Em compras acima de R$400,00 o frete é grátis! *Promoção valida para os estados do Sul e Sudeste, Exceto para impressoras 3D

Tag: #impressora3d

O que é segurança de alimentos na impressão 3D?

Por estar se tornando cada vez mais acessível, a impressão 3D vem conquistando o seu espaço nos mais diversos segmentos. Um em especial é o setor alimentício, no qual utilizamos a tecnologia na fabricação de artigos de cozinha e objetos que terão contato direto com alimentos. Porém, como fica a segurança de alimentos na impressão 3D?


Mais do que imprimir utensílios para cozinha como suportes de diferentes finalidades, escorredores de louça e pregadores para pacotes de comidas, a manufatura aditiva já chegou na culinária, gastronomia e confeitaria.

Um suporte para cápsulas de café, por exemplo, possui contato mínimo com o produto — se restringindo à embalagem original do mesmo. Sobretudo agora os objetos estão gradativamente sendo usados de forma mais direta em alimentos e bebidas, como é o caso de:

  • espremedores de laranjas;
  • máquinas para modelagem de massas;
  • cortadores de biscoito e pasta americana;
  • recipientes e embalagens para armazenagem de bolos e doces.

Paralelo a isso, esse tipo de aplicação tem aumentado a preocupação no que se refere a segurança de alimentos na impressão 3D, pois há outros fatores importantes a serem levados em consideração além dos materiais seguros para esse fim.

Para entender melhor do que estamos falando, continue a leitura e saiba o que é e como manter a segurança de alimentos na utilização de impressões 3D!

Diferença entre segurança alimentar e segurança de alimentos

Segurança de Alimentos x Segurança Alimentar

Antes de tudo é importante explicar o que é segurança alimentar e o que é segurança de alimentos, pois apesar de parecer se tratarem de uma mesma coisa e estarem interligados, os termos possuem características distintas que os diferem entre si.

A segurança alimentar deriva de “Food Security”. Refere-se ao direito e garantia de acesso ao alimento saudável, nutritivo e adequado para o consumo a toda e qualquer pessoa do mundo. Isso envolve uma série de condutas de manipulação que visam garantir a integridade do alimento desde a produção até o consumo.

Já a segurança de alimentos aborda a garantia da qualidade do alimento, gerando maior segurança ao consumidor. O termo vem de “Food Safety” e objetiva controlar a entrada de qualquer agente contaminante que ofereça riscos para a saúde do consumidor e para a integridade do produto. Sendo realizado durante todo o processo de fabricação e distribuição do alimento.

O conceito de qualidade aqui implica que o alimento não seja contaminado por impurezas como:

  • componentes físicos (ex.: insetos e pedras);
  • componentes químicos (ex.: resíduos de agrotóxicos e metais pesados);
  • contaminantes biológicos (ex.: bactérias e vírus).

Nesse aspecto, a segurança de alimentos se dá por meio da implantação de práticas que objetivam assegurar que alimentos não gerem riscos à saúde. É justamente na segurança de alimentos que focaremos neste conteúdo, já que a impressão 3D pode oferecer riscos de contaminação nas peças impressas.

Os tipos de filamentos seguros para alimentos

Segurança de Alimentos na Impressão 3D

Muitas pessoas acreditam que o filamento PLA é o único material “seguro” para ser usado em alimentos, pois sua origem é de recursos naturais. Porém, existe um filamento correto para essa aplicação e não é o PLA: estamos falando do PETG!

Na verdade, o material PETG é o único que possui selo Food Safe. Ele é derivado do PET – o plástico usado na fabricação das garrafas PET – e contém glicol na sua composição, por isso o “G” no nome. Portanto, se tratando de certificação de segurança de alimentos na impressão 3D, esse é o filamento que você deve utilizar principalmente nas peças que possuem contato direto com comidas e bebidas.

Outro detalhe importante que faz do uso desse tipo de filamento preferível ao PLA, é a sua boa resistência térmica (o que não encontramos no filamento PLA).

Entretanto, é importante destacar que o próprio processo de impressão pode ocasionar resíduos e sujeiras no objeto 3D. Essas impurezas ocorrem, principalmente, durante o percurso do filamento no conjunto de extrusão.

Os cuidados necessários ao utilizar impressão 3D em alimentos

Para uma exposição segura de alimentos com objetos 3D é necessário levar vários fatores em consideração. Confira agora as principais preocupações que você deve ter para garantir a segurança e integridade tanto dos alimentos, quanto de quem vai ingeri-los:

Os riscos de contaminação do alimento na impressão 3D

Segurança de Alimentos na Impressão 3D

O acúmulo de micro-organismos é um dos principais riscos ao utilizar a impressão 3D em contato direto com alimentos. Mesmo a peça com a superfície mais lisinha pode conter pequenas cavidades propícias para o surgimento de germes e bactérias.

Para minimizar o problema, é necessário identificar qual será a verdadeira finalidade da peça e visualizar de que maneira aquele objeto pode virar um depósito de bactérias.

Em todo caso, o ideal é que você imprima a peça que terá contato direto com o alimento em camada 0,3. Já que, por se tratar de uma camada alta, a quantidade de fendas presentes entre as camadas da impressão será menor. O que por sua vez, oferece menos espaços para o acúmulo destes micro-organismos.

Quais materiais usar no acabamento da peça impressa

Segurança de Alimentos na Impressão 3D

Nunca lixe uma impressão 3D que será destinada ao contato direto com alimentos! Isso deixa resíduos na peça, que podem ser ingeridos junto com o alimento. O mesmo vale para acabamentos em pintura, a não ser que a tinta também tenha selo Food Safe.

Algo válido de se investir é na resina epóxi como selante para cobrir as fendas na superfície da peça. A vantagem de utilizar esta técnica é que reduz ainda mais o risco de acumular bactérias na superfície da impressão e o melhor: possui certificação de segurança alimentar!

Como higienizar este objeto

Álcool 70% na Impressão 3D

Embora o PLA seja indicado para peças que não tenham contato direto com alimentos, tanto ele quanto o PETG, precisam passar por higienização.

Como dissemos anteriormente, o PLA não possui boa resistência térmica. O PETG, apesar de ser superior nesse quesito, não suporta temperaturas acima 85C°. Então se você pensou em passar água quente em um objeto impresso, você deformará a impressão.

Uma forma efetiva seria, além de lavar normalmente, passar álcool 70%.

Período de exposição de alimentos na impressão 3D

Algo que você precisa dar certa atenção para proporcionar maior segurança dos alimentos na impressão 3D é o tempo de exposição do mesmo no objeto 3D. Um cortador de biscoito por exemplo, não necessita de um contato prolongado com a massa. O que consequentemente reduz o risco de contaminação.

Em vista disso, o ideal para garantir a integridade do alimento é focar na produção de peças de apoio. Isto é, artigos que apenas auxiliam na produção de comidas, doces e salgados.

O que é exatamente um dos benefícios de se ter uma impressora 3D em casa! Às vezes não enxergamos algumas das possibilidades que a tecnologia nos oferece, mas como você pode ver neste artigo, é mais que possível imprimir objetos realmente úteis para facilitar o dia a dia na cozinha.

Contando que você se atente à segurança de alimentos da impressão 3D, basta ser criativo e colocar literalmente a mão na massa!

Então se você já faz impressões com esse objetivo, ou pretende começar a se aventurar por este caminho, vá até a nossa loja para adquirir o filamento PETG! Basta acessar aqui.

Impressoras 3D de resina HALOT

Impressoras 3D de resina HALOT, uma nova série Creality

No dia 9 de abril de 2021 a gigante chinesa Creality completou sete anos de mercado. Para comemorar, anunciou uma nova série de impressoras 3D de resina: a HALOT. A categoria contará com 5 modelos de impressoras 3D LCD e todas elas terão novas fontes de luz UV!


O mais recente lançamento da Creality, realizado na comemoração do seu 7° aniversário, gerou muita expectativa por parte de quem já acompanha a marca e de quem possui como foco impressoras 3D de resina com maior área de impressão.

O objetivo das novas impressoras 3D de resina HALOT é, essencialmente, entregar impressões maiores utilizando tecnologia LCD.

Pelo que foi divulgado serão cinco modelos:

  • HALOT-ONE;
  • HALOT-SKY;
  • HALOT-MAX;
  • HALOT LITE;
  • HALOT-SE.

A estrutura dos três primeiros modelos será em metal com excelente reforço para minimizar falhas e otimizar a precisão nas impressões profissionais, visando atender principalmente as áreas de odontologia, medicina, arquitetura e joalheria.

Em contrapartida, as duas últimas versões (HALOT LITE e HALOT SE) serão focadas em um uso mais pessoal. Isto é, terão estrutura em plástico para tornar mais simples o manuseio, assim como características pensadas especialmente nos hobbistas de impressão 3D.

Recursos e características das impressoras 3D de resina HALOT

Impressoras 3D de resina HALOT

As imagens das novas impressoras 3D de resina HALOT nos mostram o design elegante e moderno da linha.

A proposta é que as máquinas suportem os mais diversos tipos de resina. Nessa série, a potente fonte de luz UV utilizada se trata de uma matriz desenvolvida e patenteada pela própria Creality.

O novo LED possibilitará uma luz bem balanceada em toda a plataforma de impressão. O que, segundo a fabricante, entregará maior precisão industrial nas peças impressas.

Além da matriz exclusiva, a série Halot contará com alguns importantes recursos como:

  • conectividade Wi-Fi (ainda em processo de aprovação da Anatel);
  • LCD com fácil transferência;
  • motor de passo 57-56 nos modelos SKY e MAX;
  • motor de passo 42-40 nos modelos ONE, LITE e SE;
  • trilho linear duplo nos modelos SKY e MAX para maior precisão;
  • tampa articulada com sistema flip para maior facilidade no manuseio da máquina;
  • tela colorida e sensível ao toque de 5 polegadas para melhor experiência do usuário;
  • filtro de carvão ativado para purificar o ar e reduzir possíveis odores causados pela resina;

No que diz respeito à área de impressão, os adeptos da impressão 3D de resina poderão produzir peças com as seguintes dimensões:

  • HALOT-ONE = 127 x 80 x 160mm | 5,96 polegadas;
  • HALOT-SKY = 192 x 120 x 200mm | 8,9 polegadas;
  • HALOT-MAX = 293 x 165 x 300mm | 13,3 polegadas;
  • HALOT LITE = 192 x 120 x 200mm | 8,9 polegadas;

 

Preço e disponibilidade da série HALOT

Como informado anteriormente, a série HALOT foi anunciada pela Creality bem recentemente, em 9 de abril deste ano.

Até a publicação deste artigo, a orientação passada pela fabricante é de que os primeiros modelos da linha estarão disponíveis para venda no Brasil somente em meados de Junho. Por este motivo, ainda não foram definidos e nem divulgados os valores das novas impressoras 3D de resina HALOT.

Também é importante destacar que, como representante oficial da marca, a 3D Lab saberá em primeira mão eventuais novidades referentes a esse lançamento. Por hora, podemos contar com design sofisticado nas máquinas, configurações robustas e componentes de alta qualidade que já conhecemos da marca.

Enquanto espera novas atualizações, aprenda tudo sobre a tecnologia LCD!

Como dar acabamento nas peças de forma simples e barata

Um bom acabamento começa no momento de definir as configurações da sua impressão 3D. A resolução da peça depende principalmente da altura da camada. A ideia é parecida com a formação de uma imagem digital: quanto mais pontos, maior a qualidade da imagem.


Sem tempo para ler? Então ouça este conteúdo clicando no player a seguir:

Você sabe como dar acabamento nas peças obtidas por impressão 3D? Esse processo é muito interessante e pode aumentar muito a qualidade visual dos projetos, gerando um ótimo valor agregado às peças. Porém, surgem muitas dúvidas quanto a esse processo, como a lista dos materiais necessários, as formas de manuseamento e o resultado real obtido.

Por isso, criamos este artigo que mostrará uma forma simples e barata de dar acabamento nas peças. Confira!

