Como ajustar sua impressora 3D: conheça 8 pontos de verificação

Como ajustar sua impressora 3D: conheça 8 pontos de verificação

Ajustar sua impressora 3D e deixá-la bem calibrada é fundamental para conseguir a impressão 3D de peças com alta qualidade. Se a sua máquina não estiver regulada, as impressões podem sair completamente fora daquilo que é esperado.


Sem tempo para ler? Então ouça este conteúdo clicando no player a seguir:

É fato que uma impressora 3D não é uma máquina que você simplesmente liga na tomada e coloca para funcionar. É preciso um certo conhecimento e cuidado para ter bons resultados. Uma boa dica para garantir o sucesso é, antes de iniciar a impressão de seu projeto, ajustar sua impressora 3D, certificando-se que ela está totalmente regulada.

Portanto, se você já tem a sua impressora, mas acredita que as peças podem ficar com uma qualidade melhor, confira este conteúdo e conheça 8 pontos de verificação antes de iniciar a impressão.

Por que ajustar sua impressora 3D?

As impressoras 3D estão sendo aplicadas em diversos nichos de mercado. Peças como protótipos funcionais, peça final, decoração, peças de reposição. As possibilidades são bem diversas e interessantes. No entanto, de nada adianta pensar em diversas aplicações se a sua máquina não está bem ajustada.

Imagine, por exemplo, que você queira imprimir uma engrenagem que será instalada em um equipamento mecânico. A tolerância dimensional da peça deve respeitar os dados do projeto para que o funcionamento do conjunto siga aquilo que é esperado, sem apresentar desgaste acelerado, travamentos ou quebras.

Outro exemplo que podemos construir é com peças decorativas. Nesse caso, o visual é extremamente importante e se a impressora 3D apresentar variações no eixo Z, chamados de Z-Wobble, o seu projeto pode ser comprometido.

Então, fica clara a importância de ajustar sua impressora 3D. Nós vamos mostrar, a seguir, 8 pontos para garantir essa calibração.

Existem alguns arquivos de teste em que você consegue alinhar diversos pontos antes de iniciar a impressão do seu projeto, como o exemplo mostrado abaixo:

ajustar_sua_impressora_3d

Com esse arquivo é possível testar, além da temperatura ideal de extrusão, os seguintes pontos:

  • overhangs;
  • bridge;
  • stringing.

Esse outro arquivo também é ótimo para ajuste, com diversos pontos de validação:

ajustar_sua_impressora_3d

Para baixar estes arquivos basta clicar nos links seguintes:

Portanto vale ressaltar que algumas falhas necessitam ser tratadas com profissionais capacitados tecnicamente. Por isso, se precisar do serviço de manutenção, conte com a nossa ajuda. Basta clicar neste link e solicitar um orçamento.

Quais são os 8 pontos de verificação para ajustar sua impressora 3D?

Como prometido, agora vamos apresentar 8 pontos para garantir que sua impressora 3D esteja calibrada. Acompanhe:

1. Precisão dimensional

A precisão dimensional está relacionada às características da peça impressa e do que foi planejado no projeto. Por exemplo, se você projetou um cubo de 3cm de aresta e, após a impressão, verificou que a peça impressa tem 2,8cm de aresta, a diferença de 0,2cm deve ser considerada.

Existem algumas causas para essa variação. Por característica dos próprios polímeros, eles sofrem contração ao resfriar. Dependendo de como for esse resfriamento, a peça pode contrair mais ou menos (resfriar mais rápido contrai mais).

Outro ponto que gera influência é o preenchimento da peça. Ao utilizar um preenchimento de 100% (peça sólida) pode haver excesso de material e prejudicar a precisão dimensional. É recomendado trabalhar com até 80% quando for necessária uma impressão mais robusta.

Por fim, a altura da camada também tem uma relação com a tolerância dimensional. Se você precisa de uma peça com alta fidelidade ao projeto, é melhor ter uma parede mais uniforme possível, com altura de camada de 0,1mm (100 mícrons) ou até mesmo de 0,05mm (50 mícrons).

2. Regulagem das superfícies horizontais

Toda a estrutura de uma peça impressa é importante, mas a base e o topo são primordiais.

As primeiras camadas formam a base da peça. Se elas não saírem com boa qualidade isso pode ser transferido para todas as camadas sequentes. Já as camadas de topo são aquelas que fecham a peça. Se não forem bem feitas a aparência pode ser terrivelmente prejudicada.

Então, uma das precauções possíveis para ter boas camadas inferiores e superiores é reduzir a velocidade de impressão nessas áreas. Uma faixa de valor interessante é entre 30 a 40mm/s. Pode parecer uma velocidade baixa, mas acredite: a tristeza em perder uma peça no fechamento permite essa precaução!

Outra dica interessante é aumentar o número de camadas inferiores e superiores. Isso melhora o acabamento, tornando as superfícies mais regulares.

