Em compras acima de R$ 400,00 o frete é grátis! *Exceto impressoras 3D

Tag: melhor filamento para impressão 3d

Filamento Nylon: como imprimir com esse material especial!

O Filamento Nylon é um dos materiais considerados especiais para a impressão 3D. Suas características permitem impressões de peças técnicas e com exigências específicas, como alta resistência térmica. Porém, é preciso saber realmente como imprimir com ele.


Os filamentos mais populares entre a comunidade de impressão 3D são PLA e ABS, isso é um fato no mundo inteiro. Porém, cada vez mais essa tecnologia avança em campos específicos, como é o caso da área técnica, médica e outras. Para atender essas necessidades é que são desenvolvidos os materiais especiais e um deles é o filamento Nylon.

Como para qualquer outro material, para obter alta qualidade nas peças é preciso conhecer os melhores parâmetros de impressão, assim como as características do material em si.

Foi por isso que criamos este conteúdo. Vamos falar sobre o Nylon e como você pode ter sucesso imprimindo com esse filamento. Confira!

Atenção: Nós, da 3D Lab, desenvolvemos um filamento Nylon com parâmetros e características otimizadas em relação ao que há no mercado. As configurações aqui mencionadas são específicas para o nosso filamento.

O que é o filamento Nylon?

O Nylon, que tem o nome técnico poliamida, é um material bem conhecido na indústria plástica, principalmente pelas suas características de resistência e flexibilidade.

Para a impressão 3D o filamento Nylon requer uma temperatura de extrusão mais alta do que para PLA e ABS, em torno de 250ºC (faixa entre 235 e 270ºC).

É importante analisar junto ao fabricante do filamento qual é a temperatura ideal porque as impressoras com tubo teflon só podem chegar em torno dos 260ºC. Já as do tipo All metal não têm essa limitação.

O filamento Nylon da 3D Lab tem a temperatura ideal de 250ºC, então ele pode ser usado nos dois tipos de impressoras 3D.

Quais são suas características técnicas?

Quais são suas características técnicas?

 

Analisando a tabela acima vemos que o Nylon supera em aspectos importantes os outros materiais comumente usados na impressão 3D, como PLA, ABS Premium e PETG.

O Nylon possui estabilidade térmica por conta de suas ligações químicas mais fortes, o que gera uma rigidez estrutural maior e elevada resistência mecânica e térmica.

Quais são as vantagens e desvantagens do filamento Nylon?

⇒ Ótima resistência mecânica

⇒ Alta resistência térmica

⇒ Sem odor desagradável durante a impressão

⇒ Boa flexibilidade

× Dificuldade de adesão na mesa

× Alta absorção de umidade

× Não adequado para ambientes úmidos

Quais são os requisitos para imprimir com o filamento Nylon?

Como mencionamos no início deste artigo, nós desenvolvemos um filamento Nylon específico, melhorando alguns pontos críticos nos demais encontrados no mercado. Todos os parâmetros aqui inseridos foram determinados usando os nossos filamentos como teste. Veja quais são os requisitos para imprimir com qualidade a seguir.

Mesa de impressão aquecida

Mesa de impressão aquecidaPara imprimir com o filamento Nylon a sua impressora 3D precisa ter a mesa aquecida, obrigatoriamente. Caso contrário a peça não fixará na superfície, descolando e interrompendo a impressão.

A temperatura da mesa deve estar entre 110 e 130ºC.

Produto para fixação da peça na mesa

Produto para fixação da peça na mesaSó ter a mesa aquecida não será suficiente. É necessário usar um produto para aumentar a fixação. Para o filamento Nylon nós recomendamos passar uma camada de cola bastão na superfície de impressão.

Além disso, também é recomendado utilizar o Brim como recurso adicional.

Temperatura da extrusora

Temperatura da extrusoraA faixa de temperatura de extrusão do filamento Nylon é entre 235 e 270ºC. Durante os testes que fizemos com o material nós encontramos a temperatura ideal de 250ºC, mas esse parâmetro tem muitas variáveis e é recomendado que você imprima arquivos de testes, como a torre de temperatura, para definir a melhor condição.

Cooler de resfriamento da peça

Cooler de resfriamento da peçaPara imprimir com o filamento Nylon é recomendado que você desligue o cooler de resfriamento da peça. Isso vai reduzir a possibilidade de ela empenar.

Além disso, recomendamos que seja usada uma impressora fechada.

Quais são as melhores dicas para o filamento Nylon?

Então, agora que você já sabe quais são as características especiais desse material e as melhores configurações, vejamos algumas dicas para garantir o seu sucesso:

Sempre guarde o filamento após o uso

Uma característica marcante do filamento Nylon é sua alta capacidade de absorver umidade. Isso, infelizmente, prejudica a qualidade de impressão e pode até impossibilitá-la.

Para o nosso filamento nós conseguimos otimizar esse comportamento, fazendo com que ele absorva menos umidade. Porém, ainda assim nós recomendamos que o carretel com o filamento seja sempre armazenado no plástico zip com sílica quando não estiver sendo usado.

Outra solução interessante é criar uma caixa fechada com dessecante e armazenar os filamentos dentro dela. Fato é que você precisa ter bom cuidado com seus filamentos!

?? Conheça 5 cuidados necessários com seu filamento!

Use brim e skirt nas suas impressões com o filamento Nylon

Os recursos de brim e skirt podem ajudar muito nas impressões com Nylon. Eles aumentam a área de adesão da peça na mesa e impedem que o empenamento aconteça. Nesse caso, abuse do número de camadas de brim!

Imprima em local sem refrigeração forçada

Por fim, certifique-se que a sua impressora 3D esteja em um local que não receba refrigeração forçada. Para imprimir com o Nylon é altamente recomendado que sua impressora seja fechada. Se não for, tente enclausurá-la com uma estrutura de acrílico ou o que mais for possível.

Portanto, vimos neste conteúdo que o filamento Nylon é um material com características bem interessantes para se usar na impressão 3D. Ele é mais indicado em projetos específicos, quando a peça precisa ter alta resistência mecânica ou térmica.

Novamente salientamos que o filamento Nylon que desenvolvemos possui vantagens significativas em relação ao que é encontrado no mercado, como possibilidade de imprimir com menor temperatura de extrusão e menor absorção de umidade.

Tenha atenção com os parâmetros ideias que listamos e aproveite essa nova opção de filamento.

Para colocar tudo isso em prática, vá agora até a nossa loja virtual e adquira o produto Filamento Nylon!

20 principais erros de impressão e como resolvê-los. Guia completo!

Erros de impressão 3D: quem nunca teve a experiência de checar o status de uma impressão e encontrar um verdadeiro “ninho de passarinho” no lugar da peça finalizada? Isso já aconteceu com todos e os motivos são diversos. A questão é saber porque isso aconteceu em encontrar as respostas certas!


Erros de impressão 3D podem fazer com que você perca tempo, filamento e, claro, dinheiro! É difícil encontrar alguém que utiliza a tecnologia e ainda não passou por um episódio frustrante. Porém, você sabia que a maioria desses erros poderia ser facilmente evitada? Para isso a solução está no conhecimento! Devemos sempre entender as razões dos problemas e encontrar as soluções.

Sabe quando você simplesmente começa a mudar os parâmetros sem saber ao certo o porquê? Então, isso não ajuda a solucionar os erros de impressão. Por isso, criamos este guia completo com a lista dos 20 principais problemas e o melhor, como resolver todos eles! Dá uma olhada na lista:

  • overhang;
  • impressão inclinada;
  • arranhões e marcas na superfície superior;
  • deslocamento de camadas nos eixos XY;
  • falta ou pulo de camadas;
  • fios finos na impressão;
  • falta de aderência na primeira camada;
  • linhas aleatórias nas peças;
  • marcas do tracionador no filamento;
  • contração nas primeiras camadas;
  • paredes não se tocando;
  • sub extrusão (subextrusion);
  • linhas espaçadas na camada inferior;
  • acabamento ruim / fios pendurados nas partes suspensas;
  • ondulações e sombras na impressão;
  • fios soltos na impressão (stringing);
  • descolamento de camadas / contração do material (warping);
  • ovalização e linhas não se tocando;
  • camadas inferiores mais largas; e
  • camadas superiores incompletas / falha no fechamento.

E então, preparado para conhecer e resolver os erros de impressão? Boa leitura!

Os 20 erros de impressão mais comuns e como resolvê-los!

Antes de começarmos a falar dos problemas, vale ressaltarmos que é muito importante buscar conhecimento para explorar cada vez mais a tecnologia. Aqui na 3D Lab nós já ajudamos muitas pessoas e empresas com cursos e treinamentos focados em apresentar os recursos da impressão 3D, aprimorar os conhecimentos já adquiridos e transformar iniciantes ou entusiastas em verdeiros especialistas.

Agora, vamos começar a nossa lista dos 20 principais erros de impressão:

#1. Overhang

O que é?

#1. Overhang  O que é?

Para começar, vamos falar de um dos erros de impressão que mais ocorre, o overhang!

Normalmente, ângulos de até 45 graus podem ser impressos sem perda de qualidade. Isso porque qualquer camada em um ângulo de 45 graus é suportada em 50% pela camada abaixo. Em outras palavras, cada nova camada tem suporte suficiente para permanecer intacta e possibilitar a impressão.

No entanto, quando precisamos imprimir peças com ângulos de inclinação a partir de 45° com o plano da mesa, aconselha-se a utilização de suporte. Assim, para uma camada externa uniforme e perfeita, precisa-se que a camada de apoio imediatamente abaixo esteja correta.

O Overhang em questão seria quando a impressão necessita de um apoio sólido, e como a peça é inclinada, o apoio da camada inferior não está totalmente abaixo, necessitando que a extrusão saia mais rígida e não tenda a cair no ar (sem apoio).

#1. Overhang  O que é?

Mas como resolver?

  • o principal motivo para esse e outros erros de impressão é a falta de refrigeração na peça, ou seja, a camada adicionada não tem o tempo de resfriar e como o apoio abaixo está angulado, o polímero que está em transição de fase não tem o tempo necessário para se tornar totalmente sólido e acaba se deformando, normalmente para baixo. Será necessário a instalação de um cooler direcionado para o bico, certificando que ele será capaz de resfriar o material assim que ele está sendo extrusado.
  • outra alternativa seria a diminuição da temperatura de extrusão. Tomar cuidado para não diminuir demais e forçar o extrusor.
  • alta velocidade de impressão: mesmo com a instalação do cooler, às vezes será necessário diminuir a velocidade de impressão, principalmente no perímetro externo, pois com velocidades mais baixas o apoio sob a camada inferior fica mais uniforme, e terá um tempo maior para resfriar, causando uma melhora significativa da peça.
  • para peças muito pequenas, aconselha-se a colocação de mais de uma peça na mesa, de preferência em cantos opostos, gerando um tempo maior de resfriamento.

#2. Impressão inclinada

O que é?

A impressão inclinada é um dos erros de impressão que ocorre quando o conjunto de extrusão se move menos do que o esperado, devido à uma resistência na movimentação da cabeça de impressão.

Aqui estão algumas das coisas que podem causar isso, listadas da mais para a menos provável:

  • a cabeça de impressão colidiu com algo. Talvez algo tenha atrapalhado a impressora, ou talvez o filamento tenha se acumulado em parte da impressão e, em seguida, a cabeça de impressão tenha atingido esse ponto;
  • sua impressora está tentando se mover muito rápido e os motores não conseguem acompanhar;
  • se um endstop for falsamente acionado durante uma impressão, isso fará com que a impressora pense que está na posição 0 e toda a impressão será deslocada. Isso geralmente é causado por uma conexão solta nos interruptores de fim de curso. As paradas finais são normalmente fechadas, portanto, se houver uma interrupção no circuito, a impressora pensará que o comutador está sendo acionado;
  • sua impressora está tentando acelerar muito rápido. Lembre-se da segunda lei de Newton, F = m.a (força igual a massa vezes aceleração). Quanto mais rapidamente a sua impressora tenta acelerar, mais força (e, portanto, torque) é necessária para os motores. Se a sua impressora tentar acelerar muito rápido, o motor não conseguirá fornecer torque suficiente e irá pular etapas;
  • há algum tipo de problema mecânico com seus correias, motores ou engrenagens. Se as suas correias não estão tensionadas corretamente, elas podem estar pulando os dentes nas engrenagens. Além disso, se o parafuso de ajuste na engrenagem do motor não estiver apertado, ele pode estar girando sem controle;
  • seus motores estão superaquecendo. Neste caso, você provavelmente notará os motores parando brevemente. Eles ficarão muito quentes ao toque, e o problema piorará à medida que a impressão continuar. 

#2. Impressão inclinada  O que é?

Mas como resolver?

Assim como outros erros de impressão certifique-se que as correias que ligam os motores de passo para o eixo não estão em contato com o corpo principal da impressora 3D, causando atrito. Tente reduzir a velocidade de impressão.

Certifique-se que os fios dos interruptores de fim de curso estão corretamente conectados a placa-mãe e suas ligações estão apertadas o suficiente. Alternativamente, você pode tentar aumentar a potência de seus motores. No entanto, isso fará com que os motores fiquem mais quentes. Não é aconselhável forçar os motores além dos seus limites de segurança.

#3. Arranhões e marcas na superfície superior

O que é?

Arranhões podem aparecer na superfície superior da peça devido à movimentação do bico extrusor. Esse pode ser considerado um dos erros de impressão simples de se resolver.

Você pode notar que o bico deixa uma marca quando passa sobre uma camada previamente impressa. Isso geralmente é mais visível nas camadas sólidas superiores de sua peça. Esses arranhões e marcas ocorrem quando o bico tenta se mover para um novo local, mas acaba arrastando o material previamente impresso.

#3. Arranhões e marcas na superfície superior  O que é?

Mas como resolver?

Uma das primeiras coisas que você deve verificar é se sua impressora 3D não está extrusando muito filamento. Pois se isso estiver acontecendo cada camada tenderá a ser um pouco mais espessa do que o pretendido. Isso significa que quando o bico tenta se mover em cada camada, ele pode arrastar um pouco do excesso de material. 

Antes de olhar para qualquer outra configuração, você deve certificar-se que não é esse o causador dos seus problemas.

Se o problema não for a quantidade de filamento extrusado a solução passa a ser a função Vertical Lift (Z-hop). Por padrão essa função é zero, mas para resolver o problema deve-se colocar um valor diferente de zero.

Aconselha-se colocar o valor da altura de camada que estiver usando, se tiver usando altura de camada de 0,3mm, coloque o mesmo valor. Ela vai fazer com que a cabeça de impressão, antes de fazer uma movimentação, levante um pouco, 0,3mm nesse caso.

Então, pode acontecer de aparecer uma pequena bolha no bico, durante a movimentação, mas essa bolha é bem mais fácil de ser retirada da peça pronta do que um arranhão.

#4. Deslocamento de camadas nos eixos XY

O que é?

A maioria das impressoras 3D usa um sistema de controle de malha aberta, o que é uma maneira sofisticada de dizer que elas não têm nenhum feedback sobre a localização real de onde a impressão está ocorrendo. 

A impressora simplesmente tenta mover o extrusor para um local específico e espera que ele chegue lá. Na maioria dos casos, isso funciona bem porque os motores de passo que acionam a impressora são bastante potentes e não há cargas significativas para impedir a movimentação da ferramenta. 

No entanto, se algo der errado, a impressora não terá como detectar isso. Por exemplo, se você esbarrar na impressora enquanto estava imprimindo, poderá fazer com que o extrusor se mova para uma nova posição. A máquina não tem feedback para detectar isso, por isso continuaria imprimindo como se nada tivesse acontecido.

Quando esse problema ocorre, como mostrado na foto abaixo, as correias estão com folga nas engrenagens. Esse é um dos erros de impressão mais graves, já que sacrifica totalmente a peça.

#4. Deslocamento de camadas nos eixos XY  O que é?

Mas como resolver?

Se você estiver imprimindo a uma velocidade muito alta, os motores da sua impressora 3D podem ter dificuldades para manter o controle. Se você tentar mover a impressora mais rápido do que os motores podem manipular, você ouvirá um clique quando o motor não conseguir atingir a posição desejada. Se isso acontecer, o restante da impressão ficará desalinhado com tudo o que foi impresso antes dela. 

Se você achar que a sua impressora está se movendo muito rápido, tente reduzir a velocidade de impressão em 50% para ver se isso ajuda.

Se o desalinhamento da camada continuar, mesmo depois de reduzir a velocidade de impressão, é provável que isso se deva a problemas mecânicos ou elétricos na impressora. Por exemplo, a maioria das impressoras 3D usa correias que permitem que os motores controlem a posição da impressão 3D. 

As correias são tipicamente feitas de um material de borracha e reforçadas com algum tipo de fibra para fornecer força adicional. Com o tempo, essas correias podem esticar, o que pode afetar a tensão. Se a correia ficar muito solta ela pode deslizar na parte superior da engrenagem de acionamento, o que significa que a polia está girando, mas a correia não está se movendo. 

Se a correia foi originalmente instalada muito apertada, isso também pode causar problemas. Uma correia muito apertada pode criar um atrito excessivo nos mancais, o que impedirá que os motores girem. 

A montagem ideal requer correias apertadas o suficiente para evitar o deslizamento, mas não muito apertadas a ponto do sistema não ser capaz de girar. Se você começar a perceber problemas com camadas desalinhadas, verifique se todas as correias têm a tensão adequada e nenhuma parece estar muito solta ou muito apertada.

Para verificar se há folga faça uma marcação na correia e na engrenagem, imprima um objeto de teste e verifique se as marcas ainda coincidem. Se isso não estiver ocorrendo, aperte os parafusos e as correias aonde existem folgas até que essas sejam eliminadas.

Solução 2

Muitas impressoras 3D também incluem uma série de correias que são acionadas por engrenagens conectadas a um eixo do motor de passo usando um pequeno parafuso de ajuste. Esses parafusos de fixação ancoram a engrenagem no eixo do motor para que os dois itens girem juntos. 

Entretanto, se o parafuso de ajuste se soltar, a polia não girará mais junto com o eixo do motor. Isso significa que o motor pode estar girando, mas a polia e as correias não estão se movendo. Quando isso acontece, o extrusor não chega ao local desejado, o que pode afetar o alinhamento de todas as camadas futuras da impressão. 

Portanto, se o desalinhamento da camada for um problema recorrente, verifique se todos os parafusos do motor estão bem apertados.

Existem também vários outros problemas elétricos comuns que podem fazer com que os motores percam sua posição. Por exemplo, se não houver corrente elétrica suficiente, eles não terão energia suficiente para girar. 

Também é possível que o sistema eletrônico do acionador do motor possa superaquecer, o que faz com que os motores parem de girar temporariamente até que o sistema eletrônico seja resfriado.

#5. Falta ou pulo de camadas

O que é?

Esse é um dos erros de impressão que dependem do bico da impressora 3D. Isso porque a maioria dos bicos de impressão 3D tem um diâmetro entre 0,3 e 0,5 mm. O filamento se espreme através desta pequena abertura para criar uma extrusão muito fina que pode produzir peças extremamente detalhadas. 

No entanto, esses pequenos bicos também criam algumas limitações para quais alturas de camada podem ser usadas. Quando você imprime uma camada de plástico em cima da outra, você quer ter certeza de que a nova camada está sendo pressionada contra a camada abaixo dela para que as duas camadas se unam.

Quando isso não acontece, uma possível causa é a sub extrusão do filamento, ou seja, a interrupção do fornecimento de material para a impressão pode ocorrer e voltar ao normal. Assim, haverá sub extrusão em uma parte da impressão e não nela toda. Outra possível causa é a falta de lubrificação no eixo z.

#5. Falta ou pulo de camadas  O que é?

Mas como resolver?

Como regra geral, você deve certificar-se de que a altura da camada selecionada seja 20% menor que o diâmetro do seu bico. Por exemplo, se você tiver um bico de 0,4mm, não poderá ultrapassar muito a altura de uma camada de 0,32mm, ou cada camada de filamento não poderá se unir adequadamente à camada abaixo dela. 

Então, se você perceber que suas impressões estão se separando e as camadas não estão grudadas, a primeira coisa que você deve verificar é a altura da sua camada em comparação com o tamanho do seu bico. Tente reduzir a altura da camada para ver se ela ajuda as camadas a se unirem melhor. 

O filamento quente sempre se unirá muito melhor do que o frio. Se você perceber que suas camadas não estão unidas e tiver certeza de que a altura da sua camada não é muito grande, é possível que o filamento precise ser impresso em uma temperatura mais alta para criar uma ligação forte. 

Por exemplo, se você tentou imprimir filamento ABS a 190° C, provavelmente obteve uma peça não satisfatória. Isso ocorre porque o ABS normalmente precisa ser impresso em torno de 220-235ºC para criar uma forte ligação entre as camadas de sua impressão. 

Portanto, se você acha que esse pode ser o problema, verifique se está usando a temperatura correta para o filamento que você comprou. Tente aumentar a temperatura em 10 graus para ver se a adesão melhora.

Uma outra possível solução é a lubrificação das partes da impressora. Algumas vêm com um kit de acessórios, entre eles lubrificante. Normalmente quando o extrusor é all metal, algumas impressoras necessitam de lubrificação no extrusor, sendo aconselhado uma lubrificação com óleo indicado pelo fabricante (normalmente inodoro).

Verifique também os parafusos para que não haja problema de regulagem.

Além disso, sempre utilize filamentos de qualidade na sua impressora. Dessa forma, o controle de diâmetro será bem rigoroso.

#6. Fios finos na impressão

O que é?

Este problema é causado quando o bico de impressão não é bem limpo, principalmente quando resta sobras de material no bico. Por isso, esse pode ser considerado um dos erros de impressão mais simples de solucionar!

#6. Fios finos na impressão  O que é?

Mas como resolver?

Limpe o bico antes e depois de iniciar suas impressões. Felizmente esse problema é bem simples de ser resolvido, pois os pelos são bem finos e portanto fáceis de retirar. Basta esfregá-los com os dedos que eles saem, ou então utilize um isqueiro para eliminá-los.

#7. Falta de aderência na primeira camada

O que é?

Esse é um dos erros de impressão bem comuns e sua causa, na maior parte das vezes, está na regulagem da mesa de impressão. Se a mesa estiver longe do bico a primeira camada não vai ter a aderência correta na mesa, por isso pode soltar-se.

#7. Falta de aderência na primeira camada  O que é?

Mas como resolver?

Antes de fazer a impressão, certifique-se que sua mesa esteja bem regulada. Se o nivelamento for manual, utilize um cartão de visitas. Ele deve deslizar entre o vidro e o bico encostando levemente. Isso deve ser verificado nos quatro pontos da mesa.

Outra causa pode ser sujeira na mesa. Antes de imprimir, verifique se o vidro está limpo, sem oleosidade. Após a limpeza, você pode utilizar produtos para aumentar a aderência da peça à mesa como adesivo fixador líquido para mesa da 3D Lab.

#8. Linhas aleatórias nas peças

O que é?

A imagem abaixo mostra um caso onde linhas aparentemente aleatórias aparecem na parte superior da peça. Isso é um dos erros de impressão onde o modelo apresenta defeitos, que podem confundir o fatiador.

#8. Linhas aleatórias nas peças  O que é?

Mas como resolver?

A melhor opção é reparar o modelo para que esse problema não venha a acontecer. Isso porque para solucionar certos erros de impressão basta corrigir seu modelo.

#9. Marcas do tracionador no filamento

O que é?

A trituração de filamentos, é acompanhada por um som de estalido vindo da extrusora. Geralmente acontece quando as engrenagens não conseguem empurrar o filamento mais para o bico. Com o passar do tempo, as engrenagens retiram o filamento até que não possam mais agarrá-lo. Esse é um dos erros de impressão mais comuns, mas que pode possuir causas distintas.

#9. Marcas do tracionador no filamento  O que é?

Mas como resolver?

Há algumas razões para que o alimentador não consiga movimentar o filamento, tais como:

  • filamento preso: verificar se o filamento está livre no carretel. Pois pode acontecer de ser mal enrolado e travar no momento da impressão;
  • pressão do alimentador: a pressão do alimentador é ajustada por um parafuso na parte superior do alimentador. Por isso ajuste esse parafuso para encontrar a melhor pressão, de modo que o filamento não seja esmagado e nem deslize;
  • refrigeração: é importante ter um ventilador para o filamento no momento que ele passa do estado líquido para o sólido. Pois isso evita que o calor suba através da condução e funda a parte que ainda não passou pelo bico, o que pode acarretar no travamento. Para temperaturas muito elevadas, mesmo com o cooler costuma-se ocorrer esse problema;
  • engrenagens de extrusão sujas: certifique-se de que as engrenagens da extrusora estejam livres de qualquer resíduo de material que tenha ficado para trás. 
  • tubo de teflon atolado: ao verificar as engrenagens da extrusora, observe também os tubos e certifique-se de que não haja detritos neles que possam impedir que o filamento seja carregado corretamente. Para inspecionar os tubos de teflon, basta abrir a engrenagem da extrusora;
  • Bico entupido: se nenhum dos itens acima resolveu este problema, você pode ter um bico entupido. Veja nosso artigo de como desentupir o bico da sua impressora 3D!

#10. Contração nas primeiras camadas

O que é?

Calor excessivo na mesa é o motivo do nosso item número 10 na lista dos principais erros de impressão. Os polímeros apresentam características elásticas. Quando eles resfriam, contraem. Sendo assim, se a temperatura da mesa está alta demais, no resfriamento da peça, as camadas externas vão contrair, enquanto as internas ainda estão quentes.

Esse comportamento é particularmente comum ao imprimir peças muito grandes ou muito compridas com materiais de alta temperatura, como o ABS. Por exemplo, se você imprimiu uma peça de ABS a 230° C e depois permitiu que ela esfriasse até a temperatura ambiente, ela diminuiria em quase 1,5%. 

Para muitas peças grandes, isso pode equivaler a vários milímetros de retração! Conforme a impressão avança, cada camada sucessiva irá se deformar um pouco mais até que as quinas se separem da mesa. Essa pode ser uma questão desafiadora para resolver, mas temos várias sugestões úteis para você começar.

#10. Contração nas primeiras camadas  O que é?

Mas como resolver?

Para nosso filamento PLA, é recomendado deixar essa temperatura da mesa entre 50 e 65°C. Já para o filamento ABS temperaturas variando de 100 a 115°C. Além disso, utilize o spray adesivo na mesa aquecida.

Você provavelmente já percebeu que o resfriamento pode ser um problema para peças que tendem a deformar. Por isso, muitos usuários preferem desabilitar todos os ventiladores externos ao imprimir com materiais como o ABS. Isso permite que todas as camadas permaneçam aquecidas por um longo período de tempo, aumentando suas chances de sucesso.

Embora uma mesa aquecida possa manter as camadas inferiores da sua peça aderidas, pode ser difícil manter as camadas superiores no mesmo estado quando você começar a imprimir objetos mais altos. Nessa situação, pode ser útil colocar sua impressora dentro de um gabinete totalmente fechado. 

Algumas máquinas já incluem um gabinete externo basicamente por esse motivo. Se sua impressora for do tipo fechada, certifique-se de mantê-la assim durante a impressão, o que evitará que o calor escape.

#11. Paredes não se tocando

O que é?

Para este problema, antes de tudo é importante identificar se as paredes não estão se tocando completamente ou se elas estão se tocando apenas em alguns lugares. Se elas estiverem se tocando em partes, muito provavelmente este problema está sendo causado pela correia, que podem estar frouxas.

No entanto, se as paredes não se tocam em todos os pontos, o problema está na extrusão. O programa da impressora pede que sejam feitas linhas de 0,4mm, mas, se há sub extrusão, as linhas serão mais finas e elas não vão se unir adequadamente.

#11. Paredes não se tocando  O que é?

Mas como resolver?

A solução seria reduzir um pouco a velocidade de impressão, ou então aumentar um pouco a temperatura.

Verifique também a configuração do diâmetro do filamento em seu fatiador corresponde ao diâmetro do filamento utilizado no processo de impressão.

Se o diâmetro do seu filamento estiver correto, mas você ainda estiver vendo problemas de subextrusão, será necessário ajustar o multiplicador de extrusão. Esta é uma configuração muito útil permite modificar facilmente a quantidade de material que é extrusado (também conhecido como taxa de fluxo).

Cada extrusora na sua impressora pode ter um multiplicador de extrusão exclusivo, portanto, se você estiver tentando modificar a taxa de vazão para uma extrusora específica, certifique-se de selecioná-la na lista para carregar as configurações dela. 

Por exemplo, se o seu multiplicador de extrusão era 1.0 anteriormente e você o altera para 1.05, isso significa que você estará extrusando 5% a mais de filamento do que anteriormente. É típico que o PLA imprima com um multiplicador de extrusão próximo a 0,9, enquanto o ABS tende a ter multiplicadores de extrusão mais próximos de 1,0.

#12. Sub extrusão (subextrusion)

O que é?

Sub extrusão é, basicamente, falta de material para formação das camadas, e é sem dúvidas um dos erros de impressão mais comuns. Pode-se ver na foto abaixo a falta de preenchimento. Sua impressora vai fazer de tudo para acompanhar a velocidade de extrusão que você determinou, mas se o filamento não acompanhar essa velocidade o problema aparece.

#12. Sub extrusão (subextrusion)  O que é?

Mas como resolver?

Se você insistir em aumentar a velocidade sem que a impressora consiga acompanhar com o fornecimento do filamento, vai gerar uma alta pressão no motor da extrusora. Aumentar o fluxo para compensar não é uma boa ideia, já que não adianta aumentar o fluxo sendo que a passagem de filamento é limitada. O importante é respeitar os limites da impressora.

A causa mais comum para a sub extrusão é que você está pedindo a sua impressora para ir além de sua capacidade. Aumentar a velocidade de impressão pode gerar piora na qualidade da peça e tempo insuficiente para arrefecimento, além de outros problemas.

Quanto mais rápida a impressão, menos tempo o filamento tem para aquecer antes de ser empurrado pelo bico de extrusão causando o entupimento do mesmo.

Entretanto, outro ponto a se analisar é qualidade do filamento. Você deve prezar sempre pela compra de um filamento de boa qualidade, limpo, e com o diâmetro correto. Filamentos ovalizados e com grande variação de diâmetro podem acarretar este problema. Sempre preze por um filamento com a qualidade 3D Lab.

#13. Linhas espaçadas na camada inferior

O que é?

Se a camada inferior de sua impressão apresenta linhas visíveis, é provável que a mesa esteja mal nivelada e longe do bico. Esse é um dos erros de impressão super comuns com o passar do tempo e com a falta de manutenção preventiva!

#13. Linhas espaçadas na camada inferior  O que é?

Mas como resolver?

Quanto mais o bico estiver próximo da cama, mais o material será espremido, consequentemente se misturando melhor com as camadas ao lado. Mas cuidado, a mesa não pode ficar próxima demais do bico. Isso acarretaria no entupimento ou o esmagamento da base da peça. Por padrão, a primeira camada aconselha-se a ser impressa com 0,3mm.

#14. Acabamento ruim / fios pendurados nas partes suspensas

O que é?

Acabamento ruim na impressão é um dos erros de impressão mais complicados. Pois ele ocorre devido à má formação das camadas anteriores. Elas, que deveriam servir de suporte para as demais camadas, são parcialmente impressas e tendem a deslocar.