 

Por que dar acabamento nas peças impressas?

Como você já sabe, o processo de impressão 3D se faz por camadas. A impressora deposita o material de uma camada, sobe um estágio e repete esse processo até finalizar a peça. Com esse movimento, a peça fica com uma marcação evidente das camadas.

Para contornar esse efeito e reduzir os “degraus” gerados, você pode ajustar a altura da camada, reduzindo-a. Esse ajuste aumenta a qualidade superficial da peça, mas o tempo de impressão aumenta consideravelmente.

Então, uma solução é o acabamento posterior, um trabalho após a impressão.

O que é preciso para dar o acabamento nas peças?

Para dar acabamento nas peças, primeiro você precisa conhecer um pouco sobre os principais materiais para impressão 3D.

O PLA, por exemplo, é ótimo para peças que precisem de uma boa qualidade superficial sem o trabalho de acabamento. Com o PLA você consegue imprimir peças detalhadas, mantendo um fiel controle dimensional e com evidência nos detalhes. Porém, esse material não reage com o vapor de acetona pura, que é o principal material usado para o acabamento. Além disso, o PLA possui alta dureza superficial, o que dificulta lixar a peça para suavizar as camadas.

Para dar acabamento nesse filamento, o recomendado seria trabalhar com vapor de clorofórmio, mas isso é dificultado pelas características desse solvente e da indisponibilidade de compra no mercado.

O PETG é um material nobre para impressão 3D, como a ótima resistência mecânica, a possibilidade de ser utilizado em impressora aberta ou fechada, com ou sem mesa aquecida e sem apresentar empenamento. Porém, assim como o PLA, ele apresenta algumas dificuldades para o processo de acabamento.

Sua dureza superficial é menor do que no PLA, o que lhe garante maior facilidade para lixar. Porém, ele também não reage com o vapor de acetona por possuir uma alta resistência química.

Se tratando de facilidade de acabamento, o ABS já possui grandes vantagens se comparado ao PLA e PETG. Apesar desses dois materiais terem ótimas características de impressão, como facilidade de utilização, controle dimensional, sem empenamento e serem materiais biodegradável e food safe, respectivamente, o ABS possui maior facilidade para acabamento.

O ABS reage com o vapor de acetona, suavizando os efeitos das camadas e dando um aspecto mais liso à peça. Por possuir menor dureza superficial, é mais fácil lixar as impressões também, corrigindo qualquer imperfeição.

Quais são as vantagens em dar acabamento nas peças?

Neste artigo, focaremos o processo de acabamento com o vapor de acetona. As vantagens de uma peça que recebe esse processo está no efeito visual. Considerando uma impressão com altura de camadas de 0,4mm, por exemplo, será bem visível os efeitos das camadas e isso pode comprometer o valor agregado.

Ao lixar a peça e atacá-la com vapor de acetona, ela fica com um brilho maior e uma superfície mais lisa. A impressão que se dá é de uma peça de maior qualidade.

Há desvantagens nas peças acabadas em relação às peças sem acabamento?

É importante dizer que não são só vantagens obtidas nesse processo de acabamento. Deve-se avaliar muito bem as características dos projetos. Por exemplo, se você quer imprimir uma peça técnica, que precise que suas dimensões sejam restritas, expor ao vapor de acetona pode fazer com que perca a tolerância dimensional, além da possibilidade de enfraquecer a estrutura do objeto.

Outro ponto importante de se mencionar é no perigo à segurança ao manusear a acetona. Esse material deve ser puro para ter um bom efeito, e pela alta volatilidade, pode entrar em ignição com facilidade. É preciso ter muito cuidado com esse reagente.

Como dar acabamento nas peças de forma fácil?

Agora que você já conhece a parte teórica do acabamento com acetona, vamos a parte mais interessante: como dar o acabamento nas peças de forma prática, simples e barata! No mercado existem algumas máquinas próprias para este fim, mas se você quiser, pode fazer o processo na sua casa, sem um investimento financeiro elevado.

Vamos à lista de materiais necessários:

  • um recipiente em vidro, PP ou de outro material que não tenha reação com a acetona;
  • acetona pura;
  • papel toalha;
  • imãs pequenos;
  • uma base para a peça, de material que não tenha reação com acetona;
  • a peça que será trabalhada.

Como dar acabamento nas peças de forma fácil?

Passo 1

Molhe o papel toalha com a acetona pura.

Passo 2

Forre o recipiente com as folhas de papel toalha, umedecidas com a acetona pura. Coloque na base e nas paredes do recipiente. Posicione um imã dentro e fora do recipiente para travar o papel toalha.

Passo 2

Passo 3

Coloque o material de base para a peça dentro do recipiente, por cima do papel toalha.

Passo 3

Passo 4

Coloque a peça sobre a base e feche o recipiente. É importante que fique bem lacrado para evitar que o vapor da acetona seja perdido.

Passo 4

Pronto! É simples assim! O tempo de permanência das peças vai depender do seu volume e massa. Quanto maior, mais demorado será o processo. Você pode ir observando o alisamento das camadas, mas evite ficar abrindo o recipiente antes de terminado. Depois que estiver pronto, com a peça ainda em reação, não pegue no objeto. Ele estará mole e pode deformar. Tire a peça do recipiente pela base. Espere alguns minutos até que a peça seque.

Passo 4

 

Para que fique claro como é o processo, confira o vídeo abaixo:

Pronto para dar acabamento nas peças 3D?

Como vimos em nosso artigo, dar acabamento nas peças produzidas por impressão 3D pode ser bem fácil. Você deve ter atenção com o material que utiliza, as especificações de aplicação da peça e um cuidado com o manuseamento do reagente.

Analisando as duas peças que fizemos o acabamento, percebe-se que o processo gerou um resultado melhor na estátua do que no boneco. A estátua, que não contém detalhes, ficou com uma melhor aparência, com a superfície lisa. Já o boneco perdeu alguns detalhes, principalmente no escudo. Nesse caso, talvez seria melhor ter feito a impressão em PLA, com uma menor altura de camada. Por isso, escolha bem as peças que você quer dar acabamento.

Para o processo de acabamento, algumas pessoas aquecem a acetona, mas vimos que não é tão necessário, além de sugerirmos um procedimento mais seguro.

Todas as informações que colocamos no artigo sobre o ABS são aplicadas ao nosso ABS Premium, da 3D Lab.

Agora que você já sabe como dar acabamento nas peças, conheça as 4 principais características que um bom filamento precisa ter.

Filamento PLA: como imprimir com esse filamento

Filamento PLA é o nome mais comum para ácido polilático, ou melhor dizendo, poliácido láctico. Ele possui esse nome porque é formado por várias cadeias de repetição do ácido lático (composto orgânico de função mista – ácido carboxílico e álcool).


Sem tempo para ler? Então ouça este conteúdo clicando no player a seguir:

O filamento PLA é um dos principais filamentos para impressora 3D. Esse material possui diversas propriedades que o tornam uma excelente opção para quem quer obter peças com boa qualidade e segurança, sendo utilizado em praticamente todas as impressoras 3D por processo de fusão e deposição. No entanto, para obter o máximo de desempenho com o PLA, é preciso conhecer a fundo suas características.

Por isso, criamos este artigo com tudo que você deve saber. Ao final dele você estará preparado para imprimir como um profissional. Confira!

 

Por que o filamento PLA é usado na impressão 3D?

O filamento PLA é um poliéster termoplástico, produzido a partir de fontes naturais como milho e cana de açúcar, o que o faz ser um material biodegradável. É um plástico de fácil utilização e não emite odor ou gás durante o processo de impressão sendo um grande diferencial perante aos demais termoplásticos. Seu processo de impressão 3D resulta em qualidade dimensional da peça e também apresenta ótimo resultado em peças de maior porte. O maior produtor desse material é os Estados Unidos. Atualmente, a 3D Lab trabalha com a melhor matéria prima disponível no mundo, da marca NatureWorks.

