Skip to main content
Em compras acima de R$400,00 o frete é grátis! Promoção válida para os estados do Sul e Sudeste e somente para filamentos e resinas.

Autor: webmaster

scanner 3d

Scanner 3D: O que é e para que serve? Entenda agora!

O scanner 3D é uma ótima ferramenta para quem já trabalha com impressora 3D. Ele pode ser usado para criar modelos a partir das peças já feitas.


A tecnologia de impressão 3D permite a criação de peças a partir de um modelo digital. O scanner 3D chegou ao mercado para ajudar a reduzir o tempo gasto com a modelagem.

É claro que existem muitos arquivos disponíveis na internet que ajudam quem ainda não tem muita experiência, mas isso não permite que se crie um modelo específico, com as dimensões desejadas. Por isso é que o scanner 3D tem grande valor nesse mercado.

Neste conteúdo você vai conhecer um pouco mais sobre como ele pode ser usado no mundo da impressão 3D!

O que é um Scanner 3D?

Um scanner é um aparelho capaz de analisar um objeto já existente e transformá-lo num modelo digital. Existem várias maneiras distintas para que uma máquina do tipo possa fazer isso, cada uma adequada a um objetivo diferente. 

Qualquer dispositivo que utilize lasers, luzes ou raios X para medir o mundo físico e gerar nuvens de pontos densas ou malhas poligonais pode ser considerado um scanner 3D. Esses dispositivos são conhecidos por vários nomes, como digitalizadores 3D, scanners a laser, scanners de luz branca, tomógrafos computadorizados industriais, LIDAR, entre outros. O denominador comum entre todos eles é a capacidade de capturar a geometria de objetos físicos com centenas de milhares ou até milhões de medições.

Contudo, os scanners 3D podem ser divididos em duas categorias gerais: com contato e sem contato. No próximo tópicos vamos conhecê-los.

Quais são os tipos?

Scanner 3D de contato 

Para que um Scanner de contato possa mapear um objeto, a peça a ser copiada deve ser colocada numa superfície plana e lisa. Respeitada essa primeira etapa, um mecanismo como um braço mecânico move um sensor de toque até que ele encoste no objeto diversas vezes. Com este recurso, a máquina determina precisamente cada ponto do objeto e calcula as medidas para fazer um modelo computacional 3D.

Scanner 3D

A grande vantagem é que esse tipo de aparelho consegue medir com um nível de precisão bastante alta. Contudo, ele é muito lento e seu uso não é indicado para a produção de modelos com um número elevado de detalhes. Por isso, sua utilização é mais comum na aferição de projetos industriais. 

Neste caso, são feitas apenas as aferências das dimensões críticas de algumas peças, possibilitando ao operador uma visão global dos processos de fabricação e especificações do projeto.

Scanner 3D sem contato

Um Scanner para impressora 3D sem contato, como o próprio nome sugere, não toca nos objetos que serão escaneados. Ele utiliza um tipo de radiação para fazer as medições necessárias. Essa radiação pode ser de raios-x, infravermelhos, lasers, campos magnéticos ou luz visível.

Scanner 3D 

O uso de cada um desses métodos requer técnicas específicas para processar os dados e transformá-los em informações úteis. Contudo, a lógica de funcionamento de um scanner 3D é basicamente a mesma: a máquina sabe quais são as propriedades naturais da radiação que utiliza e verifica as alterações que ocorrem durante a interação com o objeto. 

Existe uma diferença de nomenclatura quando o scanner utiliza ou não a sua própria fonte de radiação.

Quando ela é externa (que é o caso da luz) o aparelho é chamado de passivo. Ao contrário, quando é interno, dá-se o nome de ativo. Também existem aqueles com sistemas híbridos, que combinam informações de lasers e luz natural, por exemplo. 

Existem scanners portáteis?

Se a tecnologia já é, por si só, bastante útil em variadas aplicações, imagine ter um scanner portátil para fazer modelos digitais de qualquer objeto em qualquer lugar?

Já existem inúmeros aparelhos que permitem a digitalização em tamanho real de objetos e pessoas, alguns até sem utilizar computador. Aqui na 3D Lab nós temos o Scan Ferret Pro que é um lançamento da Creality que possui facilidade de uso, qualidade de leitura altíssima, facilidade de manuseio e tudo isso pelo celular!

Essa tendência lança ainda mais luz no já aquecido mercado de impressão 3D. Além de impressoras mais baratas, a chegada de scanners 3D acessíveis e de uso descomplicado permitirá que qualquer pessoa possa reproduzir objetos a qualquer momento, abrindo portas, inclusive, para quem deseja empreender no conforto de casa.

cr-scan ferret pro

Assista em nosso Youtube o vídeo completo de teste do Scan Ferret Pro!

Existem scanners 3D de entrada que sejam mais técnicos?

Sim! Recentemente a Creality lançou dois novos scanners, o CR-Scan Otter e o CR-Scan Raptor! Conheça essas duas novidades:

CR-Scan Otter

cr-scan otter

O CR-Scan Otter da Creality é um scanner 3D portátil e preciso, capaz de capturar objetos de variados tamanhos, desde pequenas moedas até veículos inteiros, em segundos.

Com um design compacto, utiliza dois pares de lentes duplas para digitalizar com efetividade e alcança precisão de até 0,02 mm com um avançado algoritmo de correspondência estéreo de luz estruturada.

A luz infravermelha segura (Classe 1) permite a digitalização de rostos e corpos sem danos oculares, além de ser adaptável a diferentes condições de luz, ele possui uma câmera RGB colorida e LEDs adicionais para captura realista de texturas e cores.

Suporta digitalização com marcadores para maior precisão, é leve (390 g) e possui uma estrutura metálica robusta. Compatível com Windows e macOS, vem com o software intuitivo CrealityScan.

Especificações Técnicas:

  • Precisão: Até 0,02 mm
  • Resolução 3D: 0,05-2 mm
  • Velocidade de Digitalização: Até 20 fps
  • Volume Mínimo de Verificação: 10 x 10 x 10 mm
  • Tecnologia de Digitalização: Luz infravermelha estruturada
  • Distância de Trabalho: 110-1000 mm
  • Modos de Alinhamento: Geometria, Marcador, Textura
  • Peso: 390 g

CR-Scan Raptor

cr-scan raptor

O Creality CR-Scan Raptor é um scanner 3D avançado que utiliza uma combinação de luz infravermelha azul para digitalizar objetos de diferentes tamanhos com alta precisão. Equipado com 7 linhas azuis paralelas, ele captura detalhes finos com uma linha única de até 0,1 mm, proporcionando bordas extremamente nítidas. A precisão de digitalização chega a 0,02 mm, garantindo clareza nos detalhes mais minuciosos.

O scanner oferece varredura de alta velocidade, alcançando até 60 fps com luz azul e até 20 fps com luz infravermelha. Isso facilita a digitalização de uma ampla gama de objetos, desde pequenas estatuetas e parafusos até rostos, corpos humanos e componentes automotivos. Ele utiliza tecnologia de imagem 3D que dispensa marcadores em peças ricas em detalhes, permitindo uma digitalização rápida e direta.

Principais Especificações do Creality CR-Scan Raptor

Luz Azul:

  • Precisão: Até 0,02 mm
  • Resolução 3D: 0,02-2 mm
  • Velocidade: Até 60 fps
  • Volume Mínimo: 5 x 5 x 5 mm
  • Área de Captura: 270 x 170 mm
  • Distância de Trabalho: 150-400 mm

Luz Infravermelha:

  • Precisão: Até 0,1 mm
  • Resolução 3D: 0,1-2 mm
  • Velocidade: Até 20 fps
  • Área de Captura: 930 x 580 mm
  • Distância de Trabalho: 170-1000 mm

Parâmetros Gerais:

  • Resolução da Câmera 3D: 1920 x 1200
  • Luz Suplementar de Cor: 12 LEDs brancos
  • LEDs Infravermelhos para Marcadores: 12
  • Segurança do Laser: Classe I
  • Formato de Saída: OBJ/STL/PLY
  • Interface de Dados: USB Tipo C / USB 3.0
  • Dimensões: 215 x 50 x 74 mm

Ainda não está disponível no Brasil, mas a 3D Lab já realizou alguns testes, confira!

Existem aplicativos para Scanner 3D?

Existem no mercado diversos aplicativos para escanear peças, como o Trnio e o Qlone. Ter um app desses no celular pode ser uma ótima forma para melhorar o processo de impressão 3D e ganhar praticidade ao modelar objetos.

Como vantagem, os aplicativos são muito mais baratos que os equipamentos de digitalização, além de serem práticos de usar em qualquer situação.

Aplicativo de escaneamento

Contudo, é importante levar em consideração que o tempo do escaneamento feito por um celular deve demorar mais do que o trabalho de um equipamento profissional. Além disso, a possibilidade de acontecerem erros durante o processo é relativamente maior. 

Qual é o preço do scanner 3D?

Uma das dúvidas mais comuns entre o público que deseja ter um aparelho desse é justamente o valor, quanto custa um scanner 3D.

Assim como as impressoras 3D, também existem diversos modelos para fazer o escaneamento. Um scanner 3D profissional pode custar em torno de R$ 15 mil, enquanto um scanner 3D portátil, sendo modelo de entrada, pode ter o preço a partir de R$ 5 mil.

Vale a pena ter um?

Dizer se vale ou não a pena ter vai depender muito da maneira como cada usuário utilizará a tecnologia. Um equipamento do tipo pode ser bastante útil para quem está começando, mas pode não fazer tanta diferença para quem sempre produziu os seus próprios modelos digitais em softwares 3D.

Além disso, outro ponto que deve ser considerado é a complexidade da peça. Para um objeto mais simples, com dimensões que podem ser conferidas facilmente, o preço do scanner 3D pode não valer muito a pena. Já em caso de peças complexas a conversa pode ser outra!

Portanto, o ideal é fazer uma pesquisa minuciosa para saber da sua necessidade em relação a ter ou não um scanner para impressora 3D. 

Agora que você já sabe tudo sobre a tecnologia de um scanner 3D, que tal se aprofundar um pouco mais sobre a produção de modelos digitais? Este é um assunto de grande importância no mundo da impressão 3D. Lá no nosso blog tem um ótimo conteúdo sobre os 10 melhores softwares de modelagem 3D para projetos mecânicos.

Tenho certeza que ele vai te ajudar muito!

Abraço e até o próximo conteúdo!

Continue lendo

suportes

Suporte de impressão 3D: aprenda a utilizar a seu favor!

Para ter uma boa qualidade nas peças impressas é muito importante saber utilizar o suporte de impressão 3D. Esse material serve para ancorar as estruturas e garantir que as camadas estejam bem resistentes e não deformem. Por isso, vamos mostrar neste conteúdo tudo o que você precisa saber para criar as melhores estruturas de suporte.


Pode ser que você já tenha ouvido falar para sempre fugir do suporte de impressão 3D, não é mesmo? Sim, eles podem ser considerados desperdício de material e podem ser difíceis de remover. No entanto, dependendo do modelo a ser impresso ele se torna fundamental para que o resultado final entregue um alto nível de qualidade.

Existem infinitas maneiras de evitá-los, porém, quando isso não é possível vale a pena saber a melhor maneira de utilizá-los. Por isso criamos esse conteúdo com tudo o que você precisa saber sobre as estruturas de suporte para impressão 3D antes de começar a imprimir pontes ou projeções em seus modelos. Confira!