As camadas superiores então vão acompanhando e agravando o problema. Infelizmente há muitas variáveis para isso. Tais como temperatura, velocidade de impressão, altura da camada, material, resfriamento, cada um destes desempenha um papel na formação das saliências.

#14. Acabamento ruim / fios pendurados nas partes suspensas  O que é?

Mas como resolver?

O resfriamento da peça é, talvez, o mais importante desses fatores. Certifique-se de que o cooler esteja atuando na peça toda.

Peças pequenas, como o robô da foto acima, são um problema porque o bico não vai se movimentar muito, não dando tempo para as partes resfriarem. Tente imprimir mais de uma peça pequena na mesa.

Dessa forma, a cabeça de impressão vai se movimentar e vai haver tempo para as peças resfriarem. Isso vai ajudar muito em pequenos detalhes, como, por exemplo, as antenas do robô da foto acima.

Uma menor velocidade de impressão melhora bastante a qualidade de sua peça, além disso uma baixa temperatura do bico e da mesa pode trazer um efeito positivo.

No entanto, outra variável é a altura da camada. Dependendo de sua impressão uma altura mais espessa será útil para melhorar a qualidade da peça e em certos casos uma camada mais fina é melhor. Só o tempo, sua experiência e testes irão lhe dizer o que é melhor.

#15. Ondulações e sombras na impressão

O que é?

É um padrão ondulado que pode aparecer na superfície da impressão devido a vibrações da impressora ou oscilações. Normalmente, você perceberá esse padrão quando a extrusora estiver mudando de direção repentinamente, como próximo a um canto pontiagudo. 

Por exemplo, se você estivesse imprimindo um cubo de 20 mm, cada vez que a extrusora mudasse para imprimir uma face diferente do cubo, seria necessário alterar as direções. A inércia da extrusora pode criar vibrações quando ocorrem mudanças bruscas de direção, que serão visíveis na própria impressão.

#15. Ondulações e sombras na impressão  O que é?

Mas como resolver?

A causa mais comum é que sua impressora está tentando se mover muito rápido. Quando a impressora muda de direção de repente, esses movimentos rápidos criam força adicional que pode causar vibrações. Se você achar que a impressora está se movendo muito rápido, tente reduzir a velocidade de impressão. 

Você deve fazer ajustes na “Velocidade de impressão padrão” e na “Velocidade de movimento do eixo X / Y”. A primeira controla a velocidade de qualquer movimento em que a extrusora está ativamente trabalhando, enquanto a segunda controla a velocidade de movimentos rápidos sem que ocorra a extrusão. Talvez seja necessário ajustar as duas configurações para ver um efeito significativo.

#16. Fios soltos na impressão (stringing)

O que é?
#16. Fios soltos na impressão (stringing)  O que é?

O stringing é outro problema comum na nossa lista dos erros de impressão. Isso consiste na deposição do material enquanto o bico se desloca para outra posição, representado pela linha azul na foto abaixo.

#16. Fios soltos na impressão (stringing)  O que é?

Mas como resolver?

A primeira ação a se tomar é habilitar a retração. Quando você habilita a retração você indica que quando o bico estiver se movimentando para uma posição, sem que tenha que depositar o material, ele irá “retornar” o material, não deixando que seja depositado.

Entretanto, outra coisa que você pode fazer é aumentar a velocidade de deslocamento. Se a movimentação entre dois pontos for muito lenta, o material vai descer e se depositar fora da peça. Aumentando a velocidade de deslocamento você diminui esse risco. A velocidade de deslocamento em média é definida em 70mm/s, podendo ser aumentada em algumas impressoras.

No entanto, se o erro não for resolvido, saiba que a temperatura também desempenha um papel importante para evitar esse problema. A imagem abaixo mostra claramente o efeito da temperatura. Com valores mais baixos, há menos formação de linhas indesejadas.

#16. Fios soltos na impressão (stringing)  O que é?

Obs.: As temperaturas mostradas são para o filamento PLA! Para outros materiais esses valores vão ser alterados.

#17. Descolamento de camadas / contração do material (warping)

O que é?

Quem gosta de trabalhar com o filamento ABS está frequentemente lidando com este problema. Ele acontece quando, após a extrusão, o plástico resfria e contrai (warping). As forças de contração podem ser tão grandes que a peça pode apresentar grandes desvios e até descolar da mesa, como na foto abaixo.

#17. Descolamento de camadas / contração do material (warping)  O que é?

Mas como resolver?

Para ABS aconselha-se que impressora seja fechada, de forma que mantenha a temperatura em seu interior a mais alta possível. Ou trocar o material utilizado para um com menos contração, como o PLA ou o filamento PETG. Além disso, é interessante também para uma melhor aderência na mesa a aplicação de uma fina camada de spray fixador de cabelo, cola bastão ou cola líquida adesiva.

Outro ponto importante é o nivelamento da mesa. Antes da impressão, verifique se ela está corretamente alinhada.

#18. Ovalização e linhas não se tocando

O que é?

Seguindo a nossa lista de erros de impressão, um problema para quem imprime peças redondas é a ovalização. Ao mesmo tempo, as linhas de enchimento não estão em contato adequadamente no perímetro exterior.

Você pode ver também que as linhas de enchimento são agrupadas em pares, onde duas linhas estão se tocando, seguido por um espaço e, em seguida, mais duas linhas em contato. Estes dois problemas são oriundos da mesma causa, e ocorrem porque as correias de sua impressora estão frouxas.

#18. Ovalização e linhas não se tocando  O que é?

#18. Ovalização e linhas não se tocando  O que é?

Mas como resolver?

Verificar  a tensão de aperto das correias. É uma boa ideia também verificar a lubrificação das hastes. Uma única gota de óleo de máquina ou graxa, em cada haste, é suficiente. Além disso, verifique os parafusos de ajuste da polia. Eles também devem estar bem apertados.

#19. Camadas inferiores mais largas

O que é?

É muito comum que o primeiro par de camadas saia com uma largura maior que a desejada. Isso ocorre pela preocupação da aderência da peça à mesa. Então, se o bico estiver regulado muito próximo da superfície de impressão o material pode ser pressionado demais e achatar a parte inferior da peça, como mostrado na foto abaixo.

#19. Camadas inferiores mais largas  O que é?

Mas como resolver?