Por que o filamento PLA é usado na impressão 3D

A utilização do filamento PLA é bastante difundida pela facilidade de impressão que ele proporciona. Qualquer impressora 3D do mercado consegue trabalhar com o filamento PLA, com extrema tranquilidade. Por isso para iniciantes nessa tecnologia, é uma excelente porta de entrada. Para os mais experientes, ele proporciona uma ótima qualidade superficial e dureza elevada.

Em sua forma natural ele é translúcido, mas carretéis de filamentos pigmentados podem ser usados ​​para fazer objetos em cores diferentes.

Pensando na preservação do meio ambiente, o filamento PLA por ser obtido a partir de fontes renováveis, é o mais indicado para a utilização. Porque seu uso não implica em gases tóxicos e o material é biodegradável. Mas atenção: ele ser biodegradável não significa que você perderá a sua peça em pouco tempo! Uma peça em PLA pode durar muitos e muitos anos!

Quais são as vantagens e desvantagens desse material para os outros disponíveis?

Atualmente, os dois materiais mais utilizados na impressão 3D são o PLA e o ABS. Enquanto o primeiro representa um material biodegradável, o segundo é derivado do petróleo. Outro material que vem ganhando destaque é o PETG, que possui características mescladas com os dois principais. Então, veja a seguir uma tabela comparativa entre os materiais mais utilizados:

Quais são as vantagens e desvantagens desse material para os outros disponíveis

É ótimo que o filamento PLA possui a possibilidade de ser biodegradado, mas nem sempre isso é possível. Para ocorrer a degradação adequada é preciso que os descartes de plástico PLA sejam feitos corretamente. Isso implica que o material seja depositado em usinas de compostagem, onde há condições adequadas de luz, umidade, temperatura e quantidade correta de micro-organismos.Então, com essas informações, o filamento PLA é um material indicado para as seguintes situações:

  • peças grandes;
  • que precisam de um ótimo acabamento superficial sem tratamento pós impressão;
  • expostas a carga estática;
  • que necessitem de alta dureza superficial;
  • que sofram de esforços de atrito;
  • impressão em locais com clima frio.
  • impressora abertas;

No entanto, em comparação, ele não é indicado para peças que:

  • terão de sofrer acabamento posterior, como lixa e acetona;
  • ficarão expostas ao sol ou temperaturas elevadas;
  • terão de resistir mecanicamente a impactos.

Como configurar a sua impressora para o filamento PLA?

Na página do filamento PLA, na aba “Downloads” em nossa loja virtual, disponibilizamos o arquivo pronto para a impressão, em FFF, configurado para o Simplify3D e uma impressora padrão. Portanto pode ser necessário alguns ajustes como volume de impressão etc. Caso você o utilize, é só baixar o arquivo, salvá-lo no seu computador, abrir o programa e importar o arquivo.

Assim, vamos mostrar os principais parâmetros a seguir. Confira:

Filamento PLA 3D Lab

Temperatura do extrusor: de 200 a 220°C (utilizamos 210°C)

Temperatura da mesa: ambiente até 70°C (utilizamos temperatura de 60°C)

Retract: 3 milímetros (verificar cada impressora)

Fator de extrusão: 1,0 (100%)

Diâmetro do filamento: 1,75mm ou 2,85mm

Tipo de extrusor: pode ser usado em qualquer tipo. Mas, para extrusores All Metal é recomendado usar lubrificação com óleo lubrificante (óleo de máquina ou até azeite)

Extrusion Width: 0,48mm (largura de extrusão padrão)

Então, com essas informações você conseguirá utilizar muito bem o filamento PLA na sua impressora. Lembre-se que os pilares do sucesso para a impressão 3D são uma boa impressora, filamento de qualidade e conhecimento! Sempre prezar por filamentos de qualidade, que garantam uma boa segurança para as suas impressões.

Agora que você já sabe como utilizar o filamento PLA na sua impressora, descubra qual é a influência da altura da camada em suas peças!

4 modelos para impressão 3D mais populares!

Alguns modelos para impressão 3D são bem populares e é difícil encontrar algum usuário da tecnologia que não tenha feito uma dessas peças. Se você tem uma impressora 3D, muito difícil nunca ter impresso um desses modelos!