Você também pode trabalhar com técnicas de acabamento. O filamento ABS é bastante indicado nesses casos. Ele tem uma baixa resistência superficial e, por isso, pode ser facilmente lixado. Ele também reage com o vapor de acetona pura. Nós descrevemos o processo de acabamento com vapor de acetona em um capítulo do nosso projeto, o Ideias para Imprimir. Confira o vídeo abaixo:

VÍDEO IDEIAS PARA IMPRIMIR – VAPOR DE ACETONA

3. Ajuste de acabamento vertical

A qualidade de superfícies verticais é outro ponto buscado pelos entusiastas da tecnologia. O litophane, por exemplo, é a técnica de impressão de fotos em 3D. O objetivo é usar o relevo e iluminação para transformar uma fotografia 2D em 3D. A peça é impressa na vertical e a qualidade dessa impressão faz toda a diferença no resultado final.

Para trabalhar o acabamento vertical há três elementos: altura da camada, diâmetro do bico e velocidade de extrusão no perímetro. Leve também em consideração o filamento para impressora 3D que está usando para, assim, encontrar a velocidade de perímetro adequada.

É possível ajustar o projeto para uma melhor qualidade nas superfícies verticais. Normalmente os ângulos agudos têm uma menor qualidade se comparados com curvas mais suaves.

4. Overhangs

A tradução direta da palavra “overhang” é “saliências” e, de fato, isso acontece nas peças. O overhang ocorre quando há uma inclinação relevante na peça sem a presença de suporte. A partir de testes, verifica-se que até 45° de inclinação da peça com o plano da mesa é tranquilo para imprimir sem suportes, mantendo uma boa qualidade.

Ajustando sua impressora 3D é possível alcançar ângulos maiores, até 70 ou até mesmo 80°. No entanto, a qualidade pode começar a sofrer com a apresentação das saliências. Trabalhe bem o resfriamento das peças e tente reduzir a temperatura de extrusão.

5. Configuração de retract

A configuração de retract impede que sua peça apresente os famosos strings, que são aquelas linhas, ou fios soltos no meio da impressão. Esse efeito ocorre quando tentamos imprimir mais de uma peça na mesa ou quando uma peça apresenta distanciamento entre dois pontos de impressão. Pela gravidade, o material acaba escorrendo pelo bico, formando as linhas.

Nós também gravamos um vídeo para falar especificamente das melhores configurações de retract. Acompanhe clicando aqui:

VÍDEO IDEIAS PARA IMPRIMIR – RETRACT

6. Bridging

Bridging, ou ponte, acontece quando o bico extrusor deposita filamento de um ponto de apoio ao outro, sem a presença de suporte entre eles. Quanto maior for a distância dessa ponte, mais desafiador é para o projeto.

Então para encontrar os melhores parâmetros de impressão é interessante fazer testes. Deve-se encontrar um equilíbrio entre a temperatura de extrusão, velocidade de impressão e resfriamento da peça.

7. Tolerância de encaixes

O nosso sétimo ponto de verificação para ajustar sua impressora 3D é relacionado às tolerâncias de encaixes. Isso está bem ligado à tolerância dimensional, nosso primeiro tópico.

Ao produzir peças com encaixe ou sobreposição é preciso pensar antes que há uma tolerância e que ela deve ser levada em consideração no momento do projeto. Na impressão 3D FDM, utilizando polímeros, o próprio resfriamento da peça pode ser crucial para permitir ou impossibilitar um encaixe.

O que normalmente é usado para os projetos impressos em caso de encaixes é a consideração de 0,5 a 0,6mm para impressão com ABS ou a faixa de 0,3 a 0,4mm para PLA e PETG. O ideal é imprimir, antes do projeto final, uma peça de teste, com um macho e uma fêmea, utilizando essas tolerâncias e validando os valores para a impressão oficial.

8. Z-Wobble

O Z-Wobble é um efeito que acontece no eixo Z, deixando uma grande ondulação na parede de sua peça. Essa variação é causada por defeito mecânico da impressora.

Observe se o movimento da sua impressora está ocorrendo de maneira adequada, se há vibração ou ruídos estranhos. Qualquer sintoma detectado pode ser o causador do efeito Z-Wobble. Novamente, se a sua impressora precisar de assistência técnica, traga-a para nosso setor de manutenção e vamos lhe entregar o equipamento em perfeito estado funcional.

ajustar_sua_impressora_3d

Portanto, vimos ao longo deste artigo que a sua impressora 3D precisa estar muito bem regulada para imprimir com perfeição os projetos. Não devemos colocar uma impressora 3D como um bicho de sete cabeças. Com conhecimento e interesse é possível melhorar bastante a utilização da tecnologia, agregando mais valor aos projetos.

Todos os pontos que mostramos podem ser verificados de tempos em tempos. Sempre que sentir uma variação na qualidade das peças, abra novamente este conteúdo, refaça os passos de verificação e certifique-se que sua impressora 3D esteja nas melhores condições de trabalho.

Então, agora que já sabe como ajustar sua impressora 3D, leia o nosso conteúdo especial com as melhores dicas para dar manutenção preventiva na máquina!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *