Skip to main content
Em compras acima de R$400,00 o frete é grátis! Promoção válida para os estados do Sul e Sudeste e somente para filamentos e resinas.

Tag: brim

Raft 3D, Brim e Skirt: entenda as diferenças entre esses recursos!

Técnicas como o Raft 3D, Brim e o Skirt possibilitam melhores resultados em impressões 3D. Elas permitem uma fixação mais eficiente do objeto na mesa durante a impressão, além de regular o fluxo de material.


O Raft 3D, Brim e Skirt são recursos fundamentais para uma impressão 3D perfeita! Quando o filamento não adere completamente à camada base podem ocorrer diversos problemas e nem sempre eles são notados ou acontecem logo no início da impressão 3D. Isso gera desperdício de filamento, de dinheiro e até mesmo do seu tempo. 

Por isso, uma pequena preparação extra no início dos trabalhos pode melhorar muito a confiabilidade de suas impressões. E isso pode ser feito com a utilização de alguma dessas três técnicas já bastante difundidas.

Você sabe dizer como esses recursos podem lhe ajudar a melhorar o seu processo de impressão? Veja neste conteúdo o momento certo para utilizar cada um deles e suas principais características!

O que é Raft 3D

O que é Raft 3D

O Raft 3D é uma camada horizontal descartável que fica sob a peça a ser impressa. O objeto é impresso na parte superior desta camada, em vez de diretamente na superfície de criação. O Raft é composto por um número pré-determinado de camadas, com uma porcentagem de preenchimento específica, que se estende a uma certa distância dos lados do objeto.

Essa técnica é utilizada principalmente com o filamento ABS para ajudar a controlar possíveis empenamentos e favorecer a aderência da peça à mesa de impressão. Como a área de superfície do Raft é maior que a base da peça, suas bordas são muito mais propensas à deformação, deixando a peça a salvo de qualquer possível inconveniente.

O Raft 3D é utilizado para auxiliar na estabilidade de modelos com apoios pequenos. Também serve para criar uma base sólida sobre a qual será construído o objeto. Assim, ele servirá de apoio para objetos maiores e também mais pesados.

Além disso, ele permite que as camadas inferiores entrem em contato com outra camada de plástico. Isso faz com que haja menos difusão do que a impressão na própria mesa.

No processo, se for utilizado um filamento solúvel, é necessário deixar um espaço entre o Raft e a peça. Essa distância ajudará na remoção após o resfriamento do objeto. Assim, desde que esteja configurado corretamente para o seu material, removê-lo mais tarde fica fácil.

Quando usar o Raft 3D

  • deformação: imprimir um Raft durante o trabalho utilizando o filamento ABS ajuda a evitar que a impressão se deforme;
  • maior aderência à mesa: a impressão do Raft também auxilia na obtenção de uma melhor aderência à mesa. Também ajuda a agir como uma precaução a falhas;
  • apoios pequenos: a peça a ser impressa pode ter apoios pequenos na base, sobre as quais uma estrutura pesada é construída. Nesse caso, recomenda-se criar um Raft como medida de segurança contra falhas.

Configuração para aplicação do Raft 3D

Aqui estão alguns termos para que você possa ajustar na sua impressora para obter melhores resultados ou simplesmente usar menos filamentos quando imprimir utilizando o Raft:

  • Raft Top Layers (Camadas superiores do Raft): é o número de camadas de interface impressas na parte superior do Raft. Seu modelo será impresso em cima dessas camadas. Então, normalmente coloca-se de 2 a 3 camadas para garantir uma superfície mais lisa;
  • Raft Base Layers (Camadas da base do Raft): é o número de camadas mais grossas na parte inferior do Raft. Essas camadas são impressas mais lentamente e com maior espessura para garantir uma forte ligação à plataforma de criação;
  • Raft Offset from Part (Deslocamento da peça): é a distância da borda que fica para fora da peça;
  • Separation Distance (Distância de separação): é a altura do intervalo de ar que fica entre a base e a peça. É um equilíbrio entre garantir que a peça esteja próxima o suficiente para aderir ao Raft quando a impressão começar e ter espaço de ar suficiente para garantir uma remoção fácil assim que a impressão terminar. Normalmente, ter uma folga de pelo menos 0,1mm ajudará a manter a peça conectada ao Raft, além de permitir uma fácil separação quando a impressão estiver completa;
  • Above Raft Speed (Acima da velocidade da base): é a configuração utilizada para personalizar a velocidade da primeira camada da peça impressa na parte superior da superfície do Raft. Usar uma velocidade lenta para essa camada também ajudará a peça a permanecer conectada ao Raft durante a impressão.

Como remover o Raft 3D da impressão

Após a impressão e resfriamento da peça você pode pegar o Raft e começar a retirá-lo da peça. Ficando assim um acabamento superficial de alta qualidade na parte inferior da sua impressão. Normalmente, o processo de retirada pode ser feito com as mãos, mas, para peças muito delicadas, você pode usar uma espátula fina ou uma pinça para ajudar.

Para isso, coloque a espátula ou uma faca larga entre a base da sua impressão e suavemente alivie esse lado. Quando uma borda é removida, é mais fácil retirar o restante. Ocasionalmente você pode precisar de uma lixa para suavizar a base.

As vantagens em utilizar o Raft 3D

Em certas impressoras 3D que têm uma base de grande dimensão e cujo nivelamento exato é muito difícil de conseguir, é aconselhável utilizar sempre o Raft, ao invés das outras técnicas. Pois o suporte, na maioria da vezes, é fácil de eliminar e não deixa praticamente nenhuma sobra na peça.

Ele proporciona menos problemas de deformação com materiais como o ABS. Também melhora a adesão à mesa, levando a maiores chances de sucesso na impressão. Além de a saída de impressão ser consistente e a primeira camada mais forte.

As desvantagens em utilizar o Raft 3D

Algumas das desvantagens de usar o Raft 3D podem ser relacionados com as configurações de impressão, em que ele pode ser difícil de remover, especialmente com um Raft 3D mais denso.

Além disso, a parte inferior não será aquela super lisa de quando a peça é impressa diretamente sobre a superfície da mesa (acabamento áspero na camada inferior do modelo).

Ainda existe a possibilidade de quebrar a peça ao removê-lo, especialmente com componentes de modelo pequenos.

O que é Brim

O que é Brim

O Brim é uma técnica especial que é anexada às bordas do modelo. Normalmente, ele é impresso com um número maior de contornos para criar um grande anel em torno da peça. Assim, assemelhando-se à borda de um chapéu. As bordas do Brim costumam ser usadas para segurar as bordas da peça, o que pode impedir o empenamento e ajudar na adesão à mesa.

Ele é basicamente um contorno de plástico que é colocado na primeira camada do modelo, proporcionando uma melhor aderência à superfície de impressão. Ele não se estende sob a impressão como o Raft, e sim apenas da borda da impressão até uma distância definida.

Quando usar o Brim

O Brim pode ser uma opção melhor que o Raft (que também ajuda na aderência) em certas situações, já que a borda pode ser impressa muito mais rapidamente e usar menos filamento. Ele também pode ajudar a evitar empenamentos que podem ocorrer durante impressões utilizando filamentos ABS.

Embora não seja especialmente necessário para imprimir com filamentos como o PLA, o Brim ainda facilita a remoção das impressões. Dessa forma, os usuários podem adicionar ele como uma precaução de segurança.

Raft 3D e Brim

Tanto o Raft 3D quanto o Brim ajudam na aderência e ambos podem ser usados para estabilizar objetos que possuem pontos de contato muito pequenos com a superfície de impressão. No entanto, para objetos menores ou mais delicados, o Brim pode ser melhor utilizado do que o Raft 3D, pois ele tem apenas contato com a borda externa do modelo através de uma camada muito fina.

Alguns materiais, como o ABS, podem sofrer deformação durante o processo de resfriamento. Por isso pode valer a pena utilizar o Brim para ajudar na adesão, mais ainda nas estruturas de suporte, que tendem a ser muito pequenas e geralmente são interrompidas durante a impressão. Assim, é sempre uma boa ideia imprimir suportes com Brim.

Configuração para aplicação da técnica

Para configurar um Brim no Simplify3D, defina o deslocamento para 0 mm, de modo que a aba esteja tocando as bordas do seu modelo. Em seguida, aumente o número de contornos para 5 ou mais para criar um anel largo em torno de sua peça. Você pode aumentar ainda mais o número de contornos se precisar aumentar a área de superfície da aba para uma adesão extra.

Agora, quando você começar a imprimir, o Brim servirá como escora e como assistente de adesão! Após a conclusão da impressão, a borda fina deve se soltar facilmente da parte sólida. Se você achar que ele está preso com muita firmeza, pode aumentar ligeiramente a compensação da aba para 0,1 ou 0,2 mm para adicionar um pequeno espaço entre a aba e a peça.

Como remover o Brim da impressão 3D

Após a impressão e resfriamento basta retirá-lo da peça a qual ele está anexado. Você pode querer lixar a base da impressão, se houver alguma seção grossa sobrando. Uma ferramenta de rebarbação também é uma ótima maneira de remover o Brim.

As vantagens de utilizar o Brim em relação ao Raft 3D

Evita problemas de deformação de materiais como o ABS, além de melhorar na adesão da mesa, levando a maiores chances de sucesso na impressão. Normalmente é fácil de remover em comparação com o Raft 3D. Seu acabamento é mais suave, pois a borda apenas toca a parte externa da impressão. E sua principal vantagem em relação ao Raft 3D é a menor quantidade de material utilizado para posterior descarte.

As desvantagens do Brim

Os pontos de contato com a peça devem ser lixados para um bom acabamento superficial. Existe ainda a possibilidade de quebra da peça ao remover a aba, especialmente com pequenos componentes do modelo.

O que é Skirt

O que é Skirt

Essa é a técnica mais comum utilizada na impressão 3D. Ela consiste em fazer um contorno envolvendo a peça, mas que não a toca em nenhum ponto.

A técnica consiste em imprimir uma “saia” ao redor de onde ficará a peça antes de começar a imprimi-la. O Skirt tem como finalidade regular o fluxo de filamento e garantir que, ao imprimir a peça, o material esteja de acordo.

Certamente, essa é uma excelente maneira de saber como o equipamento está funcionando e como o material está fluindo. É fácil garantir que o material esteja fluindo adequadamente e sendo colocado corretamente antes que a impressão do modelo seja iniciada.

Para isso, basta utilizar um Skirt com apenas algumas camadas impressas a uma velocidade relativamente baixa, para que se possa ver o que está acontecendo. Se a impressão do Skirt ocorrer da maneira correta, basta deixá-la continuar.

Porém, se isso não acontecer, você pode cancelar a impressão e ter tempo para fazer os ajustes necessários, economizando tempo, dinheiro e matéria-prima.

Quando usar o Skirt

Mesmo um Skirt com poucas camadas ajuda a garantir uma excelente impressão 3D.

Portanto, é aconselhável utilizar o Skirt em qualquer impressão, pois ele auxilia em algumas funções úteis para preparar a extrusora e detectar qualquer problema de impressão antes de começar a imprimir a peça.

Configuração para aplicação da técnica

  • extrusão do Skirt: o primeiro passo é escolher a extrusora que será utilizada para imprimir o Skirt. Isso permite que você já inicie o processo de impressão com várias extrusoras. Se você quiser todas as suas extrusoras, selecione a opção “Todas as Extrusoras”. Essa etapa, claro, é necessária se tiver mais de uma extrusora;
  • camadas do Skirt: definir quantas camadas você deseja incluir no seu Skirt. Normalmente, é uma preparação para extrusora. Mas pode ser uma segunda opção para ajudar a criar um Skirt mais robusto que pode ser retirado da cama mais facilmente;
  • distância entre o Skirt e a peça: definir quão longe as bordas ficarão da sua peça;
  • contornos do Skirt: é a quantidade de loops que você pode imprimir em torno do seu modelo. Caso precise preparar a sua extrusão com mais filamento deve-se aumentar este valor.

As vantagens do Skirt

  • ajuda na verificação da extrusora;
  • detecta problemas durante a impressão;
  • usa menos material do que o Raft ou o Brim;
  • verificação simples antes do início da impressão, o que pode economizar tempo, esforço e dinheiro;
  • ajuda na definição da área de impressão.

As desvantagens

  • Uma pequena rebarba descolada pode atrapalhar o início da impressão. Portanto, fique atento ao iniciar qualquer trabalho e tenha sempre uma pinça em mãos para retirar qualquer fiapo que posso atrapalhar a construção da primeira camada.

Portanto, vimos que tanto o Raft, quanto o Brim e o Skirt são maneiras fáceis de melhorar o resultado de sua impressão 3D. Vale lembrar que apesar de você usar mais filamento quando as utiliza, essas técnicas lhe ajudam a poupar o insumo de uma impressão que não deu certo por problemas que elas poderiam evitar.

Em resumo, toda precaução é válida quando se trata de obter melhores resultados em sua impressão 3D.

Agora que você conhece um pouco mais sobre essas 3 técnicas de auxílio em sua impressão 3D não tem mais desculpas para deixar sua impressora parada ou ficar lutando para conseguir aderência e resultados perfeitos!

E então, conseguimos tirar suas dúvidas quanto às diferenças entre o Brim, Raft 3D e Skirt? Deixe seu comentário aqui e participe dessa discussão!

42 termos que você precisa conhecer no Glossário de Impressão 3D!

42 termos que você precisa conhecer no Glossário de Impressão 3D!

Para quem deseja se tornar um especialista em impressão 3D, conhecer os principais termos é fundamental. O glossário de impressão 3D é bastante amplo e dá para criar um dicionário bem completo!


Cada nicho de mercado tem termos e curiosidades bem específicos, e na impressão 3D não é diferente. Hotend, layer e under extrusion são exemplos de termos comumente relacionados no dia a dia de quem trabalha com uma impressora. Por isso, é muito interessante conhecer um glossário de impressão 3D. Muitas palavras em inglês são utilizadas e se você não domina a língua, isso pode se tornar um problema na hora de solucionar os problemas.

Selecionamos tudo que você precisa saber para se tornar um especialista no assunto, seja você um iniciante, intermediário ou usuário avançado. Confira!

Glossário de impressão 3D

1. 3D Printer

3D Printer é a impressora 3D. No mercado existem diferentes marcas e modelos, cada um com suas características e diferenciais. As marcas nacionais são ótimas e apresentam modelos bem interessantes.

2. Fatiador

O fatiador é o programa utilizado para converter o modelo criado em 3D para coordenadas, a máquina entenderá o que deve ser feito através de posicionamento.

3. Extrusor

3. Extrusor

 

 

O extrusor é o principal conjunto de qualquer impressora 3D. Ele é a soma dos componentes que aquecem o filamento e depositam na mesa de impressão. Esse conjunto compreende o tracionador, dissipador de calor, bloco aquecedor e bico de impressão, além do resistor e termistor. Em algumas impressoras, ainda há o tubo de teflon.

4. Trator, ou tracionador

4. Trator, ou tracionador

O trator, ou tracionador, é o elemento responsável por fazer a movimentação do filamento, seja no sentido do extrusor, empurrando o material, ou na retração, puxando-o de volta. Basicamente, existem dois tipos de tratores: direct drive e bowden.

Na imagem acima estão mostrados os dois tipos, com uma variação. A ilustração da esquerda é do direct drive com redução. Do meio também é o direct, mas com o motor tracionando diretamente o filamento. Por último, a ilustração à direita mostra o sistema bowden.

5. Direct drive

Direct drive é o tipo de tracionador que fica posicionado junto ao carro de impressão. É um trator com redução ou que o motor traciona diretamente o filamento. A maior vantagem dessa opção é alcançada na impressão de filamentos flexíveis.

6. Bowden

O Bowden é o outro tipo de tracionador. A diferença é que nesse modelo o motor não fica posicionado no carro de impressão. Alguns fabricantes alegam que isso dá maior velocidade e menor vibração.

7. MK8

O MK8 é uma polia tratora conectada no motor, fazendo o tracionamento direto do filamento até o bloco aquecedor.

8. Hotend

O hotend é o conjunto que compreende os componentes que ficam expostos à temperatura mais elevada no extrusor, ou seja, o dissipador de calor, o bloco aquecedor e o bico de impressão.

9. Dissipador de calor, ou heatsink

O dissipador de calor é uma superfície aletada que fica posicionada entre o tracionador e o bloco aquecedor. A sua função é não deixar que o calor gerado no bloco seja transferido para áreas mais altas, por condução pelo filamento. Se o calor for transferido, o material expande e trava.

10. Bloco aquecedor

O bloco aquecedor é o penúltimo componente que o filamento atravessa até chegar na mesa de impressão. Esse bloco é o responsável por elevar a temperatura e fundir o material. Nele é posicionado e resistor e o termistor.

11. Resistor

O item 9 do nosso glossário de impressão 3D é a resistência que gera o aquecimento do bloco aquecedor. Por isso, ele é um dos componentes mais importantes em todo o conjunto do extrusor.

12. Termistor

O termistor é o componente responsável pela medição da temperatura do conjunto aquecedor. É muito importante que esse componente esteja funcionando corretamente para que a temperatura esteja correta. Caso contrário, a diferença do valor real e valor medido pode levar a falhas na impressão e até riscos na utilização da máquina, como super aquecimento.

13. Bico de impressão, ou nozzle

O bico de impressão é o último componente no caminho do filamento entre o tracionador e a mesa. O bico é como um funil, estreito no fundo. Normalmente, se utiliza bicos com saída de 0,4 a 1,0 milímetro.

14. Tubo de teflon

Basicamente, podemos distinguir as impressoras 3D em dois grupos: com tubo de teflon ou all metal. O tubo de teflon tem a função de conduzir o filamento. Cada fabricante de máquina trabalha com tamanhos diferentes de tubo, mas na maioria dos casos ele parte da entrada do dissipador de calor até o bico de impressão. A vantagem do tubo é uma melhor condução, com menor probabilidade de travamento, principalmente se for utilizado PLA. Porém, o teflon tem temperatura de amolecimento em torno de 250ºC, o que limita o uso de filamentos que precisam de temperaturas superiores a isso.

15. Allmetal

Allmetal representa a garganta  (heatbreak) do hotend  que não tem um tubo de teflon interno. A usinagem interna do canal deve ser bem feita para que o filamento não agarre. Em alguns casos, é interessante lubrificar o filamento com óleo ou azeite. Já a vantagem é a possibilidade de trabalhar com altas temperaturas, acima dos 250ºC limitados pelo teflon.

16. Bed, ou mesa de impressão

Bed é a cama de impressão, ou mesa. Normalmente, a mesa é composta por uma chapa metálica com sistema de aquecimento e um vidro por cima, em que o filamento extrudado é depositado.

17. PLA

O PLA é um dos materiais mais utilizados como insumo para a impressão 3D. A sigla representa o poliácido lático e é derivado de fontes naturais, como o amido de milho. As melhores características do PLA é a alta qualidade superficial, facilidade de impressão, possibilidade de utilizar o material em praticamente qualquer impressora 3D, além de ser um material biodegradável. Portanto, o PLA sempre será uma boa opção na sua impressora.

18. ABS

Provavelmente você nunca ouviu falar em Acrilonitrila Butadieno Estireno, mas ABS sim, certo? Essa é a abreviação desse nome complexo, de origem no petróleo. O ABS, assim como o PLA, também é bastante utilizado como insumo na tecnologia de impressão 3D. Sua alta resistência mecânica e a facilidade de dar acabamento são grandes atrativos para os usuários.

19. PETG

O PETG é um material que vem chamando a atenção de quem é apaixonado por impressão 3D. Na Europa e EUA, inclusive, esse material vem conquistando a preferência dos usuários. Ele mescla algumas vantagens do PLA e ABS, com alta resistência mecânica, possibilidade de ser impresso em qualquer máquina e ainda contar com boa resistência química e térmica.