Com uma impressora 3D é possível produzir diversas peças. Desde impressões técnicas, super elaboradas, para Engenharia, Medicina ou outras áreas, até bonecos divertidos e itens que provavelmente ficam esquecidos nas prateleiras ou dentro das gavetas, sem utilidade alguma! Mas isso é normal. Exitem vários sites com modelos para impressão 3D gratuitos. Eu, particularmente, já imprimi muitos objetos pelo simples prazer de ver o funcionamento dessa incrível tecnologia. Aposto que você também já fez isso!

Lembra da primeira peça que você produziu? Da impressão mais difícil? Aquela que toda a família pediu uma igual! Pois é, alguns modelos para impressão 3D podem ser considerados como clássicos. Então, no post de hoje vamos mostrar só os clássicos, aquele que toda impressora 3D já conhece! E se você não tem algum desses modelos, ainda dá tempo de imprimir. Vamos lá?

#1 – A coruja

A coruja é uma peça que não pode faltar na coleção de uma impressora. Quando eu conheci a tecnologia de impressão, alguns anos atrás, esse era meu modelo preferido. Talvez por ser uma peça decorativa e fácil de imprimir. Para falar a verdade, não sei o motivo real. Mas fato é que a coruja já voou por várias impressoras por aí.

  #1 - A coruja

#2 – O barco

Olha que esse barco nem é tão elaborado assim! Esse modelo, apesar de parecer simples, esconde alguns segredos. Pela angulação do casco e da porta, esse modelo permite visualizar algumas características importantes dos filamentos. Nas janelas, devido a falta de suporte, podemos analisar se a impressão está mantendo uma boa estrutura.

Fato é que nosso estoque de peças vive cheio de barcos. Aqui na 3D Lab, sempre que recebemos visitas, nossos clientes ganham um barquinho! Por isso, essa peça entrou no segundo lugar do top 4 entre os modelos para impressão 3D mais utilizados!

#2 - O barco

#3 – Vaso

Em terceiro lugar estão os vasos, tão adorados pela família. Mãe, tia, avó, todas já pediram um vaso para decorar uma sala ou cozinha. Com o modo vase, a impressão desse modelo é muito rápida. É possível brincar com variações de cores, fazer peças transparentes e experimentar diversas texturas.

É um bom modelo para teste de impressoras pois permite utilizar altas velocidades de impressão.

#3 - Vaso

#4 – Spinner

O Spinner não podia faltar na nossa lista. Ele é o modelo para impressão 3D mais recente, mas que vem chamando a atenção do mundo inteiro. Sua ideia é reduzir o stress. Se ele realmente funciona com esse objetivo eu não sei, mas que há muitas impressoras por aí imprimindo esse modelo nesse exato momento, isso é certo!

No Thingiverse há diversos modelos de Spinner, desde modelos mais básicos até os customizados. Mas se você vai imprimir esse objeto para dar a uma criança, tenha cuidado com as peças pequenas.

#4 - Spinner

Os modelos para impressão 3D mais conhecidos!

Como vimos em nossa lista, todo maker que se preze já deve conhecer esses modelos para impressão 3D. Mas fique tranquilo, se você ainda não fez, dá tempo. Prepare sua impressora, utilize nossos filamentos e mãos a obra!

E então, conhece outros modelos que toda impressora 3D já produziu? Comente nosso post para participar dessa discussão. Se possível, coloque o link do arquivo junto com o comentário.

Minha conta


Reconhecida como a melhor empresa de impressão 3D do Brasil. Impressoras, filamentos e resina para impressão 3D, cursos, manutenção e prototipagem.

Endereço

Rua Toyota, n°490, Jardim Piemont - Betim - MG 
A 20 min do centro de Belo Horizonte.

Horário de funcionamento

08:00 às 17:00 | Segunda à sexta-feira

Dúvidas gerais | Suporte | Vendas

Nossas redes

Este site é protegido pelo reCAPTCHA, a Política de Privacidade e os Termos de Serviço do Google se aplicam.
3D Lab Industria Ltda.
CNPJ 20.212.019-0001/09
Chat online