Afastar o bico da mesa até que a primeira camada fique o mais uniforme possível. No entanto, se a distância do bico à mesa estiver em excesso, o material pode não aderir na mesa. Essa regulagem é bem sensível e deve ser verificada de tempos em tempos.

#20. Camadas superiores incompletas / falha no fechamento

O que é?

O nosso último item da lista de erros de impressão são as bolhas que aparecem na superfície superior da peça impressa. Elas podem estar abertas ou fechadas, como mostrado nas fotos abaixo.

#20. Camadas superiores incompletas / falha no fechamento  O que é?17

Mas como resolver?

Verifique a ventilação de sua impressora. Se a refrigeração não estiver adequada, os fios finos vão se enrolar e as camadas subsequentes não vão se formar corretamente. Além da refrigeração, um ponto importante é a espessura das camadas superiores. Elas devem ser espessas o suficiente para que a impressora consiga fechá-las corretamente.

Em geral, você precisa se certificar que esteja imprimindo pelo menos seis camadas superiores. Lembrando que você deve calcular a espessura das camadas superiores a partir da espessura das outras camadas, por exemplo, se estiver usando 0,1 mm nas camadas, sua espessura superior deve ter, no mínimo, 0,6 mm.

Então, como vimos em nosso guia dos 20 principais erros de impressão, muita coisa pode acontecer com seus projetos, mas não desanime! Se você seguir o que indicamos, certamente suas peças terão uma alta qualidade, atingindo os seus objetivos.

Se você está enfrentados esses ou outros problemas de impressão 3D e quer tirar as dúvidas com especialistas, mande-nos uma mensagem preenchendo o formulário abaixo e vamos lhe ajudar!

    4 características do melhor filamento para impressão 3D

    4 características do melhor filamento para impressão 3D

    Quer conhecer o melhor filamento para impressão 3D do mercado? Escolher materiais de qualidade tem total influência nos resultados finais. Por isso, criamos este conteúdo com 4 características que você deve buscar para identificar o melhor filamento.


    O filamento para impressora 3D representa a matéria prima dessa tecnologia que vem mudando e otimizando os processos de fabricação. Uma impressora é capaz de fazer coisas incríveis, desde brinquedos e peças domésticas até próteses e equipamentos industriais. Porém, não basta ter uma boa impressora se o filamento não é de qualidade.

    Um erro bem comum é optar por materiais de baixo custo, que não atendem aos requisitos mínimos para uma boa impressão. Essa “economia” pode gerar uma baita dor de cabeça no final do projeto e acabar elevando bastante o custo final. Por isso, é essencial buscar o melhor filamento para impressora 3D!

    Então, para que você consiga identificar todas as boas características de um filamento, criamos uma lista com as 4 principais. Confira!

    A importância em contar com o melhor filamento para impressão 3D

    Uma regra inicial para escolher um bom filamento é não focar somente no preço. Calma, você não precisa pagar valores irreais, como no caso de filamentos importados, para ter um bom material. No Brasil há empresas sérias que se preocupam em entregar bons produtos. Por isso, no nosso artigo vamos mostrar como identificar um bom filamento e garantir o sucesso do seu projeto.

    Antes de falar das 4 características vamos mostrar um exemplo do que representa o preço do filamento em uma peça impressa, que será comercializada.

    Então, imagine que você está usando a impressora 3D com fim comercial, imprimindo projetos. Você optou por cobrar pela hora de impressão, com o valor de R$30,00 a hora. A peça em questão é de uma figura criada para um jogo. A impressão levou 12 horas e, no final, usou, entre o objeto e as perdas com material de suporte, 200 gramas. O material utilizado foi ABS Premium 3D Lab, que custa R$89,90 o quilo (preço atualizado em Fevereiro/2020).

    Dados do projeto

    • monetização: R$30,00 por hora de impressão;
    • tempo gasto: 12 horas;
    • material escolhido: ABS Premium Cinza 3D Lab;
    • preço do filamento: R$89,90 o quilo do material;
    • quantidade de material gasto no projeto: 200g;
    • custo do material gasto: R$18,00;
    • valor cobrado pelo projeto: R$360,00.

    Conclusão

    Ou seja, o valor cobrado pelo trabalho foi de R$360,00 e o gasto em filamento foi de R$18,00, o equivalente a 5%. É um custo muito baixo por um filamento de alta qualidade, não é mesmo?

    Agora, imagine que você encontrou uma outra opção de filamento, o quilo do ABS por R$60,00. O preço é convidativo. No entanto, imagine que você colocou o mesmo projeto para imprimir e quando a peça estava com 60%, a impressão começou a apresentar falhas e você teve que interromper o trabalho.

    Foi necessário retirar a peça e começar novamente, depois de mais de 7 horas de funcionamento da impressora. Você recolocou o projeto e a peça saiu legal dessa vez.

    No fim das contas, você recebeu os mesmos R$360,00, já que o preço é passado antes do trabalho ao cliente. O total de filamento gasto foi de 120 gramas na primeira tentativa e 200 na segunda, totalizando 320 gramas. Com o preço de R$60,00 o quilo, você gastou R$19,20.

    Assim, você gastou mais no segundo caso do que no primeiro. Mas você pode dizer: A diferença foi pouca, prefiro arriscar! Bom, engano seu.

    A diferença principal está no tempo! No segundo caso, com um filamento que não é de qualidade, você gastou aproximadamente 19 horas totais, 7 a mais do que no primeiro caso. Se você tivesse usado esse tempo para fazer um outro projeto, cobrando as mesmas R$30,00/hora, você teria faturado R$210,00 a mais!

    Ou seja, por causa de uma “economia” de R$25,00 você deixou de faturar R$210,00. Triste, não é mesmo? Então, sempre escolha o melhor filamento para impressão 3D!

    A escolha do melhor filamento para impressão 3D

    Então, como prometido, vamos às 4 características fundamentais do melhor filamento para impressão 3D:

    1. Diâmetro dentro da faixa estipulada

    1. Diâmetro dentro da faixa estipulada

     

    Tão importante quanto escolher a impressora, é escolher o melhor filamento para a impressão 3D. Então, o primeiro ponto que destacamos é o controle do diâmetro.

    Algumas pessoas tentam compensar um filamento fora do padrão alterando a configuração do fatiador, mas isso não é indicado, pois se o material está fora do recomendado, mesmo colocando a faixa de variação para baixo ou para cima, você não terá a certeza de que o diâmetro estará dentro desses valores.