O que são suportes?

suporte de impressão 3D

As impressoras 3D FFF (Fused Filling Fabrication) trabalham depositando camada sobre camada de filamento para criar um objeto 3D. Nesse método, cada nova camada deve ser suportada pela camada abaixo dela. Se o seu modelo tiver uma cobertura que não seja suportada por nada abaixo, você precisará acrescentar estruturas de suporte de impressão 3D adicionais para garantir uma impressão bem-sucedida.

Suporte são considerados um mal necessário na impressão 3D. Uma vez que, eles são absolutamente necessários para modelos com projeções ou pontes. Por outro lado, eles aumentam os custos de material, adicionam mais trabalho de pós-processamento e podem danificar a superfície do modelo. Conseguir as estruturas de suporte de impressão 3D corretas é, portanto, um aspecto muito importante para os modelos que necessitam delas.

Quando utilizar estruturas de suporte para impressão 3D?

suporte impressão 3d

Quando uma projeção ou ponte em seu modelo não tem suporte abaixo, você pode considerar usar estruturas de suporte de impressão 3D. Por exemplo, as letras Y, H e T podem ilustrar esse conceito.

Não é necessário suporte para todas as projeções (Regra dos 45º). Se uma projeção estiver inclinada em menos de 45º em relação à vertical, geralmente você pode imprimir sem suporte. Isso ocorre porque as impressoras 3D têm um pequeno deslocamento horizontal entre camadas, permitindo que projeções com menos de 45º sejam suportadas pelas camadas anteriores.

No caso das letras Y e T, fica evidente quando suporte não é necessário em Y, já que os ângulos da letra Y são inferiores a 45º, então pode ser impressa sem suporte. Por outro lado, as projeções na letra T têm um ângulo de 90º, exigindo suporte para uma impressão correta.

Da mesma forma como é visto na letra H que existem pontes. Nem todas as pontes precisam de suporte (Regra dos 5 mm). Se uma ponte tem menos de 5 mm de comprimento, a impressora pode imprimi-la sem suporte usando uma técnica chamada Bridging. No entanto, para pontes com mais de 5 mm, é necessário adicionar estruturas de suporte.

suporte de impressão 3D

Como testar a capacidade das impressões?

suporte de impressão 3D

A regra de que impressões com ângulos de até 45º em relação à vertical não precisam de suporte é uma diretriz prática. No entanto, esse limite pode variar dependendo da condição da sua impressora e do material utilizado. Por exemplo, uma impressora em condições ruins pode não conseguir imprimir projeções com ângulos de 35º ou 40º em relação à vertical.

Portanto, é recomendável verificar a capacidade da sua impressora antes de imprimir modelos com projeções. Isso pode ser facilmente feito baixando e imprimindo o “Massive Overhang Test” do Thingiverse, que contém projeções variando de 20 a 70 graus em incrementos de 5 graus.

Após imprimir o teste, identifique o ângulo no qual a impressora começa a apresentar falhas, pois esse será o ângulo máximo que ela pode imprimir sem suporte. Faça uma anotação desse valor para ajudar na decisão de onde usar suporte e onde não.

Quais as vantagens de usar suporte?

suporte de impressão 3D

1. Criação de peças complexas

Os materiais de suporte permitem a fabricação de peças com geometrias complexas que seriam difíceis ou impossíveis de serem produzidas de outras maneiras.

2. Inovação em design

Profissionais como arquitetos podem imprimir projetos conceituais mais ousados em 3D, explorando formas e estruturas inovadoras.

3. Liberação de restrições

Engenheiros e projetistas têm liberdade total em seus projetos, sem estarem limitados pelas restrições dos métodos tradicionais de fabricação, como fresamento ou moldagem.

4. Personalização de auxiliares de fabricação

Ferramentas, gabaritos e acessórios podem ser personalizados para tarefas específicas, aumentando a eficiência e precisão na produção.

5. Impressão de conjuntos complexos

Mesmo modelos com partes móveis separadas ou conjuntos intricados podem ser impressos de uma só vez, simplificando o processo de montagem e reduzindo o tempo de produção.

Quais são as desvantagens de usar suportes?

suporte de impressão 3D

Você pode estar se perguntando por que estamos discutindo onde o suporte é necessário e onde ele deve ser evitado. O motivo de toda essa confusão é porque usar estruturas de suporte de impressão 3D tem suas desvantagens. Veja quais são elas!

1. Aumento do custo do material

As estruturas de suporte requerem material adicional e são removidas e descartadas após a impressão.

Se você estiver usando impressão 3D para produção de peças para comercialização provavelmente se preocupará com o custo por modelo. Mas se você faz impressões por hobby você também se preocupa com isso.

Estruturas de suporte de impressão 3D obviamente aumentam o custo do modelo. As estruturas de suporte consomem material e este material é posteriormente removido e descartado. Assim, cada parte da estrutura de suporte que você usa, aumenta o custo do modelo.

2. Maior tempo de impressão

As estruturas de suporte também aumentam o tempo da impressão 3D, uma vez que mais partes precisam ser impressas.

3. Necessidade de pós-processamento

suporte de impressão 3D

As estruturas de suporte de impressão 3D não fazem parte do modelo final. Elas são na verdade apenas suportes utilizados durante a impressão para imprimir pontes e projeções sem prejudicar o resultado da impressão. Isso significa que, depois que você terminar, ainda terá como tarefa adicional remover as estruturas antes que o modelo esteja pronto para uso.

Em um ambiente de impressão 3D para comercialização, o acréscimo de trabalho significa um custo adicional ao modelo.

4. Risco de danificar o modelo

Esquerda: Impressa com suporte. Meio: A remoção do suporte causou danos. Direita: Suporte removido sem muitos danos. (fonte: 3DHubs)

As estruturas de suporte de impressão 3D tocam e geralmente aderem às paredes dos modelos. Pois essa é a única maneira de fornecer suporte a projeções e pontes. Se você não for cuidadoso ao remover essas estruturas, elas poderão deixar resíduos na superfície do modelo. Portanto na pior das hipóteses, parte do modelo pode romper com a estrutura do suporte.

Considerando todas as desvantagens a regra prática é: minimizar o uso delas e adicioná-las somente quando realmente for necessário.

Quais são as geometrias mais comuns de suporte?

Existem dois tipos comuns de estruturas de suporte para impressão 3D:

  1. suporte em árvore;
  2. suporte linear.

Suporte em Árvore

suporte de impressão 3D

Este tipo de suporte é uma estrutura em forma de árvore que suporta as projeções do modelo, pois ele toca a peça apenas em determinados pontos.

A vantagem de utilizar este tipo de suporte para impressão 3D é que a sua remoção é mais fácil e ele não danifica de forma significativa os pontos de contato com a peça. Mas lembre-se que ele é adequado apenas para projeções não planas como ponta do nariz, ponta do dedo ou arcos, pois ele não fornece estabilidade suficiente para projeções planas.

Suporte Linear

suporte de impressão 3D

Esse é o tipo mais comum de suporte utilizado na impressão 3D. Pois ele consiste em pilares verticais que tocam a totalidade do vão entre a projeção e a mesa.

Esse tipo de suporte para impressão 3D funciona para quase todas as projeções e pontes. No entanto, eles são muito mais difíceis de remover e muito mais propensos a causar danos à superfície do modelo.

Outra solução: estruturas de suporte de impressão 3D solúveis

Se sua impressora for de dupla extrusora, existe uma opção melhor do que o tradicional suporte. Você pode carregar uma extrusora com PLA para imprimir o modelo e a outra com um material solúvel em água como o HIPS para imprimir a estrutura de apoio. Uma vez terminada a impressão, basta lavar a estrutura de suporte imergindo o modelo em água ou D-Limoneno.

Esse método de remoção reduz o risco de danos no modelo e facilita o trabalho de pós-processamento. Por isso ele é ideal para impressões mais complexas!

Como remover o suporte sem danificar o modelo?

suporte de impressão 3D

Como as estruturas de suporte de impressão 3D são difíceis de remover e podem danificar o modelo, existem alguns truques que podem te ajudar.

  1. Primeiro, identifique as estruturas de suporte de impressão 3D que estão completamente expostas e fáceis de remover com os dedos. Tente romper essas estruturas manualmente. No entanto, seja sutil durante o processo. Se você fizer isso direito, a maior parte da estrutura de suporte deve sair facilmente.
  2. Em seguida, use uma ferramenta (como por exemplo um alicate ou uma faca) para remover as estruturas que são mais difíceis de acessar. Você também pode usar uma combinação de várias ferramentas de acordo com o suporte que necessita retirar.
  3. Ao usar uma faca, é uma boa ideia aquecer a lâmina. Isso facilita o corte das estruturas de suporte, no entanto, vale ressaltar que você deve manter a atenção para não danificar o modelo impresso.
  4. Lixa também é uma ótima ferramenta para remoção. O lixamento úmido com lixas de alta gramatura (220 a 1200) removerá as estruturas de suporte e também polirá o modelo. Então para melhores resultados, aplique água na peça e lixe em movimentos suaves até que a qualidade da superfície desejada seja alcançada.

Você pode usar o lixamento úmido para remover os últimos pedaços de estruturas de suporte e polir a superfície do modelo (Fonte: Formlabs)

Como otimizar os suportes nos fatiadores?

suporte de impressão 3D

1. Fragilidade

Quanto mais próximo o contato do suporte e da peça com relação à mesa de impressão, mais fino o galho fica.

Se você quer galhos mais firmes e mais estruturados, aumente o diâmetro do suporte.

2. Qualidade do contato do suporte

Uma boa dica para melhorar a qualidade do acabamento do suporte é tornar a camada entre o suporte e a peça mais densa.

Você consegue alterar isso na maior parte dos fatiadores no parâmetro “espaçamento padrão da interface” fazendo com que essa camada seja sólida e possua maior preenchimento.

Desta forma, seu suporte não atrapalha diretamente a qualidade da peça e ainda fica mais fácil de remover!

3. Distância de contato no eixo Z

Nessa configuração você consegue medir a distância entre o suporte e a sua peça.

Quanto maior a distância, mais fácil de remover o suporte, porém, essa configuração pode acabar atrapalhando na qualidade de impressão.

Então, para definir melhor esse número o ideal é realizar testes em cada peça para obter o melhor resultado para aquele projeto especificamente.

4. Padrão de espaçamento

Nessa configuração você vai definir a distância entre os pilares de suporte. Valores maiores nessa configuração, reduzem a quantidade de suportes que você coloca na sua peça.

Se você aumenta a quantidade de suportes, isso torna a remoção deles na sua peça mais complexa. Se você diminui a quantidade de suportes, fica mais fácil de remover.

De maneira geral, lidar com os suportes é um exercício de avaliação. Há vantagens e desvantagens em adicionar ou remover suportes em peças, e essa escolha dependerá da peça específica e dos objetivos do projeto.

É essencial analisar cuidadosamente cada parâmetro do suporte, levando em consideração o formato do arquivo STL e os requisitos de qualidade, acabamento e resistência mecânica da peça final. Dessa forma, o resultado será satisfatório.

Depois de todas essas informações, esperamos que você já esteja apto a utilizar os suportes de impressão 3D para obter sempre peças de qualidade. Agora vale a pena aprender um pouco mais sobre a resistência das suas peças impressas, não acha?