20. Impressora fechada / aberta

Há várias maneiras de qualificarmos as impressoras 3D em grupos, e uma delas é se ela é aberta ou fechada. A primeira opção é ideal para impressão de PLA ou PETG, além de filamentos especiais com base em PLA. Já as impressoras fechadas são ótimas para o ABS, que possui alta contração e pode empenar se houver um fluxo externo de resfriamento.

Não há uma regra se a impressora aberta ou fechada é melhor ou pior do que a outra, o que deve ser observado é toda a sua estrutura. Impressoras com uma estrutura mais robusta são capazes de trabalhar em velocidades mais altas, mantendo um bom nível de precisão.

21. Stringing

21. Stringing

Stringing são as linhas de impressão que podem formar nas peças. Acontece que, se você tiver duas partes da peça distantes uma da outra, durante a movimentação do bico, o filamento pode “escorrer” um pouco, formando essas linhas.

Apesar de ser um problema, esse efeito pode ser facilmente retirado no acabamento posterior.

22. Overhang

22. Overhang

Overhang é, basicamente, a impressão inclinada, sem um suporte de sustentação. Essa característica está muito relacionada ao filamento e também ao resfriamento da peça. No caso de PLA, trabalhar com um cooler que resfria a peça ajuda bastante a impressora conseguir produzir peças com angulações maiores. No ABS deve-se tomar cuidado com esse cooler. Se ele jogar ar frio, pode empenar a peça, então o ar direcionado tem que ser quente.

23. Bridge

Bridge, em inglês, significa ponte. Em alguns casos, precisamos que a impressão se faça sem o suporte, com uma movimentação horizontal, formando uma verdadeira ponte. Para isso, é preciso contar com um filamento de qualidade, que garanta essa sustentação, além de trabalhar nos parâmetros corretos.

24. Skirt

24. Skirt

Quando você inicia uma impressão, já reparou que a máquina faz uma borda na peça? Já pensou para que serve isso? Esse é o skirt, em inglês, saia. O intuito disso é equalizar o fluxo de filamento, garantindo a deposição correta do material quando o bico começar a fazer a peça.

25. Brim

25. Brim

Em alguns casos, principalmente quando há uma área de suporte fino, o material pode não se sustentar na mesa, mesmo passando o adesivo fixador. Então, para aumentar essa fixação e garantir que a peça não se solte, é interessante habilitar o brim. Em inglês, o termo significa borda. A impressora fará uma espécie de borda ao redor da peça, garantindo a boa adesão na mesa.

26. Volume de impressão

O volume de impressão é a área que a sua impressora tem disponível para imprimir os projetos. Para conhecer esse valor, basta analisar as dimensões dos três eixos, no comprimento, largura e altura. Por exemplo, se a sua impressora tem as dimensões de 200x200x200 milímetros, esse é o seu volume de impressão.

27. Eixos X, Y e Z

A impressão 3D, como o próprio nome já diz, trabalha em três eixos: X, com movimento horizontal, Y, na profundidade e Z, na altura. É interessante conhecer bem sobre cada eixo para entender a movimentação e, caso você precise atuar manualmente na máquina, saber onde mexer.

28. Sílica

Poucas pessoas sabem, de fato, para que serve aquele pacotinho que vai junto ao seu filamento. Também encontrado em outros produtos, como sapatos e bolsas, esse item representa a sílica. O material retira a umidade do produto. Isso é muito importante para o filamento. Se ele pegar umidade, pode perder as suas características de impressão, prejudicando a qualidade das suas peças.

29. Warping

29. Warping

O warping é um defeito bastante conhecido e tem um lugar especial no nosso glossário de impressão 3D. Esse efeito acontece quando a peça começa a resfriar e empena. Como o resfriamento do objeto se faz no sentido das extremidades até o centro, as pontas se descolam e empenam.

Apesar desse problema ser comum no ABS, é possível resolvê-lo. Para isso, se quiser usar esse material, opte por uma impressora fechada ou use um fechamento para a mesma, junto com o adesivo fixador.