    Problemas causados por falha no filamento

    • sub extrusão (filamento abaixo do diâmetro) que causa a falta de preenchimento das camadas;
    • sobre extrusão (filamento acima do diâmetro) que é o excesso de material, causando bolhas a má formação das camadas;
    • travamento no tracionador: pode ser causado pelo diâmetro mais fino, fazendo com que o tracionador “patine” e não gere tração no filamento, ou pode ser causado pelo diâmetro acima, travando o tracionador com excesso de material;
    • entupimento no bico: que pode ser causado pelo diâmetro acima, com excesso de material ou até mesmo impureza no filamento, gerando um inchaço em um ponto do filamento;
    • desgaste excessivo do tubo de teflon: em impressoras com o tubo, trabalhar com diâmetro acima pode causar desgaste excessivo, levando a necessidade de troca rapidamente.

    Todos esses pontos são problemas trazidos pela falta do controle dimensional do filamento. Para garantir que seu material está correto, a melhor forma é usar um paquímetro e medir o diâmetro do filamento.

    Mas, como esse não é um equipamento presente na maioria das residências, converse com o fabricante do material e pergunte sobre como ele controla o diâmetro.

    O mais indicado é que esse controle seja feito por meio de sensores eletrônicos, garantindo que o material esteja dentro da faixa especificada.

    Então, lembre-se: as medidas dos filamentos utilizadas comercialmente são 1,75 e 2,85mm, com tolerância de +/- 0,05. Dessa forma, o filamento pode variar entre 1,70 – 1,80mm e 2,80 – 2,90mm. Se o filamento que você estiver usando está fora desses intervalos, pode estar aí a causa de alguns problemas enfrentados. Nesse caso, entre em contato com o fabricante e cobre uma solução.

    2. Mesma tonalidade de cor em diferentes lotes

    Imagine que você compra um carretel de um quilo de um determinado fabricante de filamentos. Porém, você está imprimindo uma peça grande, com várias partes.

    Você acabou uma etapa e precisa de mais material para finalizar o trabalho. Então, obviamente, consultou o mesmo fabricante e solicitou mais material. Porém, para sua surpresa, o tom da cor foi alterado e sua peça ficou com duas variações. Você não quer passar por isso, não é mesmo?

    Manter o mesmo tom das cores ofertadas é um requisito que deve ser cobrado de todos os fabricantes. Por isso, sempre mantemos um controle de tonalidade entre cada lote, com o cálculo exato da concentração dos pigmentos e parâmetros da máquina extrusora.

    3. Filamento com controle de umidade

    3. Filamento com controle de umidade

     

    A umidade é uma das principais vilãs dos filamentos. Um material que ficou exposto por um bom tempo ao ar, principalmente se o ar ambiente do local está mais úmido, não apresenta as mesmas características de quando ele foi produzido.

    A umidade pode trazer, entre os efeitos:

    • filamento mais quebradiço, podendo romper durante a impressão e parar o projeto;
    • falhas na impressão, onde são formadas bolhas de ar que interrompem o fluxo de material;
    • aspereza nas peças;
    • problemas de adesão entre as camadas.

    Para garantir o controle de umidade nos filamentos, nós, da 3D Lab, embalamos cada carretel à vácuo, junto com um plástico zip para utilização após abertura e o pacote de sílica. Assim, você pode abrir, utilizar o material e voltar com ele para dentro do plástico. Isso é muito importante.

    Muitas pessoas colocam o filamento na impressora e deixam ele lá depois da impressão. Não faça isso. Sempre que não estiver usando, guarde-o.

    Uma outra alternativa é utilizar uma caixa separadora, que consiga manter os filamentos isolados da umidade. Coloque sílica ou produtos que retiram a umidade dentro da caixa, junto com os filamentos. Esses produtos podem ser encontrados em supermercados.

    4. Enrolamento no carretel

    4. Enrolamento no carretel

    Uma grande dor de cabeça ao utilizar os filamento para impressora 3D é quando ele está mal enrolado no carretel. Você prepara a impressora, inicia o trabalho e, quando se dá conta, o carretel está travado, com um nó ou alguma interferência. Novamente, isso pode representar uma perda de tempo e dinheiro!

    O carretel tem uma função importante no enrolamento. Ele deve ser feito para aguentar a pressão necessária para que o produto se mantenha tensionado. Utilizar carretéis de papelão ou outros materiais de pior qualidade pode colocar em risco a sua impressão.

    Outro ponto é o enrolamento do filamento. Ele deve garantir que o fio não trave, começando de uma ponta, indo até a outra e voltando. Para que isso seja feito de maneira correta, nós utilizamos um sistema eletrônico, programado para o carretel específico.

    Se você suspeitar que o enrolamento do seu filamento não está legal, entre em contato conosco e resolveremos o seu problema.

    A relação entre filamentos de qualidade e ótimas impressões!

    Portanto, como vimos em nosso artigo, utilizar o melhor filamento para impressão 3D pode garantir a qualidade dos seus projetos. Escolher opções de baixo custo pode gerar muita dor de cabeça e até colocar toda a lucratividade do seu negócio em risco, além de consumir muito tempo e dinheiro.

    Para descobrir se o filamento que você usa tem qualidade, avalie os 4 pontos que destacamos. Então, confira o diâmetro do material, se está entre 1,70 e 1,80mm ou 2,80 e 2,90mm.

    Certifique-se que a empresa fornecedora mantém a mesma tonalidade do filamento em diferentes lotes. Tenha atenção se a embalagem do material permite armazená-lo de forma a controlar a umidade e confira se o enrolamento está legal.

    Atentando para esses pontos você será capaz de tomar a melhor decisão de compra do filamento para impressora 3D.

    Gostou do nosso artigo? Então agora vá até a nossa loja e garanta seus filamentos!

    Empresa referência em impressão 3D. Impressoras, filamentos e resina para impressão 3D, cursos, manutenção e prototipagem.

    Endereço

    Rua Toyota, n°490, Jardim Piemont - Betim - MG 
    A 20 min do centro de Belo Horizonte.

    Horário de funcionamento

    08:00 às 17:00 | Segunda à sexta-feira

    Dúvidas gerais | Suporte | Vendas

    Nossas redes

    Este site é protegido pelo reCAPTCHA, a Política de Privacidade e os Termos de Serviço do Google se aplicam.
    3D Lab Industria Ltda.
    CNPJ 20.212.019-0001/09
    0