Continue lendo

softwares de modelagem 3D

Conheça 13 dos melhores softwares de modelagem 3D para projetos mecânicos!

Um conhecimento importante para quem quer explorar a impressão 3D é o de modelagem, sendo ela orgânica ou paramétrica. Isso porque criar as suas próprias peças e não depender de sites com arquivos prontos é uma vantagem muito grande! Pensando nisso, listamos os 13 melhores softwares de modelagem 3D neste conteúdo.


Diferentes setores já identificaram na impressão 3D uma alternativa revolucionária. Seja para criação de protótipos ou peças finais a tecnologia já está solucionando problemas e para a indústria mecânica não é diferente!

A utilização da impressão 3D tem facilitado a realização de projetos e, por isso, engenheiros e projetistas estão aproveitando ao máximo os softwares de modelagem 3D que são úteis para muitas aplicações, desde a simulação até os processos de fabricação.

Existem muitas soluções de softwares com recursos avançados que permitem que você trabalhe em projetos realmente técnicos.

Então, para facilitar sua vida, criamos uma lista com os melhores softwares de modelagem 3D para projetos mecânicos. Eles ajudarão você a dar vida às suas peças impressas. Confira os 13 melhores!

 

Os melhores softwares de modelagem 3D

1. SolidWorks

softwares de modelagem 3D

O SolidWorks é um dos softwares de modelagem 3D mais famosos do mundo!

O software foi desenvolvido inicialmente pela SolidWorks Corporation, embora tenha sido adquirida pela multinacional francesa Dassault Systèmes S.A em 1997. Baseia-se em computação paramétrica, isto é, expressa cada variável espacial em termos de uma variável independente (ou duas, no caso de superfícies), gerando formas tridimensionais a partir de formas geométricas.

No ambiente do programa, a criação de um sólido ou de uma superfície começa com a definição de um modelo 2D que depois é transformado em 3D.

Com um amplo leque de funcionalidades, o SolidWorks dispõe de funções específicas para chapa metálica, construção soldada e moldes.

Sendo assim, podemos dizer que as soluções do software abrangem todos os níveis do processo de desenvolvimento de um produto. Além de proporcionar um fluxo de trabalho contínuo e integrado:

  • projeto;
  • verificação;
  • design;
  • comunicação;
  • gerenciamento de dados.

Ele é considerado um dos softwares de modelagem 3D mais completos para engenheiros e projetistas 3D. Uma vez que é a ferramenta ideal para a criação de modelos mecânicos inovadores. Com interface amigável, o software 3D pode ser perfeitamente usado por estudantes de engenharia que procuram uma ferramenta para fazer desenhos mecânicos!

Apesar de ser um software pago, ele possui versão de avaliação grátis disponível sem a necessidade de ser baixada. Para isso, é necessário criar uma conta e realizar o login no site.

2. CATIA

softwares de modelagem 3D

O software CATIA (Computer Aided Three-dimensional Interactive Application), assim como o SolidWorks, é usado para criação de desenhos tridimensionais. Ele foi desenvolvido pela empresa francesa Dassault Systèmes, que teve como intuito inicial criar um software capaz de atender as exigências da indústria aeronáutica. Visando, principalmente, diminuir o tempo de projeto e aumentar a confiabilidade.

O CATIA facilita a engenharia colaborativa entre disciplinas em torno de sua plataforma 3DEXPERIENCE. Incluindo o design de superfícies e formas, projetos de sistemas elétricos, fluidos e eletrônicos, engenharia mecânica e engenharia de sistemas.

Além disso, suporta múltiplos estágios de desenvolvimento de produtos. O que abrange conceito, design (CAD), engenharia (CAE) e manufatura (CAM).

É um software que oferece uma gama de recursos que podem ser aplicados em diferentes segmentos, por isso sua utilização é tão ampla.

Empresas como Boeing, Dassault Aviation, BMW, Chrysler, Honda, Black & Decker, Eletrolux e Sony utilizam o CATIA para desenvolver produtos como Minivan Voyager da Chrysler, Picapes RAM e Dodge Viper, Boeing 777 e o avião de combate Rafale da Dassault Aviation.

Como você pode ver ele é usado para projetar, simular e analisar produtos de diversas áreas e setores. Passando pela indústria naval até os bens de consumo, gerando sempre os melhores resultados.

Portanto se pararmos para olhar em volta, o CATIA está em toda parte! No avião que sobrevoa nossa cidade, no carro que passa na rua e nos eletrodomésticos que estão na nossa casa. Sem falar nas embalagens de uma infinidade de produtos que consumimos todos os dias!

3. Solid Edge

softwares de modelagem 3D

O Solid Edge é um software pago desenvolvido pela Siemens, mas que fornece teste gratuito com acesso a todos os recursos por até 30 dias. 

Esse software 3D foi lançado em 1995, com as ferramentas para trabalhar com superfícies sendo introduzidas posteriormente em 2004. E é nesse mesmo ano que o Solid Edge Mold Tooling, uma opção para projeto de moldes, é lançado.

Por fim, no ano de 2008, acontece o lançamento do Solid Edge com a revolucionária Synchronous Technology. Tecnologia na qual conecta todo mundo no ciclo de vida do produto – sem limitar ninguém.

O Solid Edge é perfeito para projetos complexos, mas também pode ser utilizado para dar forma rapidamente às suas ideias. Ele tem uma ótima funcionalidade de visão 2D, muito conveniente para projetistas mecânicos, assim como poderosos recursos de simulação.

A ferramenta também oferece desenvolvimento de produtos de última geração, com análise de simulação totalmente integrada, e possui as mais recentes ferramentas para fabricação subtrativa e aditiva.

Outro ponto importante vai para os novos recursos de gerenciamento de requisitos e colaboração de projetos – sendo baseado em nuvem gratuita e segura.

Portanto o que nos resta dizer sobre este software é que certamente ele permitirá que você vá mais longe com todos os seus projetos técnicos em 3D. Então baixe a versão gratuita e comece a testar suas funcionalidades agora mesmo!

4. KeyCreator

softwares de modelagem 3D

O KeyCreator fornece todas as ferramentas e opções necessárias para criar diversos tipos de desenhos, símbolos e detalhes com controle de escala e formatação. Ele está disponível nos seguintes idiomas: inglês, alemão, francês, italiano, espanhol, japonês e  português.

Se trata de um software pago, embora disponibilize uma versão de avaliação gratuita por 15 dias.

Suas principais características são modelagem 3D prática e direta e ambiente de design unificado. O software 3D disponibiliza várias funções de edição que fornecem controle sobre peças de mecânica básicas. Outras informações importantes são:

  • leitura dos formatos STEP, IGES, ACIS, Parasolid, Autodesk Inventor, DWG / DXF, SolidWorks, CADKEY, STL, Wavefront OBJ, PDF (U3D) e ACSII;
  • compatibilidade com as extensões STEP, IGES, ACIS, Parasolid, DWG / DXF, Wavefront OBJ, STL, PDF, U3D, CGM, HPGL, VRML, e WMF.

5. Inventor

softwares de modelagem 3D

O software Inventor foi desenvolvido pela companhia Autodesk e permite criar protótipos virtuais tridimensionais, apresentando projetos 3D totalmente funcionais. Um exemplo é o modelo de um motor, que pode ser animado de modo que suas peças se desloquem e girem – assim como no motor real.

O Autodesk Inventor também contempla a parte de engenharia, não apenas modelando as peças, como também permitindo que o seu comportamento mecânico seja avaliado, ultrapassando assim o escopo das principais ferramentas CAD. Como é o caso do módulo de simulação dinâmica (Dynamic Simulation).

Nesse módulo o mecanismo é colocado sob os efeitos de aceleração da gravidade e de todas as outras forças presentes no sistema. Isso permite que o usuário observe e analise o comportamento de sua peça.

Além disso, o Inventor 3D pode ser baixado nos seguintes idiomas: tcheco, alemão, inglês, espanhol, francês, italiano, japonês, coreano, polonês, português, esloveno e chinês.

Como os outros, ele faz parte dos softwares de modelagem 3D pagos – mas oferece versão de teste gratuito. O melhor é que para estudantes existe a opção da versão gratuita de até 3 anos!!! Portanto, vale a pena baixar e conferir!

6. NX CAM

softwares de modelagem 3D

O Siemens NX Unigraphics, também conhecido como UG, é um dos softwares de modelagem 3D CAD, CAM e CAE mais integrados do mundo!!!

É uma solução flexível que ajuda a produzir produtos melhores de maneira mais rápida e eficiente, suportando todos os aspectos do desenvolvimento de produtos – do projeto conceitual até a engenharia e a manufatura. Outro detalhe importante é que o NX oferece um conjunto integrado de ferramentas que coordena e preserva a integridade dos dados, bem como a intenção do projeto e a agilidade de todo o processo.

Além de modelar peças de geometria padrão, ele permite que o usuário crie formas complexas de maneira livre como perfis, por exemplo. Também combina técnicas de modelagem de sólidos e superfícies em um conjunto de ferramentas que se destacam pela facilidade de criação de novos modelos.

O NX CAM possui avaliação gratuita pelo período de 30 dias. Comece o teste agora e descubra o que o NX tem a oferecer!

7. Fusion 360

softwares de modelagem 3D

Fusion 360 é mais um dos softwares de modelagem 3D pago, que foi desenvolvido pela Autodesk Inc. Possui licença para testes de até um mês e com ele o usuário pode criar modelos 3D CAD/CAM para dar vida aos seus projetos. 

Os recursos disponíveis para o design de produtos são:

  • modelagem “freeform“;
  • modelagem sólida;
  • modelagem paramétrica;
  • modelagem de malha;
  • bibliotecas e conteúdo de peças.

Já para as tarefas de cálculo e simulação, o software de modelagem 3D permite a tradução de dados e a modelagem de montagem e articulações. Assim como o estudo de movimento e renderização (processo pelo qual se obtém a visualização do projeto/produto final).

Há ainda uma ferramenta que permite a simulação e o teste de tensão estática linear, frequência modal, térmico e estresse térmico, além de animações. Por fim, nas aplicações de CAM ele permite usinagem.

O Fusion 360 apresenta ferramentas para criação que atende todo tipo de profissional. Dentre elas há modelagem de objetos scanneados e o uso de T-Splines para a formação de imagens conceituais.

O programa também oferece análise e inspeção de formas, importação, exportação e uso de diversos tipos de arquivos. Como .OBJ, .DXF, .DWG, .SLDPRT e .PDF, além de visão 2D ou 3D em até 65 formatos nativos.

Para completar, o Fusion 360 proporciona trabalho colaborativo a partir de modo de compartilhamento de tarefa, data management, acesso remoto aos seus projetos a partir de seu telefone ou tablet, e preparação de arquivos prontos para serem formatados em máquinas do tipo CNC.

Para começar a montar os seus projetos 3D por até 30 dias grátis, clique aqui!

8. ProE

softwares de modelagem 3D

O software ProE concorre diretamente com programas como o CATIA da Dassault Systèmes e o NX da Siemens.

O ProE (também conhecido como PTC Creo ou Creo Parametric) desenvolvido pela Parametric Technology Corporation é um software de projeto de engenharia.

Fornece modelagem de montagem, análise de elementos finitos, modelagem de superfície NURBS (Non Uniform Rational Basis Spline é um modelo matemático usado regularmente em programas gráficos para gerar e representar curvas e superfícies), e também grandes recursos dedicados a projetistas mecânicos. 

Esta é uma das soluções de softwares de modelagem 3D completa. Ele pode ser utilizado para fazer protótipos rápidos de peças mecânicas, mas também para produzir seus produtos de uso final.

Possui versão gratuita de avaliação disponível por 30 dias para download.

9. Alibre

softwares de modelagem 3D

O Alibre Design é um dos softwares de modelagem 3D e está presente no mercado há 20 anos!

De fácil aprendizagem, utilização e precisão, no Alibre Design é possível desenvolver diversas peças como:

  • grandes máquinas;
  • design de moldes;
  • instrumentos científicos;
  • equipamentos para fábricas;
  • projetos escolares;
  • produtos de consumo;
  • réplicas históricas;
  • móveis;
  • peças de robótica;
  • equipamentos industriais.

Com ele você conseguirá criar peças 3D com complexidade ilimitada para qualquer aplicativo, experimentando um processo de modelagem simples. Já que a precisão é embutida e as alterações são fáceis.

No Alibre também é possível criar peças com base em outras peças e executar análises. Possui um ambiente dedicado à modelagem de chapa metálica e fornece tudo o que você precisa. Outra característica desse software 3D é que pode-se converter modelos sólidos regulares ou importados em modelos de chapa metálica, além de visualizar padrões planos com um clique.

Esse software 3D também conta com versão de teste gratuita por 30 dias, então confira!

10. AutoCad

softwares de modelagem 3D

O AutoCAD é um dos softwares de modelagem 3D que contém um conjunto de ferramentas para auxiliar o desenvolvimento de desenhos técnicos. As principais áreas de aplicação são a civil em projetos de arquitetura, hidráulica, elétrica, estrutura etc., além de projetos de mecânica para indústrias.

Basicamente, tudo que é fabricado ou construído tem que ser desenhado, e grande parte dos desenhos é desenvolvido no AutoCAD!

Então, por mais que você e saiba o que é e aprenda a utilizar a ferramenta AutoCAD, obrigatoriamente você deve ter conhecimento específico da área que pretende atuar. Se for mecânica, procure entender o que compõe um projeto e pra que serve cada parte dele. Se possível, veja a aplicação do mesmo.

Com certeza, esse simples passo já irá contribuir para a base do seu conhecimento.

O AutoCad é um software pago que possui uma versão de avaliação gratuita, sendo disponibilizada por 30 dias após ser instalado.

11. Free Cad

softwares de modelagem 3D

O FreeCAD é uma plataforma de modelagem 3D paramétrica de código aberto usada por engenheiros, designers e arquitetos. Suas principais características incluem modelagem paramétrica, código aberto, suporte multiplataforma, extensibilidade, interface intuitiva, compatibilidade com diversos formatos de arquivo 3D, renderização, versatilidade para projetos mecânicos e arquitetônicos, e uma comunidade ativa de suporte.

Além disso, o Free Cad, como o próprio nome diz, é gratuito o que o torna a melhor escolha para aqueles que estão entrando nesse mercado de modelagem agora.

Se não quiser fazer projetos mecânicos aqui vai uma dica extra para você!

Muitos clientes procuram softwares de modelagem 3D que não sejam 100% focados em projetos mecânicos, mas que permitam criar letreiros, personagens e projetos mais simples, então se você tem esse perfil, separei 2 dicas extras para você!

12. Blender

software de modelagem 3D

O Blender se destaca como um modelador 3D que é gratuito, mas entrega resultados de alta qualidade, permitindo a criação de animações e até mesmo jogos. Embora sua interface tenha sido menos intuitiva no passado, essa questão foi resolvida nas versões mais recentes. O Blender possui uma comunidade ativa e uma documentação abrangente, o que é muito vantajoso. Além disso, há um portal brasileiro para ajudar os usuários com suas dúvidas.

As principais funções deste software de modelagem 3D incluem modelagem, animação, texturização, composição, renderização e edição de vídeo. Você pode fazer o download prático e fácil do Blender no site oficial do programa.

13. 3D Builder

3d builder

O 3D Builder é o aplicativo de modelagem 3D da Microsoft que permite aos usuários criar objetos 3D de forma prática, com um catálogo de formas e objetos prontos. Sua interface simples e limpa facilita a rotação, ajuste e escala dos objetos a serem impressos. É compatível com o Windows 8.1 e impressoras 3D plug and play, permitindo adicionar vários objetos à fila de impressão e misturar diferentes objetos para criar novos. Além disso, é possível utilizar projetos 3D de outras fontes no 3D Builder.

Este modelador é muito utilizado pelos entusiastas da modelagem e nós criamos um conteúdo completo sobre este modelador com um passo a passo para auxiliar no processo. Confira!

É importante lembrar que esses são alguns dos softwares de modelagem 3D que lhe permitem realizar excelentes projetos mecânicos. Mas a modelagem 3D não se limita a eles, uma vez que a maioria possui ampla gama de ferramentas disponíveis.

Vimos também que mesmo sendo softwares pagos, todos possuem versões de avaliação grátis por um determinado período de tempo. Portanto vale muito a pena utilizar mesmo que sejam as opções de teste para aprender mais sobre como cada um pode ser utilizado em seu dia a dia!

Agora que você já sabe as principais utilidades desses softwares de modelagem 3D, que tal aprender a modelar projetos mais simples utilizando o Tinkercad?

Continue lendo

manutenção preventiva

Aprenda como fazer a manutenção preventiva em impressoras 3D!

A manutenção preventiva em impressoras 3D pode ajudar a evitar grandes problemas e fazer com que sua máquina esteja sempre disponível para você não perder ótimos projetos!


A manutenção na impressora 3D é uma grande preocupação para quem tem ou deseja comprar uma impressora 3D. Esse serviço é fundamental para garantir o pleno funcionamento do equipamento, mantendo a alta qualidade e disponibilidade.

A manutenção preventiva em impressoras 3D, assim como em outros equipamentos, pode ajudar bastante, economizar tempo e dinheiro. O serviço preventivo é sempre recomendado, uma vez que é mais barato e totalmente programável e te permitirá realizar intervenções na máquina sem prejudicar a produção de peças.

No entanto, se não toma esse cuidado, podem ocorrer quebras e falhas que gerarão um custo mais elevado na manutenção corretiva, além de deixar você sem a máquina por um tempo geralmente maior.

Então, para lhe ajudar, nós criamos este guia de como fazer a manutenção preventiva em impressoras 3D. Confira!

Sem tempo para ler? Então ouça este conteúdo clicando no player a seguir:

Realize a inspeção visual periódica

Os principais componentes que podem causar problemas em sua impressora podem ser percebidos a olho nu na maioria das vezes, como por exemplo, materiais residuais e poeira.

Inclusive, sujeira em excesso é um dos maiores causadores de problemas nas impressoras. Por isso, realizar essa inspeção regularmente pode facilitar bastante.

Mantenha as correias esticadas e eixos lubrificados

Para evitar que a impressão adquira dimensões indesejadas, é importante manter as correias esticadas, além de todos os eixos e parafusos do extrusor bem lubrificados.

Ao longo do tempo as correias sofrem deformação e vão se “afrouxando”. Ajustar e manter o seu tensionamento adequado é fundamental para o bom funcionamento da impressora e bom acabamento das peças. Por isso, se você notar que as correias não estão esticadas o suficiente faça o seu ajuste. Caso note que os dentes estão desgastados verifique a possibilidade de troca.

Outra coisa muito importante é lembrar que os eixos lineares com rolamentos devem ser lubrificados, enquanto não devemos lubrificar os eixos com sistemas de buchas, como os da IGUS. Use graxa branca de lítio ou óleo lubrificante de máquina. Ao longo do tempo as partes que deslizam sobre as barras e até mesmo o uso do laquê deixam resíduos. Portanto é necessário a limpeza e lubrificação para assegurar os movimentos suaves do extrusor, reduzir a carga nos motores e também os ruídos. 

O processo de lubrificação é simples. Basta limpar as hastes para a retirada dos resíduos e em seguida com uma esponja passar o lubrificante sobre elas. Uma dica é passar apenas o suficiente para a lubrificação, nem mais e nem menos! Muito lubrificante pode realmente atrapalhar, atraindo pó e sujeira.

Verifique e limpe o conjunto extrusor

extrusores sujos

As extrusoras desempenham um papel fundamental no processo de impressão 3D. O filamento é derretido e quando passa pelo bico da impressora seu diâmetro é reduzido. É importante que o bico não esteja entupido (total ou parcialmente) com objetos estranhos, como poeira ou outras partículas pequenas.

Esses resíduos podem estar na superfície do filamento quando o mesmo fica mal acondicionado, sendo exposto a todo tipo de impurezas, por isso é importante o seu correto armazenamento. 

Limpe a extrusora regularmente antes e depois de um trabalho de impressão para evitar ou solucionar esse tipo de problema. Já a sua engrenagem deve ser limpa para a retirada de quaisquer resíduos de filamentos. Além disso, verifique a tensão do filamento para garantir que ele não esteja sobrecarregando o motor da extrusora. Ajuste o parafuso de tensão do filamento para obter a espessura correta do mesmo.

Em alguns casos, o bico pode estar tão desgastado que o diâmetro de saída do filamento não é mais o vindo de fábrica. Nesses casos vale a pena a troca do bico por um novo para evitar a sub extrusão. É importante ter em mente que bicos com diâmetro menores são mais sensíveis a partículas estranhas. Então crie o hábito de sempre limpar o bico e verificar se ele ainda tem a dimensão correta para assim manter uma manutenção preventiva em impressoras 3D eficiente.

Verifique se a engrenagem do extrusor

engrenagemtracionador

A força de tração se dá pela pressão exercida dos dentes da engrenagem no filamento. Durante o uso, esses dentes se desgastam impedindo o correto tracionamento do filamento causando subestrusão de moderada a severa. Em caso de desgaste excessivo, realize a troca da engrenagem. 

Verifique a tensão do tracionador

Ajuste da tensão do extrusor

Para entender a importância da pressão adequada do tracionador é essencial a compreensão do seu funcionamento. Ele é formado por um sistema móvel composto por uma mola, um rolamento e uma engrenagem fixa no motor.

Através do aperto do parafuso que prende a mola é possível obter mais ou menos pressão no conjunto. Todo esse sistema empurra o filamento no sentido da engrenagem e auxilia na condução do material para o bico aquecido. 

Por isso torna-se extremamente importante a verificação antes de qualquer impressão, pois se ele não estiver com a pressão correta o filamento não é extrusado de maneira adequada.

Troque o teflon para garantir a manutenção preventiva em impressoras 3D

Assim como os demais componentes, o tubo de teflon também sofre desgaste e até mesmo deformação, tendo como consequência a formação de obstrução para a passagem de filamento. Isso porque esse componente trabalha em altas temperaturas e pode ter ao longo de sua extensão o acúmulo de material residual.

Por isso, a nossa recomendação é que o teflon seja trocado de 6 em 6 meses, mesmo quando ele ainda não apresentar defeitos significativos. Porém, vale ressaltar que nem toda impressora 3D possui teflon em seu conjunto. Portanto verifique com o fabricante se o modelo de sua impressora possui esse componente antes de tentar realizar a troca.

Certifique que os parafusos e conectores estão no lugar

parafusos

Qualquer equipamento com partes móveis está sujeito a vibrações. Essas vibrações tendem a afrouxar as porcas e parafusos e aumentar o ruído da impressora. 

Como as impressoras 3D têm muitas peças mecânicas em movimento e a estrutura vibra durante a operação, é importante que você revise regularmente todos os componentes de fixação, verifique se tudo está bem encaixado e aperte as porcas regularmente para diminuir o ruído.

Da mesma forma, revise todos os contatos elétricos de modo que nenhuma conexão esteja solta ou que qualquer quebra de cabo ocorra por desgaste. É extremamente importante que a máquina seja desligada e que o cabo de alimentação seja completamente desconectado antes de ajustar as conexões elétricas de qualquer tipo.

Mantenha a mesa nivelada, plana e limpa

nivelamento da mesa
nivelamento da mesa

A primeira camada em uma impressão 3D é crítica, pois ela deve estar aderida corretamente à superfície de impressão para que se garanta o sucesso final do projeto. Então, é importante que a mesa seja ajustada para estar mais plana possível e perfeitamente paralela ao lado e à profundidade da máquina (os eixos X e Y). 

Verifique se a distância entre o bico e a mesa em todos os pontos é a mesma. Essa verificação pode ser feita colocando um cartão de visitas entre os componentes nas quatro extremidades da mesa.

Outro fator muito importante para uma impressão 3D bem-sucedida é que a superfície da mesa esteja completamente limpa e livre de óleo ou poeira. Portanto a limpeza antes e depois de sua impressão é fundamental.

Dito isso, quando se trata de manutenção preventiva em impressoras 3D, o velho ditado ainda se faz válido: “é melhor prevenir do que remediar”. As rotinas de manutenção preventiva ajudam a garantir que sua impressora funcione de forma eficaz por um longo período de tempo.

Sua impressora 3D já precisou de manutenção? Comente este post com o problema que você já enfrentou e como solucionou. Compartilhe sua experiência com a comunidade de impressão 3D!

 

Faça a inspeção dos coolers

cooler sujo
cooler sujo

O cooler é responsável por fazer o resfriamento da placa e hot end, por isso, é importante o seu pleno funcionamento. O mal funcionamento do cooler da placa causa um super aquecimento dos seus componentes, principalmente o micro controlador (quando quente irá causar travamentos na impressora) e dos drivers dos motores de passo (fazendo com que ocorra perda de passo). Já o cooler do hot end quando não está funcionando adequadamente, é o principal causador de entupimentos no bico, visto que, o dissipador do hot end atinge temperaturas acima de 50ºC causando o inchamento do filamento no interior da garganta da sua impressora. 

Mantenha sempre o cooler limpo, verifique se nenhuma aleta está quebrada e se o fluxo de ar está adequado. 

Não recomendamos que o cooler seja lubrificado pois o óleo irá diminuir a sua rotação. Sempre opte por substitui-lo. 

Continue lendo

3d builder

3D Builder: aprenda a fazer projetos 3D de forma simples e prática!

O 3D Builder é um aplicativo gratuito que está disponível a partir do Windows 8.1. Ele reconhece os formatos de arquivos usados na impressão 3D e conecta diversos aplicativos a diversos modelos de impressoras para oferecer uma experiência de impressão totalmente integrada. Se você quer saber como utilizar esse software, este conteúdo vai lhe ajudar bastante!


Softwares e aplicativos para modelagem 3D podem parecer complexos para quem está iniciando nesse universo. Talvez por terem muitos termos ainda desconhecidos ou configurações nada intuitivas. No entanto, existem aplicativos como o 3D Builder que foram lançados justamente para mudar essa realidade!

Você já pensou em pegar imagens 2D e transformá-las em projetos 3D em poucos minutos utilizando um aplicativo totalmente gratuito? Sim, isso é possível com o 3D Builder! Além disso ele pode ser utilizado para fazer alterações em projetos já prontos, preparando suas peças para a impressão 3D.

Mesmo que você já conheça o aplicativo, eu aposto que ainda não sabe tudo o que ele tem a oferecer. Então, agora vamos aprender como transformar imagens 2D em perfeitas peças 3D e como alterar seus projetos já salvos. Confira!

O que é 3D Builder?

Exemplos de imagens disponíveis no aplicativo 3D Builder

3D Builder é o aplicativo de modelagem 3D da Microsoft!

O programa permite ao usuário criar objetos 3D de forma prática, uma vez que inclui um catálogo de formas e objetos prontos. A interface simples e limpa permite rodar, ajustar e escalar o que se quer imprimir.

Os interessados devem ter pelo menos o Windows 8.1 instalado e uma impressora 3D compatível. O que significa que o sistema operacional oferece suporte “plug and play” para as impressoras 3D.

Você pode adicionar ainda múltiplos objetos à fila de impressão e até mesmo misturar diferentes objetos para criar novos. Os projetos em 3D criados em outras aplicações ou projetos baixados da internet também podem ser utilizados no 3D Builder.

É possível carregar objetos 3D usando três métodos diferentes. Você pode selecionar um modelo da “Biblioteca” do 3D Builder, carregar os objetos a partir de um arquivo externo ou criar um novo com uma digitalização do Sensor Kinect v2 (3D Scan).

Gratuito, o app está disponível para download na Windows Store.

Recursos disponíveis

  • abre arquivos 3MF, STL, OBJ, PLY, WRL (VRML v2.0) e glTF(v2.0);
  • limpa modelos suavizando e simplificando;
  • restaura modelos automaticamente para que você possa imprimi-los;
  • usa o aplicativo 3D Scan para digitalizar em cores;
  • tira fotos com a webcam e transforma em imagens 3D;
  • usa arquivos BMP, JPG, PNG e TGA;
  • coloca texto ou imagens em alto-relevo em qualquer modelo;
  • arrasta e solta para criar com formas simples;
  • mescla, cruza ou subtrai objetos uns dos outros;
  • corta em fatias utilizando o 3D Print;
  • adiciona uma base a objetos desnivelados;
  • imprime imagens de seus objetos 3D no papel;
  • salva como arquivos 3MF, STL, PLY ou OBJ. 

Exemplos de imagens disponíveis no aplicativo 3D Builder

 

3D Buildermodelos 3d3D Buildermodelo stl

Como transformar imagens 2D em projetos 3D utilizando o aplicativo?

  • Utilize uma imagem PNG sem fundo (caso seja necessário retirar o fundo da imagem utilize um software de edição para retirá-lo e em seguida salve a imagem em PNG);
  • Abra o 3D Builder;
  • Clique em abrir (aparecerão várias opções de abrir imagem, objeto, câmera e digitalizar);
  • Clique em carregar imagem;
  • Assim que a imagem abrir na aba superior você tem a opção de alterar os “níveis” e “suavizar” os contornos. Você pode ir alterando esses parâmetros até encontrar a melhor configuração para sua imagem;
  • Clique em “importar imagem” para que as opções de redimensionar, alterar posição, altura da peça, rotacionar, entre outras, apareçam para você;
  • Após terminar as edições em seu projeto é possível clicar em “impressão 3D” para abrir o aplicativo 3D Print (que é um adicional de fatiamento do 3D Builder), porém nesse caso você só conseguirá imprimir utilizando uma impressora 3D compatível com o 3D Print;
  • Para não ter esse problema, talvez seja mais interessante salvar seu projeto em STL e abri-lo em seu software de fatiamento habitual. Para isso, clique em “arquivo” e “salvar como”. Escolha a opção de extensão de arquivo “STL”, renomeie seu projeto e salve.
  • Agora é só abrir seu projeto no fatiador e mandar imprimir!

Como fazer alterações em projetos no 3D Builder?

Uma outra maneira muito comum de utilização do 3D Builder é para fazer algumas pequenas alterações em um projeto que já está salvo em STL. Para isso basta abrir o seu projeto clicando em carregar objeto ao invés de carregar imagem. Após o objeto ser carregado, você conseguirá fazer furos, mesclar outras formas, pintar, duplicar…

  • No seu menu superior você vai encontrar 6 abas: inserir, objeto, editar, tinta, exibir e ajuda;

modelagem 3d

  • Na aba inserir, você consegue colocar outras formas em sua imagem;

3D Builder

  • Na aba objeto, você vai encontrar funções como copiar e duplicar;

3D Builder

 

  • Na aba editar, existem as opções de subtrair um objeto do outro, mesclar, entre outras;

3D Builder

  • Na aba tinta, é possível pintar o objeto da cor que você escolher;

  • Na aba exibir, você encontra diferentes formas de mostrar sua imagem;
  • Na aba ajuda, é possível conseguir respostas para possíveis dúvidas na utilização do aplicativo;

Enfim existe uma infinidade de opções possíveis. No entanto, vale ressaltar que o 3D Builder não substitui softwares como SolidWorks ou AutoCad para modelagem de peças. Com ele é possível corrigir problemas em seu projeto, acrescentar itens, retirar partes, e muitas outras pequenas alterações. No entanto, fazer a modelagem de uma peça do zero seria um pouco mais complicado e talvez a utilização dos outros softwares citados seria mais adequada. E para esses projetos mais complexos, listamos 13 softwares de modelagem 3D que podem te ajudar!

Em resumo o 3D Builder é um aplicativo gratuito que oferece diversas possibilidades! Para novos usuários é uma alternativa super viável. Pois, além de oferecer os recursos necessários para quem quer transformar imagens 2D em projetos de impressão 3D, ele ainda oferece ferramentas e configurações totalmente intuitivas para quem não conhece a fundo a tecnologia.

Vale lembrar que assim como no Lithophane, não são todas as imagens 2D que podem se transformar em projetos 3D. Carregar a imagem no programa e realizar testes de configuração é sempre válido!

Agora que você já sabe as possibilidades que o 3D Builder tem a oferecer, que tal começar a praticar com impressão? Para isso pode ser interessante você saber um pouco mais sobre os 20 maiores erros de impressão, para não cometê-los enquanto testa o novo software!

Continue lendo

8 formas de aumentar a velocidade da impressão 3D sem perder qualidade!

Podemos dizer que uma das grandes barreiras para a propagação da tecnologia de impressão 3D é a baixa velocidade do processo. Porém, existem algumas maneiras de conseguirmos driblar esse empecilho sem perder a qualidade da peça produzida, e são essas dicas que vamos dar agora.


Sem tempo para ler? Então ouça este conteúdo clicando no player a seguir:

Infelizmente, para aumentar a velocidade da impressão 3D, você não pode simplesmente alterar a configuração no seu fatiador. Por exemplo, o resultado da impressão de uma peça a 100 mm/s com uma altura de camada de 0,1 mm pode não parecer tão bom quanto à mesma peça impressa a 50 mm/s com uma altura de camada de 0,2 mm. Claro que isso depende de vários fatores. Mas no geral a impressão 3D é uma atividade demorada!

A velocidade de trabalho é quase sempre inversamente proporcional à qualidade. Porém, aumentar a velocidade não precisa necessariamente ser sinônimo de impressão ruim. Tudo depende da impressora, do modelo a ser impresso e de qual é a função de sua peça.

As configurações são sempre dependentes da geometria do modelo. Por isso pode demorar um pouco para você experimentar diferentes configurações até encontrar o “ponto ideal” para cada uma.

Os principais fatores que influenciam o tempo de impressão são:

  • estrutura da impressora 3D;
  • velocidade de impressão;
  • altura da camada;
  • diâmetro do bico;
  • densidade de preenchimento.

Excluindo o primeiro item, os fatores podem ser alterados de acordo com o modelo que será impresso. Para lhe auxiliar nas diferentes configurações que lhe permitem aumentar a velocidade de trabalho criamos uma lista com 7 maneiras de você reduzir o tempo de impressão sem perder a qualidade que necessita em cada peça. Confira!

1. Aumentar a velocidade da impressão 3D padrão

A maneira mais comum é aumentar a velocidade da impressão 3D nas configurações do software de fatiamento. Você pode ajustar a impressão para velocidades altas, no entanto, a cabeça de impressão é forçada a se mover mais rapidamente e isso afetará negativamente a precisão de suas peças.

Assim, se você tiver um produto sem detalhamentos, não há problema em aumentar sua velocidade de impressão 3D. No entanto, se o seu produto apresentar muitos detalhes, aconselhamos que você mantenha sua velocidade de impressão normal (geralmente até 60 mm/s).

velocidade

Exemplo no Cura Ultimaker

2. Alterar a densidade de preenchimento e espessura da parede

As configurações de preenchimento afetarão o tempo de impressão e a resistência da peça (a tensão máxima que o modelo pode suportar antes de quebrar). Isso significa que mais preenchimento retorna uma peça mais forte. Porém, com tempos de impressão mais longos e mais recursos consumidos.

Quando preenchida com estrutura de colmeia, a impressão 3D normalmente demora menos tempo antes de ser concluída. No entanto, se você já utiliza este preenchimento, ainda tem algumas opções para aumentar sua velocidade de impressão. Por exemplo: tentar reduzir ainda mais a porcentagem de preenchimento, porém sempre verifique se a relação entre a espessura da parede e o preenchimento permanece boa. Isso impedirá que você perca sua peça durante a impressão.

Vale ressaltar que um produto com menor densidade de preenchimento e menor espessura de parede é mais vulnerável. Portanto, recomendamos usar esta técnica apenas com produtos em que a força não é um fator importante. Por exemplo: modelos de exibição.

Decida sempre suas prioridades. Você quer minimizar custos, economizar tempo ou aumentar a qualidade? Se a resposta for economizar tempo, essa técnica pode te ajudar.

3. Criar design de peças vazias

velocidade da impressão 3D

Foto de cliente: @lojadimensao3d no instagram

Para peças individuais, a velocidade é geralmente uma troca direta com qualidade. Portanto essa técnica está diretamente relacionada com a anterior, uma vez que uma estratégia é projetar suas peças para serem impressas vazias.  As peças no modo vaso também são uma boa opção para otimizar a produção e fazer mais peças

Porém, imprimir sem preenchimento melhorará a velocidade e a qualidade da superfície, mas suas peças não serão fortes.

Além disso, ao projetar, lembre-se de que as peças impressas em 3D são mais fracas ao longo do eixo Z do que no eixo X e Y.

4. Usar um bico maior e maior altura da camada

velocidade da impressão 3D

A altura da camada também pode influenciar no tempo de impressão. Uma maior altura de camada e um bico de maior diâmetro podem otimizar o tempo.

No entanto, reduzem também o tamanho mínimo dos detalhes e arredondam um pouco os cantos da peça. Se a precisão não for um fator fundamental, você pode optar por imprimir com um bico maior e uma altura máxima da camada. A altura máxima da camada é de 75% do diâmetro do bico. Isso significa que com um bico de 0,8 mm você pode construir uma camada de até 0,6 mm.

Se você usar pequenas alturas de camada com bicos maiores, você terá uma melhor chance de manter a qualidade da superfície da sua impressão. Mas, se a sua peça não tiver muitos detalhes, você pode combinar um bico maior com uma altura de camada maior.

Se você estiver experimentando um bico de 0,8 mm, o ideal é escolher uma altura de camada entre 0,2 mm e 0,4 mm. Mude a espessura da parede para 0,8 mm e a quantidade de paredes para apenas uma. Se necessita usar o preenchimento na peça, aumente-o. Você precisará de mais preenchimento com 0,8 mm do que com o bico de 0,4 mm, uma vez que um bico maior produz um preenchimento mais espaçado.

Como consequência de diminuir a quantidade de paredes, a peça torna-se mais frágil, o que afeta na firmeza do produto. Além disso, a impressão com camadas mais espessas significa mais perda de detalhes. Porém, se isso não for uma característica importante para seu modelo, vale a pena utilizar essa técnica.

Você também terá que trabalhar para descobrir o equilíbrio certo entre velocidade e temperatura. Se a sua impressão estiver muito caída, aumente sua velocidade. Se a extrusora emitir ruídos, aumente a temperatura de extrusão.

5. Produzir ao mesmo tempo

velocidade de impressão

Você pode imprimir duas peças ao mesmo tempo. No entanto, isso só é possível quando ambos os modelos são pequenos o suficiente para caberem na mesma mesa de impressão. Para executar esta técnica, organize a disposição das peças na mesa de impressão, dentro do fatiador.

Produzir ao mesmo tempo proporciona mais conveniência e economiza tempo. A reinicialização e o aquecimento da impressora não são mais necessários. Porém, tenha em mente que você deverá usar o mesmo filamento para ambos os produtos para evitar problemas de diferentes temperaturas de impressão. Assim, essa opção é uma maneira indireta de aumentar a velocidade da impressão 3D.

6. Utilizar um material para dois propósitos

Impressoras 3D com duplo extrusor são capazes de imprimir multicores e multimateriais. Isso significa que você pode imprimir um modelo de PLA e usar material de suporte solúvel. No entanto, a impressora precisa alternar entre dois materiais e isso pode aumentar o tempo de impressão.

Uma solução para aumentar a velocidade da impressão 3D indiretamente é usar apenas um material para ambos os propósitos. Por exemplo, usar PLA como material principal e também material de suporte.

O material de suporte da peça deverá ser impresso com uma densidade de preenchimento menor, para depois ser mais fácil de remover. Dessa forma, a impressora não precisa alternar entre dois materiais, o que economizará muito tempo de impressão.

7. Configurar para o volume máximo de extrusão

Seu bico pode extrusar um determinado volume de material de cada vez. Este volume é determinado por uma combinação de três configurações:

  • velocidade de impressão;
  • tamanho do bico;
  • altura da camada.

Aumentar qualquer um desses três valores, sendo que os dois últimos devem ser combinados, fará com que a impressora libere mais filamento. Em consequência isso aumentará a velocidade da impressão 3D, porém, também significa que você terá que aumentar a temperatura para garantir que ele seja derretido com rapidez suficiente para ser depositado nessa velocidade. Por padrão, imprime-se PLA com um bico de 0,4 mm até aproximadamente 210° C. Se você mudar o bico para 0,8 mm, a temperatura deve subir um pouco.

8. Escolher uma impressora de alta velocidade 

velocidade da impressão 3D

As impressoras de alta velocidade já possuem toda e estrutura necessária para entregar velocidade de impressão associada à qualidade. 

Hoje, existem impressoras no mercado que entregam até 600 mm/s de velocidade por um excelente custo-benefício. Um dos momentos mais recentes é a K1, lançamento da Creality que entrega uma estrutura reforçada, tecnologia de ponta e sistema operacional que roda em uma CPU de 2 núcleos de 1,2 GHz.

Pesquisas realizadas pela Creality mostram que a série K1 atinge a velocidade máxima de 600 mm/s em apenas 0,03 s com uma aceleração de 20.000 mm/s 2 , e é possível imprimir um 3DBenchy (barquinho comum da impressão 3D) em apenas 13 minutos, mostrando que ela é 12 vezes mais rápida que a maior parte das impressoras 3D.

Portanto, o essencial quando deseja-se aumentar a velocidade de uma impressão 3D é entender a finalidade do modelo e a capacidade da máquina. Por exemplo, se a peça for apenas um item decorativo vale a pena abrir mão da resistência final diminuindo a densidade de preenchimento e a espessura da parede. Por outro lado, se você for imprimir uma peça em que os detalhes não são fundamentais ou são muito poucos, pode-se aumentar a velocidade de impressão padrão sem prejuízos na qualidade final.

Essa análise deve ser feita caso a caso e 

Agora que você já aprendeu como aumentar a velocidade da impressão 3D de diferentes formas, que tal descobrir qual a influência da altura da camada em suas peças 3D?

Continue lendo

Tipos de filamentos para impressoras 3D

Tipos de filamentos para impressoras 3D: conheça os principais

Os tipos de filamentos para impressoras 3D disponíveis no mercado são diversos. Podemos trabalhar com PLA, ABS Premium, PETG, Flex e muitos outros. Cada um tem características e aplicações diferentes.


Com o uso crescente da tecnologia de impressão 3D nas mais variadas áreas do conhecimento e da indústria, a escolha correta do tipo de filamento pode ser a razão entre o sucesso ou o fracasso do seu projeto.

Pensando nisso, você saberia dizer quais são as principais diferenças entre os tipos de filamentos para impressoras 3D?

Se a resposta foi não, fique tranquilo que vou te explicar tudo o que você precisa saber para investir no material que melhor vai atender às necessidades do seu trabalho. Confira!

Quais são os principais tipos de filamentos para impressoras 3D?

ABS

Tipos de filamentos para impressoras 3D: ABS

Derivado do petróleo, o filamento ABS é um dos materiais mais utilizados para impressões 3D, sendo ainda mais comum na indústria. É resistente a altas temperaturas e impactos, com visual opaco bastante agradável para peças que necessitam de menos brilho. 

É um material que possui dureza superficial baixa, o que permite um acabamento fácil após a impressão, além de ser solúvel em acetona pura.

Aqui na 3D Lab fabricamos o ABS Premium, uma evolução do ABS comum, que corrige falhas como cheiro forte, warping e imperfeições na adesão entre camadas.

PLA

Tipos de filamentos para impressoras 3D: PLA

Certamente outro dos materiais mais utilizados, o filamento PLA (Ácido Poliláctico) é produzido a partir de fontes renováveis. Então não polui o meio ambiente e não causa danos à saúde. 

Por ser um material de fácil impressão, o seu uso é indicado tanto em impressoras abertas como fechadas, com ou sem mesa aquecida. E, por ter baixa contração (warping), esse material é indicado para peças grandes e que não vão precisar de muitos acabamentos após a sua produção.

Em nossa loja você encontra o PLA, e o PLA Silk, filamentos de excelente qualidade produzidos com a matéria prima da NatureWorks, considerada a melhor do mundo para impressão 3D.

PLA Flexível

Filamento PLA Flexível

Desenvolvido para a fabricação de modelos que precisam de flexibilidade e resistência ao impacto, o PLA Flexível é compatível com qualquer impressora 3D, desde que a mesma tenha mesa aquecida e pode ser imprimido em uma velocidade de extrusão mais rápida.

O PLA Flexível 3D Lab também apresenta uma rigidez levemente superior ao filamento flexível normal e pode ser imprimido com as mesmas configurações do PLA 3D Lab.

PETG

Tipos de filamentos para impressoras 3D: PETG

Por ser um material muito resistente, o PETG é a escolha perfeita para quando é necessário imprimir peças que precisam absorver impactos. 