30. Duplo extrusor

Uma impressora 3D que consegue utilizar dois filamentos por vez, é chamada de duplo extrusor, ou dual extrusion. É possível mesclar as cores ou utilizar materiais diferentes, um em cada extrusor.

31. Fan / cooler

O fan é um acessório importante para a impressora. Ele tem a função de ventilar, enquanto o cooler resfria. No caso do dissipador de calor, por exemplo, o corpo aletado funciona como o cooler, enquanto o fan direciona a ventilação para a troca de calor.

Outra posição para se colocar o fan é na saída do bico, principalmente para PLA.

32. FFF

FFF é a configuração do fatiador Simplify3D, já mencionado nesse glossário de impressão 3D. Você pode importar o FFF com a configuração já pronta ou ainda colocar os seus parâmetros próprios.

33. STL

O STL é o arquivo dos modelos de impressão 3D. Existem alguns sites que você pode baixar o STL gratuitamente. Em outros, há venda dos modelos.

34. Filamento

O filamento é o insumo da impressão 3D. Existem diversos materiais diferentes, como PLA, ABS Premium, PETG, Flexível, HIPS e Wood. Escolha sempre filamentos de qualidade. Nós, da 3D Lab, prezamos muito em oferecer o melhor material aos nossos clientes para que as expectativas sejam superadas!

35. Infill, ou preenchimento

O preenchimento de uma peça é um dos parâmetros a serem escolhidos e, por isso, entra no nosso glossário de impressão 3D. Você pode variar o preenchimento, entre 0 (modo vase) até 100%, totalmente sólido. Cada projeto tem suas particularidades e a escolhe pelo preenchimento deve ser orientada de acordo com a necessidade.

Além disso, você também pode escolher a forma do preenchimento.

36. GCode

O GCode são as linhas de códigos responsáveis pelas movimentações da impressora. Você pode encontrar esses códigos dentro da configuração do fatiador.

37. Layer

Layer é a camada de impressão. A resolução das peças será medida justamente por ela, pela altura da camada. Quanto maior for, pior será a resolução. As layers habitualmente utilizadas variam entre 0,05 e 0,3 milímetros.

38. First layer

First layer é a primeira camada da impressão. Para que sua peça saia perfeita, é muito importante que a first layer fique bem. Ela será a base de todo o projeto. Se sair errado, o problema será somado com as camadas superiores.

Então, certifique-se que a primeira camada está homogênea, com o bico na distância certa da mesa e a adesão correta.

39. Top layer

Top layer é a camada de fechamento da peça. É muito importante configurar bem essas camadas para evitar que a peça tenha problemas no topo.

40. Adesão entre camadas

Adesão entre camadas é um importante termo do nosso glossário de impressão 3D. Ela pode ser resumida como a força de interação entre uma camada e outra. Se essa característica não estiver adequada, a peça pode se tornar frágil e quebrar com pouco esforço.

A adesão entre camadas também é uma característica do filamento. Por isso, mais uma vez, escolha materiais de alta qualidade!

41. Suporte

41. Suporte

O suporte nas peças permite que o bico deposite material onde não há filamento abaixo. Então, quando for depositar material sem uma camada embaixo, ele já cria um suporte para a sustentação. Esse suporte será facilmente removido após a impressão final.

42. Torre de temperatura

42. Torre de temperatura

A torre de temperatura é um termo bastante conhecido pelos amantes da impressão 3D. Ela representa um teste pré impressão, no sentido de encontrar a melhor temperatura de trabalho para o material. Na internet há vários modelos de torres, com a marcação das temperaturas. Assim, é possível observar o parâmetro mais indicado.

Portanto, vimos no nosso glossário de impressão 3D os principais termos relacionados a essa tecnologia. É muito importante conhecermos esses conceitos para sempre aprendermos mais e melhorarmos nossas impressões. Ficou muito claro que a qualidade das peças está bastante relacionada ao conhecimento da pessoa, ajustando corretamente os parâmetros da impressora, e também à qualidade do filamento. Então, utilize os nossos materiais para ter certeza que seus projetos serão um sucesso!

Se você conhece outro termo importante dessa tecnologia, deixe seu comentário aqui no conteúdo!