes

      Este site é protegido pelo reCAPTCHA, a Política de Privacidade e os Termos de Serviço do Google se aplicam.
      3D Lab Industria Ltda.
      CNPJ 20.212.019-0001/09
      Compre aqui!