Como o PLA, este filamento pode ser usado em impressoras abertas ou fechadas, além de não emitir gases tóxicos nem rachar. Basicamente, este material reúne ótimas características do PLA e do ABS, tornando o seu uso em impressoras 3D particularmente especial.

Outro detalhe importante é que, considerado Food-Safe, o filamento PETG é o mais indicado para aplicações na gastronomia e confeitaria.

Veja também Impressão 3D na Confeitaria: Case de Sucesso Thais Dohler

Filamento Flexível

Filamento Flexível

O Flexível é especial pois permite a utilização das impressoras 3D na criação de objetos que necessitam ser mais maleáveis, como palmilhas e anéis de vedação. 

Para imprimir com perfeição é necessário verificar sempre a sua máquina, pois a folga excessiva entre o tracionador e o extrusor pode fazer com que o filamento dobre e a impressão seja interrompida. Fique de olho!

Na 3D Lab também produzimos o filamento Flexível que, diferente do PLA Flexível, é feito a partir da matéria prima TPU.

Filamento de Madeira (Wood)

Tipos de filamentos para impressoras 3D: Wood

Este filamento especial para impressoras 3D é produzido com PLA e fibras de madeira. Permite a criação de peças visualmente bonitas com aspecto rústico, ideais para decoração. 

Para imprimir com o filamento Wood é necessário utilizar um bico com diâmetro maior, a partir de 0,6mm. Isso porque como há fibras reais de madeira, se o bico for de 0,4mm ou inferior a esse diâmetro, essas fibras podem não passar pelo orifício – gerando o entupimento do extrusor.

Filamento Solúvel (HIPS)

Filamento Hips

O HIPS é um filamento solúvel, mistura de poliestireno e borracha. Por ser facilmente dissolvido na solução de d’limoneno. É frequentemente utilizado como material de suporte pois elimina a necessidade da remoção por meio de abrasivos, ferramentas de corte ou outros materiais que podem deixar a sua impressão com acabamento inferior. 

Considerando os parâmetros de impressão, o comportamento do filamento HIPS é bem similar ao ABS Premium.

Nylon

Filamento Nylon

O filamento Nylon é uma opção certeira para quem busca peças resistentes e extremamente duráveis. A sua aplicação é bem parecida com o PETG, ou seja, a criação de peças de alto impacto ou tensão. 

Apesar da grande durabilidade, a temperatura de extrusão do Nylon — entre 255ºC e 275ºC — e a sua grande capacidade de absorver umidade podem atrapalhar a performance na hora de imprimir a sua peça. Em contrapartida, por ter baixo coeficiente de atrito o Nylon é altamente recomendado para peças de movimentação, como engrenagens ou buchas. 

Tritan

Filamento Tritan

Considerado como um plástico de Engenharia, o Tritan tem alta resistência mecânica e térmica. É devido a essas características que ele é muito buscado para a impressão de peças técnicas.

No entanto, uma limitação desse material está na faixa de temperatura necessária para a extrusão, que fica em torno de 300ºC. Essa temperatura é superior à resistência térmica do teflon, material bastante usado na maioria dos extrusores das impressoras 3D mais populares. Por isso, é indicado em impressoras com extrusor All Metal.

PVA 

Filamento PVA

Assim como o HIPS, o filamento PVA é um filamento solúvel. Porém, a solubilidade dele se dá em água. É bastante utilizado como material de suporte, principalmente quando é necessário imprimir peças complexas e com saliências. 

Condutivo

Tipos de filamentos para impressoras 3D: Condutivo

Destinado à Indústria Eletrônica, o filamento Condutivo é, como o próprio nome diz, um plástico condutor com a mesma facilidade de impressão de um PLA comum. Apresenta boa resistência, e sua temperatura de extrusão é de 205 a 230°C.

Alguns exemplos de sua aplicação são teclados digitais, baterias eletrônicas, placas Arduino, alimentação de LED’s, produtos antiestáticos dentre outros.

Vimos aqui que existem muitos tipos de filamentos para impressoras 3D no mercado. Cada material tem vantagens e desvantagens, características nas quais devem ser bem analisadas. Na verdade, cada projeto tem suas especificações e são baseadas nelas que você deve escolher o material ideal.

Observe as informações que colocamos neste conteúdo e veja qual é o material mais adequado para a sua necessidade!

Agora que você já sabe as diferenças entre os principais filamentos para impressão 3D do mercado, entre no site da 3D Lab e confira as nossas ofertas para cada um desses materiais.

Continue lendo

Tutorial do Tinkercad: aprenda a utilizar esse software em sua modelagem 3D!

Tinkercad é uma ferramenta que permite criar peças bem legais de forma rápida e fácil. Neste conteúdo vamos mostrar como dar os primeiros passos nesse software de modelagem!


Uma das principais dificuldades de quem utiliza a impressão 3D está na modelagem das peças. Muitas vezes nós sabemos o que queremos e precisamos imprimir, mas não temos o conhecimento para colocar isso em prática em um software de modelagem 3D. Para complicar, alguns desses softwares são bem complexos e caros!

Mas você já ouviu falar no Tinkercad?

Se trata de um aplicativo da Autodesk, e provavelmente é o software mais fácil e acessível para criar modelos 3D. Nenhuma experiência anterior em modelagem 3D é necessária. O melhor de tudo é que ele é totalmente gratuito e online!

Ficou animado em tornar seu processo de criação mais simples? Então, neste tutorial você conhecerá as principais ferramentas que o aplicativo Tinkercad tem a oferecer. Quando finalizar a leitura, garanto que a modelagem 3D não será mais um problema!

O que é o Tinkercad?

Tinkercad

O Tinkercad é uma coleção de ferramentas de softwares, online e gratuita, para quem deseja criar modelos em 3D de forma bastante simples e intuitiva. 

Utilizando essa ferramenta, você tem acesso a diversas formas geométricas para construir o seu projeto. O slogan do Tinkercad  traduz muito bem sua funcionalidade: “da mente ao projeto em minutos.

Para utilizar o a ferramenta basta criar uma conta gratuita no site.

Quais são as principais ferramentas do Tinkercad?

Embora o Tinkercad seja perfeito para iniciantes, isso não significa que aqueles que têm mais experiência com modelagem 3D não gostarão desse software.

A ideia principal da ferramenta é que você crie modelos mais complexos a partir da composição de várias formas simples.

Além disso, o software permite adicionar circuitos eletrônicos aos projetos 3D para criar objetos com luz e movimento. O resultado final pode até ser simulado no software para verificar como os componentes responderão na vida real.

O Tinkercad disponibiliza formas como esferas, cilindros, caixas, cones, textos, números e conectores que podem compor o seu projeto.

Usando essas formas você poderá  agrupar, duplicar, desagrupar, alinhar ou espelhar até conseguir chegar em um resultado satisfatório para a sua modelagem.

E para imprimir o modelo construído no Tinkercad, a boa notícia é que você conseguirá exportar seu arquivo em formato STL ou OBJ para poder realizar as configurações de pré-impressão no fatiador de sua preferência (nós utilizamos o CURA).

É preciso fazer o download do TinkerCad?

Uma das principais vantagens do Tinkercad é ser totalmente online, ou seja, você não precisa fazer o download para utilizá-lo. No entanto, para utilizá-lo é necessário se cadastrar. Depois de criar a conta de forma gratuita, basta começar a modelar!

Como dar os primeiros passos no software?

Para começar, acesse o site do Tinkercad clicando aqui. Clique em “Inscrever-se” no canto superior direito (se você ainda não tiver uma conta criada, caso contrário basta realizar o login clicando em “Entrar”).

Tinkercad

Na tela de cadastro você escolherá o país e colocará sua data de nascimento. Então clique em “Avançar”. Digite seu e-mail e a senha escolhida. Aceite os termos de serviço e privacidade e clique em “Criar conta”.

Criar conta no Tinkercad

Com a conta criada o aplicativo abrirá automaticamente a tela inicial com o tutorial de primeiros passos. Caso queira pular essa etapa basta clicar no “X” do lado direito.

Conta Tinkercad

Quais são os recursos do software?

O Tinkercad utiliza o mesmo princípio do Lego. Nele, você trabalhará principalmente com formas pré-definidas e estruturas geométricas. Você pode adicionar ou subtrair peças para criar furos ou objetos ocos.

O primeiro passo para começar o seu projeto é clicar em “Criar novo design”.

Criar projeto 3D

A tela de trabalho se abrirá como na imagem abaixo:

Menu Tinkercad

1. O retângulo indicado com o número 1 exibe os recursos de “Copiar” (Ctrl+C), “Colar” (Ctrl+V), “Duplicar” (Ctrl+D), “Excluir” (Delete), “Desfazer” (Ctrl+Z) e “Refazer” (Ctrl+Y).

2. O recurso indicado pelo retângulo vermelho de número 2 é utilizado para movimentação do plano de trabalho. O plano de trabalho também pode ser movimentado ao ser selecionado com o botão direito do mouse. Para mover em diferentes direções, mantenha pressionado o botão de seleção.

3. O retângulo de número 3 contém as funções mais importantes, que são “Mostrar tudo” (Ctrl+Shift+H), “Agrupar” (Ctrl+G), “Desagrupar” (Ctrl+Shift+G), “Alinhar” (L) e “Virar” (M);

4. O retângulo vermelho indicado com o número 4 refere-se às listas de formas, textos e demais recursos que o aplicativo tem a oferecer.

Como começar a modelar com o Tinkercad?

Chegou a hora de iniciar seus projetos no Tinkercad! Como exemplo vamos mostrar um modelo de identificador de bagagem. Mas você pode explorar a criatividade, uma vez que o aplicativo lhe permite isso.

Passo 1: utilizando a forma “Caixa”

Ao iniciar o seu projeto, o primeiro (e essencial) passo é adicionar a ferramenta “Régua” localizada no canto direito superior no seu plano de trabalho. Dessa forma, você sempre terá uma referência de medidas.

Régua

Em sequência, arraste a forma “Caixa” para iniciar a sua modelagem.

Formas geométricas

Clique sobre o objeto e altere no próprio menu da forma. Ou, se preferir, edite as dimensões desejadas sobre algum dos quadrados brancos que aparecerão ao redor da figura.

No nosso identificador de bagagem foi utilizado 100 mm de comprimento por 30 mm de largura. Na altura ele ganhou 0,8 mm.

Retângulo

Para girar a peça sobre o plano de trabalho, basta clicar em cima da figura e mexer na rotação da mesma.

Rotação no Tinkercad

Passo 2: utilizando a forma “telhado arredondado”

Na curva lateral da peça você pode utilizar duas formas diferentes: o cilindro (colocando metade dele para dentro da peça retangular), ou o telhado arredondado.

Formas geométricas

Aqui selecionamos o telhado arredondado, girando-o 90º no plano XY.

Formas geométricas

Para girar 90º no plano Z, movimente o plano de mesa. Dessa forma se torna mais fácil visualizar.

Formas geométricas

Em seguida, altere as dimensões do telhado para 10 mm de comprimento, 30 mm de largura e 0,8 mm de altura. Para tanto, clique nos quadrados brancos como foi mostrado no passo anterior.

Passo 3: alinhando as partes

Encoste as duas peças que você criou. Para alinhá-las selecione uma delas, segure “Shift” e clique sobre a outra peça. Em seguida, no canto superior direito, selecione a ferramenta “Alinhar”.

Aparecerão pontos pretos para você escolher o tipo de alinhamento. No nosso caso, deixamos as peças centralizadas.

Alinhar no Tinkercad

Passo 4: agrupando as partes

Agora iremos agrupá-las! Para isso basta manter as partes selecionadas e, no canto superior direito, clicar na opção “Agrupar”. A partir de agora as duas peças passarão a ser apenas uma.

união de partes no Tinkercad

Passo 5: fazendo um furo na peça

Existem duas formas de fazer um furo cilíndrico. A primeira é selecionando o cilindro cinza (que inclusive representa um orifício). Já a segunda alternativa é selecionar o cilindro sólido e alterá-lo para orifício. Em ambos os casos, arraste o cilindro por sobre a peça, altere suas dimensões e alinhe as duas peças.

No identificador de bagagem 3D Lab, a dimensão usada foi de 10 mm de diâmetro.

Formas geométricas

Em seguida, selecione as duas formas e clique “Agrupar”. Aonde estava o cilindro será feito um furo na peça como mostrado abaixo.

Agrupar elementos no Tinkercad

Passo 6: acrescentando o texto

Do lado direito selecione “Texto e Números”.

Selecionando texto no Tinkercad

Então arraste a ferramenta “Texto” para dentro da peça. Neste momento uma aba lateral denominada “Forma” se abrirá, e nela você pode alterar o “Texto” e a “Fonte”.

Inserindo texto no projeto 3D

Escolhemos para o nosso exemplo a fonte Sans. As dimensões do texto foram 80 mm de comprimento e 20 mm de largura.

A altura utilizada para o texto foi de 2,0 mm a partir do plano de trabalho, uma vez que a peça e o texto estavam encostados na mesa.

Texto no Tinkercad

Agora agrupe todas os componentes que você criou.

Agrupando as partes

Feito isso o seu modelo está finalizado! Para fatiar e imprimir, basta exportar como STL através da ferramenta “Exportar”. Ela está localizada no canto superior direito. 

Exportar no Tinkercad

Passo 7: imprimindo

Por fim, após ter o seu projeto salvo em STL abra o arquivo em um software de fatiamento de sua preferência. Então selecione as configurações de impressão e coloque para imprimir na sua impressora 3D.

Imprimindo a partir do Tinkercad

No nosso projeto, imprimimos a peça em apenas uma cor de filamento (PLA Azul 3D Lab) e na impressora 3D Creality CR-10 V2. Veja como ficou o resultado final:

Identificador de bagagem Tinkercad

Caso queira imprimir com mais de uma cor, recomendamos que leia o nosso artigo sobre impressões 3D coloridas.

Achou fácil modelar no Tinkercad?

Aposto que foi mais fácil do que você imaginava, não é mesmo?! O Tinkercad realmente possibilita explorar a criatividade sem muitas dificuldades.

Definitivamente é um ótimo aplicativo para quem está iniciando no ramo. Além de facilitar a vida de quem não quer perder muito tempo modelando projetos mais simples. Então, agora que você já sabe utilizar o Tinkercad, que tal colocar esse conhecimento em prática?

Crie e imprima agora mesmo o seu modelo seguindo as instruções deste tutorial. Depois, compartilhe nas suas redes sociais marcando a nossa página para vermos o resultado! Quem sabe o seu projeto não é exibido no perfil oficial da 3D Lab?!

Continue lendo

Decoração de Natal: 5 arquivos práticos para imprimir hoje!

Se você ama decoração de Natal e tem uma impressora 3D, vai adorar este conteúdo! Separamos 5 ideias de peças legais para deixar a sua casa ou o seu trabalho com o maior clima natalino!


Fazer a decoração de Natal é, sem dúvida alguma, um dos momentos mais aguardados do ano para muitas famílias. Para quem tem uma impressora 3D em casa essa tarefa pode ser ainda mais divertida e prazerosa. Isso porque existem inúmeros arquivos natalinos disponíveis na internet!

Neste conteúdo você vai conferir 5 ideias sensacionais de impressão 3D para deixar o seu Natal mais especial. Veja abaixo o que preparamos!

Arquivos para decoração de Natal

1. Bonecos articulados

1. Bonecos articulados

 

Nosso primeiro arquivo da lista é mais que especial! O Papai Noel, os duendes e as renas em versão mini deixarão qualquer ambiente mais legal!

Se você não quiser pintar as peças, é interessante que imprima cada uma delas de cores diferentes.

Faça um teste com o nosso filamento ABS Premium Natural e nos conte como ficou!

Os arquivos estão disponíveis gratuitamente aqui.

2. Estrela dourada

2. Estrela dourada

 

Toda árvore de Natal tem que ter uma estrela no topo, não é mesmo? Melhor ainda se ela for dourada como essa da foto! Se a sua impressora 3D está parada em casa e o tempo está escasso para comprar a decoração de Natal, esse arquivo vai ser uma mão na roda!

A dica aqui é imprimir utilizando o filamento PLA Dourado 3D Lab. A qualidade de impressão e o brilho do material farão a diferença no aspecto final da peça!

3. Mini árvore de natal

3. Mini árvore de natal

 

Quer enfeitar a sua mesa de trabalho ou espalhar o espírito natalino na sua casa? Então este arquivo é o ideal!

Uma pequena árvore na qual podem ser penduradas bolinhas como as de bijouterias. Fica bem legal em cima do móvel da sala ou do criado mudo. E o melhor de tudo: serve como uma ótima opção de presente!

A impressão é bem rápida e o nosso ABS Verde tem a cor ideal para a copa da árvore.

Acesse este link e baixe agora esse arquivo!

4. Bolinhas coloridas

4. Bolinhas coloridas

 

Assim como a estrela no topo, toda árvore de Natal precisa ter as bolinhas de enfeites! Então, melhor do que comprá-las é usar a sua impressora 3D para imprimi-las!

Para o filamento, utilize nosso PLA fosforescente. A sua árvore vai brilhar até mesmo no escuro!

Clique aqui e baixe o arquivo!

5. Caixinhas de presente

5. Caixinhas de presente

 

Para colocar no pé da árvore você pode colocar essas caixinhas de presente! Elas servem como decoração de Natal ou até mesmo para colocar um presente de verdade. Para isso é só aumentar a escala do arquivo.

Baixe o arquivo gratuitamente no site do Thingiverse.

São vários arquivos para decoração de Natal que você pode imprimir. Porém, a data já está chegando! Então se você ainda não começou a se preparar, não perca tempo.

Todos os filamentos que você vai precisar estão disponíveis na nossa loja virtual. Acesse agora e garanta seus materiais!

Continue lendo

Impressão 3D na área da saúde: pesquisadores criam minifígado!

Você já conhece os ganhos da impressão 3D na área da saúde? Essa tecnologia vem ajudando diversos profissionais e departamentos no desenvolvimento de projetos inovadores.


Os pesquisadores da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) criaram minifígados capazes de exercer todas as funções normais do órgão. A novidade deve permitir, segundo a FAPESP, a produção de tecido hepático em até 90 dias.

O estudo foi realizado no Centro de Pesquisa sobre o Genoma Humano e Células-Tronco (CEGH-CEL) e utilizou técnicas combinadas da bioengenharia, como a reprogramação celular e produção de células-tronco pluripotentes, com a bioimpressão 3D. A tática possibilitou que o novo tecido hepático pudesse manter suas funções naturais por um período maior que o registrado em trabalhos anteriores. 

Essa inovação chega para que, num futuro próximo, um paciente não precise mais esperar na fila de doação de órgãos. Com a utilização de suas próprias células será possível fabricar um fígado novo e saudável. Essa é uma ótima forma de utilizar a impressão 3D na área da saúde.

Reportagem completa sobre a impressão 3D na área da saúde

Para mais informações sobre como está sendo utilizada a impressão 3D na área da saúde, confira a matéria completa no site da agência FAPESP.

Continue lendo

PLA Flex: saiba como imprimir com esse filamento!

Já pensou em utilizar um filamento flexível com os mesmos parâmetros (inclusive velocidade de impressão) do filamento PLA? Com o filamento PLA Flex isso é possível!


Quem trabalha com impressão 3D há um tempo sabe como é difícil acertar na fabricação de peças flexíveis. Diversos erros podem acontecer e causar a perda de todo o trabalho. Porém, com a utilização do filamento PLA Flex da 3D Lab isso é muito menos provável de acontecer.  

Feito de Poliuretano Termoplástico, o nosso filamento PLA Flex pode ser utilizado em qualquer impressora 3D, desde que a máquina possua mesa aquecida. Ele é indicado para a fabricação de peças que necessitem de resistência a impacto e flexibilidade.

Criamos este conteúdo para mostrar como imprimir com o filamento e as suas características. Confira!

Qual a diferença entre o filamento PLA e PLA Flex?

O filamento PLA, ou Ácido Polilático, é um dos materiais mais utilizados no mercado de impressão 3D. Ele possui diversas propriedades que o fazem ser uma opção excelente para quem precisa imprimir com qualidade superior. O que diferencia este material do PLA Flex é justamente a flexibilidade que o segundo oferece em relação ao primeiro.

Qual a diferença entre o filamento PLA e PLA Flex

Qual a diferença entre o filamento PLA e PLA Flex?

Semelhantes em alguns aspectos, o PLA Flex possui uma base rígida tal qual ao filamento PLA. Essa característica permite que a impressão seja feita com uma velocidade mais alta, ao contrário de outros filamentos flexíveis, com bases mais maleáveis. 

Quais as vantagens e desvantagens de se utilizar o PLA Flex?

A principal vantagem em utilizar este filamento é a possibilidade de velocidades de impressão mais alta

Como dito anteriormente, o PLA Flex tem uma rigidez levemente superior ao filamento flexível normal. Isso permite trabalhar com velocidades em torno de 40 a 60mm/s. Já o filamento Flexível, também disponível no nosso site, tem velocidade de extrusão sugerida em torno de 20mm/s.

A maior facilidade de impressão é explicada pela chance menor dele dobrar entre o tracionador e o extrusor.

Como configurar a sua impressora para utilizar o filamento?

Para usar o filamento PLA Flex você pode baixar o arquivo pronto, disponibilizado na página do produto, na aba de “Downloads”.

O arquivo que disponibilizamos é para ser utilizado no software fatiador Cura 3D e uma impressora padrão, podendo ser necessário alguns ajustes como volume de impressão etc.

Então, caso você use outro software ou queira entender os parâmetros, confira as seguintes recomendações:

Temperatura do extrusor: de 230ºC a 245ºC

Temperatura da mesa: 60ºC

Distância de retração: 2 milímetros

Velocidade de retração: 10 milímetros por segundo

Fator de extrusão: 1,0 (100%)

Tipo de extrusor: pode ser usado em qualquer tipo. Mas, para extrusores All Metal é recomendado usar lubrificação com óleo lubrificante (óleo de máquina ou até azeite)

Extrusion Width: 0,48mm (largura de extrusão padrão)

Pronto! Com essas informações, com certeza você vai imprimir com qualidade utilizando na sua impressora 3D.

Porém, lembre-se: para o sucesso de qualquer impressão é necessário ter uma boa máquina e um filamento de qualidade! Aproveite para adquirir agora mesmo os melhores filamentos para impressão 3D do país!

Agora que você já sabe como utilizar o filamento PLA Flex, veja este guia com o passo a passo para imprimir com perfeição!

Continue lendo